05/01/2008

308


-O chéfis já desenhou uns quinze modelos de vestidos de noiva para mim.

-Dá azar ver o vestido antes do casamento, Aaya.

-Nunca que permitirei que um outro homem vista a minha linda dama.

*Os quatros continuam naquela conversa. E as garotas vão para o canto onde estão os seus namorados*

-Como foi Motoko-chan?

-Foi maravilhoso. Veja o presente que ela me deu.

*Kyo chega e abraça a Honda*

-Sim, sim. A senhorita Akito está muito mudada. Nem lembra aquela pessoa que eu conheci na escola.

-Acho que nem a gente a conhece, Tohru. *Momiji e Kagura se juntam ao grupo e todos ficam observando o outro grupo que está na porta da sala*

-Sim, ela nem parece àquela pessoa. Está muito mais feliz agora. *Kagura depois olha em volta procurando a Rin e o Haru* -Ué? Onde estão aqueles dois?

---***---

-Haru, já devem estar sentindo a nossa falta é melhor a gente voltar.

-Deixa que sintam. *os dois estão namorando num local um pouco mais distante, mas ainda dentro da sede. Era o local secreto deles*

-Não acredito que a gente está junto. *Rin se levanta um pouco para lhe olhar, mas logo volta a se deitar em seu peito*

*Ele tira o anel que estava usando e mostra a tatuagem* -Pois para mim você sempre esteve junto comigo. Como eu já te disse uma vez, você está ao mesmo tempo no meu coração, na minha mente e no meu espírito.

-Será que não chegará um dia em que você irá se cansar de mim?

-Se isso acontecer, basta com que você me conquiste novamente. E você sabe muito bem como me conquista, afinal você está fazendo isso desde que éramos crianças.

*Ela se senta em cima dele e lhe fala toda meiga* -Gosto muito do seu cabelo branco e macio, Haru.

*Naquele instante, Haru viu a mesma menininha que brincava com ele, e pela qual ele havia se apaixonado com aquela simples frase* -Eu te amo Rin, e quero você sempre para mim. *ele a beija com grande paixão*

*Após vários anos de sofrimentos para os dois, finalmente eles podiam se amar sem medo e sem culpa*

Fim

by kyo

307


*Akito recebe as duas garotas com um sorriso muito tímido. Ela está vestindo um lindo quimono feminino e tem uma bela presilha de flores nos cabelos. As garotas apenas se inclinam para a cumprimentar.*

-Vamos nos sentar aqui. *ela aponta a mesinha, onde já estava a Mine-chan e elas se sentam no tatame*

-A senhorita está muito bonita com essa presilha.

-Obrigada Honda-san. *ela ainda ficava muito envergonhada quando escutava esse tipo de elogios. É um prazer conhece-la Senhorita Minagawa, e parabéns pela sua formatura.

-O...o prazer é meu, senhorita Sohma. E muito obrigada por me convidar

#Quem diria que um dia eu seria chamada de senhorita# *Akito não consegue pensar sem dar um sorriso*-Eu gostaria de conversar antes com vocês, por serem as únicas que são "normais" e que namoram com os possuídos. *ela pega as três caixinhas que está na mesa, e entrega uma para cada garotas* -Esse é um presente meu para vocês. Peço que os abra agora*

*Motoko retira uma pulseira com pedras de ametista, Tohru um lindo colar com alguns rubis e Mine-chan uma pulseira de pérolas*

-Peço que vocês os usem sempre. Quero que esses objetos simbolizem o novo enlace de vocês com os possuídos. Sou muito grata por vocês terem aceitado ao Yuki, ao Kyo, e ao Ayame mesmo sabendo da maldição deles. E sou ainda mais grata a você Honda-san por ter se tornado uma grande amiga de todos os outros possuídos.

*As garotas olham admiradas os seus presentes*

-E agora vamos para a festa. *Akito se levanta e as meninas fazem o mesmo*

*Ao chegarem na sala, não encontram a mais ninguém, já estavam todos no quintal onde estava montada uma grande mesa para o almoço. Akito fez questão de comemorar como se fosse uma festa de final de ano a formatura de Isuzu*

-Minha doce Milady... *Ayame corre em sua direção* Não consigo ficar nem por poucos minutos longe de você minha adorável dama.

-Aaya, fale mesmo e aja mais. *Shigure abraça a Akky* Quando será o casamento?

-Muito em breve, Guretti.

by Kyo

306


-Foi uma linda cerimônia de formatura. *Yuki está segurando o canudo da Motoko enquanto caminha de mãos dadas com ela, sendo acompanhado pelos primos e pela Honda*

-Foi sim. A Motoko-chan estava mais linda do que nunca.

-Obrigada. Mas, certamente eu era a mais feliz de todas *

-Será que a Kaa-chan e a Rin já chegaram na casa sede?

-Devem ter chegado. Elas iam voltar de carro com o Shigure e .... a Akito. *Diz Haru*

-É muito estranho escutar A Akito. *Kyo está dando a mão esquerda para a Tohru e a direita está atrás de sua nuca.

-Mais estranho ainda foi vê-la de quimono feminino. *Completa o Yuki*

-Mas a senhorita Akito ficou muito mais bonita agora.

-Isso graças a Kaa-chan e a Rin. Elas estão ajudando a Akito-san com o novo visual.

-Yuki-kun.. *Motoko pergunta baixinho* Será que a chefe do seu clã irá gostar de mim?

-Não se preocupe. É impossível não gostar de você.

-O carro tá lá... *Momiji sai correndo em direção da casa*

*Kyo, Tohru e Motoko entram na casa de Akito com o receio normal que se sente quando entra pela primeira vez na casa de alguém. Já os outros garotos estavam acostumados com o ambiente.*

*Haru olha a namorada de cima em baixo* -Fiuuu Fiuuuuu. Tá muito gostosa, com esse uniforme.

-HARUUUU...*Isuzu fica roxa de vergonha com a maneira de falar do namorado.

-O que foi? *ele a abraça* Está mesmo. *E depois sussurra em seu ouvido* -Mas confesso que não vejo a hora dele está todo no chão.

*Kagura cumprimenta a todos que haviam chegado e se senta ao lado do Momiji*- A Akky quer conversar antes com as garotas. *ela olha para Motoko e Tohru* -Ela está lá na biblioteca.

*Motoko segura mais forte na mão de Yuki* -Calma. Dará tudo certo. Eu vou levar vocês até lá.

*Motoko caminha muito mais nervosa que a Tohru. Era a primeira vez que ela estaria com ex-patriarca, e agora Matriarca do clã Sohma*

by Kyo

305


_ Pára quieta, Rin! Mas que droga!

_ Ahhh Kagura! Você tá arrancando os meus cabelos!

*Kagura, como Tohru, havia prometido à Rin que lhe ajudaria também, mas já estava perdendo a paciência com o mal humor da garota*

_ Tô arrancando porquê você não pára quieta nessa cadeira!

_ E eu não paro quieta porquê você ta arrancando os meus cabelos!!

_ Calma, meninas! *A mãe de Kagura grita do lado de fora do quarto da filha* Isuzu, eu passei seu uniforme, está aqui pendurado na porta.

_ Obrigada, dona Haruka. Nossa, sua mãe é um amor, Kagura.

_ Hahaha, eu sei... Eu te empresto ela quando você precisar. *A garota fala e dá uma piscadinha de olho para a prima, pelo espelho*

_ Tá, de vez enquando eu roubo ela de você então. *As duas ficam rindo mas Rin logo fecha a cara quando vê uma fita esvoaçante azul clara, de renda, nas mãos de Kagura* O QUE É ISSO, KAGURA??

_ Nhaaa, não é linda? Eu nunca usei, minha mãe me deu ela e eu acabei guardando...

_ Nem pensar.

_ AHHHH, porquê não?? Olha, vai ficar uma gracinha em você! *Ela ja puxa uma mecha de cabelo para amarrar a fita, que aparece bem em contraste com o preto dos fios*

_ Não, você sabe que eu não gosto dessas coisas "bonequinha". *Ela fala ainda emburrada*

_ Então essa você vai deixar, né? *Kagura tira da caixa uma fita rendada preta. Rin a observa e não diz nem que sim e nem que não, então Kagura prende a parte de cima dos cabelos dela com a fita, deixando a de baixo solta e caída pelo colo de Isuzu*

_ É.. Essa ficou bonita... Ahhhh Kagura, eu não to parecendo uma idiota com essa fitinha não?

_ Ih, que saco Rin! Pára de dar chilique que você não combina com isso. *Kagura sai de trás da prima, abre a porta e pega o uniforme, entregando-o em seguida a ela* Vai se vestir logo pra gente sair. Ainda bem que hoje minha aula na facul é só de tarde, assim vou poder ver a sua formatura!

_ Ai.. Tá.

*A garota troca de roupa e coloca o uniforme. Se calça e se olha no espelho*
#É, estou bem para o último dia na escola#

by Thata Srta Rainey

304


*O sol ainda nem tinha saído e Tohru já estava na cozinha, de uniforme.*
_ Já deixei tudo mais ou menos arrumado aqui pro café da manhã deles... Agora vou sair, a senhorita Minagawa já deve estar me esperando.

*Motoko, como havia ficado sem nenhuma amiga e se apegado a Tohru nos últimos meses, acabou por pedir a ela que lhe ajudasse a se arrumar no dia de sua formatura, e a garota, é claro, aceitou sorridente ao pedido. Tohru mal chegou em frente a casa da formanda e ela já estava na janela, avisando que ja descia*

_ Bom dia, Motoko-chan!

_ Bom dia, Tohru! *As duas se cumprimentam e a garota faz sinal para que a outra entre e suba as escadas para a sua casa* Não repare, por favor...

_ Que nada. *Ela tira os sapatos e é levada direto para o quarto, onde Motoko, ainda de camisola, senta-se na cama*

_ Toooohru, olha o meu estado! *Ela embagunça os cabelos com as mãos* Estou horrivel justamente no dia da minha formatura!

_ Que isso! A senhorita sabe que é muito bonita! Só está ansiosa por causa do dia de hoje.

_ É, eu estou bem nervosa.. Estou com medo que as garotas do Prince Yuki façam alguma coisa comigo logo hoje...

_ Elas não vão fazer nada, fique tranquila! Agora, me arranje uma escova, vou lhe ajudar com os seus cabelos.

*Minagawa olha sorridente para a garota através do espelho* #Com tanta gente legal perto de mim, eu fui me envolver logo com aquelas pessoas... Se bem que, o que eu estou dizendo? Eu era aquelas pessoas... A Tohru é realmente uma ótima pessoa, ainda bem que, mesmo no final do ano, pude conhecê-la e me tornar amiga dela#

_ Er... Motoko-chan? A escova...

_ Ahhh! É mesmo!

*Motoko pula da cadeira e vasculha uma gaveta até achar a tal escova, entregando-a para Tohru e voltando a sentar na cadeira da pentiadeira*

_ Agora a senhorita relaxe! Eu vim pra cá bem cedo para dar tempo de fazer tudo, não se preucupe. *Ela puxa o cabelo da garota pra trás e começa a desembaraçar com toda a paciência* A senhorita será a mais bonita da sua classe!

_ Haha, obrigada!

by Thata Srta Rainey

303


*Já era noite alta, Shigure continuava deitado ao lado de Akito: depois do que acontecera, ele não saia de perto dela pra nada. Como o ataque de Yoko não tinha causado grandes traumas físicos, Akito, depois de medicada, já estava em sua casa - apesar da insistência do escritor para que passasse a noite na casa dele*

_ Depois de rir tanto, o trauma passou? *Ele pergunta enquanto bota pedacinhos de carne na boca dela* Nem faz essa cara, você precisa comer comida forte, e não essas sopinhas ralas que ficam te dando!

_ Hahaha eu estou comendo... *Ela mastiga e engole, e depois volta a falar, agora mais séria* Eu fiquei muito assustada com a Yoko.. Muito mesmo. Eu nunca ia imaginar, sabe... Eu via nela a mãe que eu não tinha. E como a minha mãe biológica, ela também me odiava. *Ela fica ainda mais séria, com os olhos fixos no nada* Não sei quem me odiava mais....

_ Não fica assim, querida. Ela era louca, como a Ren também é. Infelizmente, você deu o azar de se cercar de pessoas desequilibradas. Mas agora, vai ficar tudo bem. Agora você vai ficar do lado de quem realmente te ama, viu?

*Akito apenas sorri e seca uma lágrima que já começava a nascer no canto dos olhos. Shigure sorri de novo e da outro pedaço de carne pra ela comer. Ela o abraça fazendo com que ele solte o hashi dentro do prato, e fala ao seu ouvido*

_ Eu quero, Shigure....

_ Hum...? *Ele indaga curioso, sem entender ao que ela se referia, e se afasta para olha-la nos olhos*

_ Eu quero te fazer o homem mais feliz do mundo. Eu quero ser a mulher mais feliz do mundo. Eu quero andar de mãos dadas com você sem me preucupar com os outros. Eu quero todo dia dormir e acordar do teu lado. Eu quero, Shigure, eu quero me casar com você.

*Enquanto ela falava, ele não pôde controlar a emoção, e quando ela terminou, ele apenas a abraçou com todo amor do seu corpo*

_ Akito... Você já me faz o homem mais feliz do mundo. *Ele volta a encará-la* Eu te amo tanto... *E os dois se perdem num apaixonado beijo*

by Thata Srta Rainey

03/01/2008

302


*Motoko e Yuki estão voltando do cinema, de mãos dadas. O ar fresco da noite faz com que a garota sinta um pouco de frio, fazendo com que o namorado a abrace*

-Pronto. Assim não sentirá frio. *Yuki lhe olha com um gentil sorriso e encosta os seus lábios nos dela* #Só de imaginar que eu não podia fazer algo tão simples assim por ela antes. E mesma assim ela me aceitou#

*Motoko abre os olhos e vê que o namorado ainda tem os deles fechados enquanto está com os lábios sob os dela, e percebe que uma pequena lágrima sai de seu olho. Tal cena faz o seu coração transbordar de alegria e desejo, e ela beija o garoto cheia de paixão*

*A necessidade de respirar os obrigam a se afastar, e Yuki a abraça* -Sentirei muito a sua falta na escola.

*Motoko lhe beija na bochecha* -Será por pouco tempo. Daqui um ano estaremos estudando na mesma faculdade e no mesmo curso.

*Ele lhe olha todo sorridente* -Ainda não acredito que irá cursar botânica.

*Ela o abraça e depois voltam a caminhar em direção da casa da garota* -Desde pequena eu gosto de plantas. Acho que é um curso perfeito para mim. Os meus pais adoraram a idéia. Falaram até que se eu não conseguir a bolsa de estudo, poderão me ajudar a pagar as despesas da faculdade.

-Mas até ficarmos juntos, terei que passar um ano sozinho na escola. Será muito difícil não ter a sua presença pelos corredores da escola.

*Ela pára novamente a sua frente e lhe faz um carinho no rosto* -Como sou feliz por poder escutar essas doces palavras.

-Desejo que esse um ano passe como se fosse um mês.

-Nossa, Yuki-kun. Até parece até que eu estarei indo para o outro lado do país. Estarei aqui em Tóquio ainda. Vamos continuar a nos ver todos os dias.

-Eu sei. *ele olha para o chão* Mas... E se a Motoko-chan conhecer alguém na faculdade?

-Não acredito que o Yuki-kun está com medo de me perder? *ela o abraça* -Nunca. Nunca que irei querer outro. O Yuki-kun é o único que eu posso amar.

*Aquelas palavras fizeram com que ele se sentisse ainda mais seguro de si*

by Kyo

301


*Desde que haviam recebido a autorização de Akito para namorarem, não teve um dia que eles passaram sem se ver. Finalmente a felicidade havia chegado para os dois. Isuzu não acreditava que estava ali, deitada na cama do Haru, e livres da maldição. Ela que alguns meses atrás tinha ido até a casa do escritor para lhe propor um acordo, seria a sua amante em troca de sua ajuda*

#E ele cumpriu com a sua parte no acordo# *Ela olha para Haru que está dormindo tranqüilamente ao seu lado, e passa a mão em seu tórax desnudo*

-Haru. *ela se inclina e lhe beija docemente*

-Hmm? *ele murmura sem abrir os olhos*

-Eu já vou. Daqui a pouco os seus pais irão chegar.

-Ah não. *ele vence a preguiça, levantando os seus braços para abraçar a garota e a trazendo para cima dele* Fica aqui.

-Você sabe que eles não gostam disso. A sua mãe sempre fica de cara feia quando eu durmo aqui com você.

-Nem liga. Aquela é a cara normal dela mesmo. *Haru continua com os olhos fechado, mas deslizando sua mão direita nas costas da namorada*

*Ao escutar o comentário, Rin se limita apenas a dar um sorriso com os lábios fechados* -Não. Tenho que ir. Amanhã tenho que levantar mais cedo.

*Ele finalmente abre os olhos para olhar a namorada* -É uma pena que eu não possa ir a sua formatura.

-Bem feito. Quem mandou você ser homem. Não pode estudar na mesma escola que eu.

*Ele num golpe se senta na cama, deita-a e fica por cima dela* -Ainda bem que eu sou homem, né? Sua bobinha.

-ahahah, ainda bem mesmo.

*ele tira alguns dos longos fios negros que estavam em cima dos seus olhos* -E você está decidida a trabalhar realmente com o Shigure?

-Sim. Eu gosto de desenhar, e ele precisa de um ilustrador para os seus livros. Eu preciso ganhar algum dinheiro para sustentar esse meu namorado que ainda não pode trabalhar porque está indo para o segundo colegial...

-Sua papa-anjo *ele começa a fazer cócegas na namorada*

by Kyo

02/01/2008

300


-Muitíssimo boa noite Kyo. *Tohru sai correndo de dentro do edifício e dá a mão para o namorado*

*O garoto olha para os lados para se certificar que ninguém está olhando e dá rapidamente um beijinho de boa noite nela*

-Não precisa vir me buscar, Kyo. *eles começam a caminhar naquela noite que estava mais fresca e nublada*

-Não faz mais sentido aquela Ratazana vir buscar a minha namorada no serviço. Agora a sua segurança é de inteira responsabilidade minha.

-Mas, não é para tanto. Eu sei me cuidaaaaa *a garota mete o pé em um buraco, mas o garoto que a segura antes dela cair no chão*

-Estou vendo como você sabe se cuidar. *Kyo fica olhando o brilho que vem dos olhos da garota* -Eu estou conseguindo te fazer muito feliz, não estou?

*Ela sorri não só com os lábios, mas com o olhar também. E o puxa para perto dela, dando-lhe um apaixonado e longo beijo* -E eu? Também estou te fazendo feliz?

*Ele finalmente abre o sorriso que ela tanto queria ver. Um sorriso cheio de felicidade e alegria, e eles voltam a caminhar novamente*

-Amanhã será um dia bem cheio...

-A gente não pode faltar? Eu não tenho paciência para essas coisas.

-Não. Não. *ela nega com a cabeça também* -O senhor sabe como isso é importante. E o Yuki-kun estará se sentindo um pouco triste também.

-Bahh. Mas porque eu tenho que ir? A Arisa já falou que nem vai aparecer na escola amanhã.

*ela começa a caminhar de costa olhando para o garoto*-Vamos vai?. Será bem divertido, e é importante para a Motoko-chan.

-Tá. Não consigo te falar um não. *Ele lhe sorri e ela volta a caminhar ao seu lado*

-Daqui um ano será a nossa formatura.

-É. Passou tão rápido, parece que foi ontem que a gente foi morar na casa do Shigure.

-Sim. Temos que começar a pensar no que iremos fazer depois da nossa.

*Kyo pára na sua frente e lhe fala olhando no fundo dos olhos* -A única coisa que eu sei, é que quero passar o resto da minha vida com você, Tohru Honda. Prometo que nunca mais irá passar por um momento de solidão na sua vida.

by Kyo

299


*Yoko está trancada em seu quarto. Está completamente transtornada. Gritando e quebrando as poucas coisas que deixaram no quarto*

-SÃO DUAS VAGABUNDAS, MÃE E FILHA. POR QUE EU PERMITE QUE AQUELA MULHERZINHA TRABALHASSE AQUI?

*Ela ataca uma cadeira na parede e a faz em pedaços com grande facilidade.*

*Kureno está sentado no chão do lado de fora do quarto. Senti muita dó do estado em que se encontrava sua tia, mas não a perdoava por haver tentado matar a mulher que ele amava*

-ERA PARA O KURENO SER O PATRIARCA. DEPOIS DO SENHOR AKIRA ERA O KURENO QUE VINHA NA LINHA DE SUCESSÃO. MAS NÃOOOO...... AQUELA COISINHA COLOCOU NA CABEÇA DO MEU SOBRINHO PARA ELES CRIAREM A FILHA COMO SE FOSSE UM MENINO. ELA FEZ ISSO DE PROPOSITO.

*Kureno tampa os ouvidos com as mãos e abaixa a cabeça. Não agüentava mais escutar as mesmas frases. Ele já sabia daquela história, mas nunca havia percebido que a tia vivia obcecada com aquilo*

-Kureno. Os enfermeiros já chegaram para leva-la. *Hatori coloca a mão no ombro do rapaz* Não se preocupe. Ela estará sendo bem tratada no hospital psiquiátrico.

-Eu sei. Mas me culpo por nunca haver percebido a loucura na qual ela vivia.

*Os enfermeiros entram e rapidamente a imobilizam com uma camisa de força*

-NÃO SOU EU QUE DEVO SER LEVADA. EU SOU NORMAL. SÃO ELES. ELES ALI. ELES E OS OUTROS QUE SE TRANSFORMAM EM ANIMAIS

-Calma senhora. *o enfermeiro lhe aplica um forte calmante e pouco tempo depois ela fica abobalhada, e caminha sem resistência ao lado deles até a ambulância*

*Kureno vai atrás em seu carro para cuidar da internação da tia*

-Ainda acho que ela deveria ser presa isso sim. *Shigure surge atrás do médico*

-O caso dela é de loucura. E a Akito não permitiu que abríssemos uma queixa criminal contra ela.

-Deveriam ter visto que essa mulher era louca antes. As nossas vidas teriam sido muito mais tranqüila se não fosse ela.

-Agora não adianta a gente pensar nisso. Temos é que olhar para frente. *Hatori lhe sorri*

by Kyo

298


*Akito fica desesperada tentando tirar a governanta de cima dela, mas não encontra forças o suficiente para isso. E a cada segundo que passa vai sentindo as mãos da mulher apertando ainda mais a sua garganta*

#Alguém.. Alguém me ajude# *Ela está chorando muito, e não encontra nem voz para grita e pedir ajuda* #

-Eu vou te matar. Eu só não te matei antes por respeitar que você era o DEUS dos possuídos. Diferente da vaca da sua mãe, eu sempre respeitei o enlace dos possuídos. Mas agora, como você acabou com ele, eu vou acabar com você.

*Akito vê todo o ódio que a mulher estava sentindo dela naquele olhar frio. Ela está quase perdendo os sentidos quando vê que um vulto se aproxima e tira a mulher de cima dela*

-A sua sorte é que eu respeito à idade que você tem. *mas mesmo assim, Shigure joga a velha no chão*

-SEU DESGRAÇADO. ISSO TUDO É CULPA SUA TAMBÉM. POR QUE TINHA QUE DESCOBRIR COMO ANULAR A MALDIÇÃO?

*Shigure se abaixa e pega Akito no colo. As marcas das mãos da Yoko ainda estão bem visíveis em seu pescoço* #Ainda bem que cheguei a tempo, mais um pouco e essa louca a teria matado# *Ele olha para o rosto de Akito, que está totalmente tomado pelo pavor*


-A senhora irá pagar por essa tentativa de homicídio. *Shigure passa pela velha que ainda estava caída no chão e leva Akito até a casa do Hatori*

-Não se preocupe Akky. Essa louca nunca mais chegará perto de você. *ele lhe beija na testa*

*Akito só encontra forças para chorar. Ainda sente uma forte dor em sua garganta, mas o que mais lhe doía era relembrar as palavras daquela mulher. Realmente, confiava nela. Não era mais do que isso, nesses anos todos ela na verdade a via como uma mãe. A mãe que a Ren não foi para ela* #Ela sempre me odiou. Ela só me odiava#

*Hatori fica chocado com o relato que o escritor ia lhe fazendo, enquanto examinava a garota*

by Kyo

297


*Akito sente aquele líquido viscoso e quente escorrendo em seu rosto, mas não consegue se limpar. A governanta a segura com força contra a parede*

-Eu achando que você estava vivendo mais um dos seus caprichos, mas não. Não, você estava acabando com os meus sonhos.

*Akito não consegue entender nada do que ela estava falando. E pela primeira vez na vida estava sentindo muito medo* #Era assim que eles se sentiam?#

-Eu deveria imaginar. Nunca que a filha de uma empregada seria digna para ocupar o posto de patriarca dessa família. NUNCA. ESSE POSTO DEVERIA SER OCUPADO PELO MEU SOBRINHO E NÃO POR UM SER INSIGNIFICANTE COM VOCÊ. FOI POR ISSO QUE AQUELA VAGABUNDA DA SUA MÃE CONVENCEU O SENHOR AKIRA PARA LHE CRIAR COMO UM HOMEM. ELA FEZ ISSO SÓ PARA QUE O KURENO NÃO FOSSE O NOVO PATRIARCA. ELA CONSEGUIU SE VINGAR DE MIM DAQUELA MANEIRA. ELA SABIA QUE ESSE ERA O MEU SONHO. VER O MEU SOBRINHO NA FRENTE DESSE CLÃ.

-Foi.. foi você quem sempre me orientou. Foi você que falou que eu não podia ter um favorito. Que deveria amar a todos eles.

*Yoko a empurra para o chão, e fica sentada em cima dela* -EH EH EHEHE Sempre foi muito fácil te manipular mesmo. Você sempre foi uma tola insegura. Bastava te sugerir que você ia lá e fazia. Como se fosse uma marionete. Você tem que punir o comportamento do rato, ele merece ficar trancado no quarto. Aquela Isuzu é uma piranha como a Ren, ela não pode tocar naquilo que é seu. Se você deixar que o Shigure continue a morar aqui, ele sempre irá dormir com a Ren...

-Mas por que?

-PORQUE EU SEMPRE DESEJEI A SUA INFELICIDADE. EU QUERIA QUE OS POSSUÍDOS LHE ODIASSEM. *ela respira fundo* Até que a maldição do Kureno terminou. Aí eu fiz com que você ficasse com ele, com medo de que ele te abandonasse. E eu vi que ele poderia exercer o verdadeiro papel de patriarca, por isso que te convenci a deixar todas as responsabilidades do clã em suas mãos.

-Saia de cima de mim. *Akito tenta a empurrar*

-Só saiu quando você estiver morta. *ela vai para cima de Akito*

by Kyo

296


*Três dias se passaram desde que Akito entregou a cada um dos possuídos as fitas que anulavam suas maldições. Ela própria tinha ficado surpresa com a reação de cada um dos treze. Agora, tinha certeza de que não seria abandonada por eles. De que não ficaria sozinha. Mas com relação a sua própria vida, ainda não havia acertado nada. Não se encontrava com o Shigure desde aquele sábado, no qual foi até a casa do Ayame. Nem as suas ligações ela atendeu. Quis passar aqueles três dias pensando em cada coisa vivida com cada um dos treze, principalmente nas crueldades cometidas por ela.*

#Por que o meu pai não me ensinou que eu deveria ama-los como uma mãe e não como um deus? Tudo teria sido muito mais fácil.# *ela começa a se recordar do pai falecido. Aquele era um pensamento que ela há vários anos não tinha. Lembrar no pai fazia com que ela se lembrasse no abandono de sua própria mãe.* #Não quero me lembrar dela# *A garota sacode a cabeça* #Só no meu pai. Quero me lembrar do dia em que ele me isso. Quando foi mesmo?#

*Akito passa a manhã sentada próxima da janela, mas por mais que se esforce não consegue se lembrar*

Blam

*O barulho da porta sendo aberta com uma certa violência a faz voltar a realidade e ela vê que a velha governanta Yoko, a tia do Kureno, vindo na sua direção, mas Akito nem tem tempo de se levantar*

PLAFT

*Akito sente que seu rosto está ardendo, nunca ninguém havia levantado a mão para ela. Nunca. Ela coloca a mão sob o lado do rosto que havia levado a bofetada e olha espanta para Yoko, mas nem tem tempo de abrir a boca*

-Como pode ter dado a liberdade àqueles malditos? *Yoko a segura pela gola do quimono com os olhos cheios de ódio, raiva e um profundo rancor*

-E-eu...

-Como pode terminar com o Kureno?

-Mas, eu não o amava. *Sua voz sai cheia de medo*

-Você é uma vagabunda. Tal mãe, tal filha. *Yoko lhe cuspe no rosto*

by Kyo

295


*Kureno passou o dia todo muito apreensivo. Estava sentindo uma forte intuição que o estava deixando bem triste. Ficou o dia todo dentro de casa, revendo velhas fotografias e outras lembranças dele e da Akito*

#Sinto que isso chegou ao seu final# *ele olha uma foto dele com a Akito e o Shigure, aquela era justamente a última foto que tinha tirado ainda como amigo do escritor*

-Kureno. *Akito se senta ao seu lado na cama* Te chamei, mas você não escutou.

-Estava aqui revendo essas fotos antigas.

*Akito pega algumas das fotos e começa a ver-las. Ela não sabe como começar aquela conversa tão difícil*

-O Shigure descobriu como que a minha maldição foi anulada, não é mesmo?

-Sim. Os possuídos devem usar um objeto que era meu.

*Ele tira a corrente de dentro da camisa* -Agora eu sei porque me transformei naquele dia. Quando lutei com aquele homem, a minha corrente caiu no chão. Eu só a encontrei depois, quando voltei para pegar os livros que trazia da biblioteca.

-Já entreguei uma fita para cada um dos outros possuídos e um lenço para o Yuki.

*Kureno lhe olha bem nos olhos* -Resolveu os libertar?

-Sim. *ela começa a ficar emocionada* Descobri que não posso exigir deles, aquilo que nem eu mesma consigo cumprir.

*Kureno segura em seu queixo e levanta o seu rosto, secando aquelas tristes lágrimas que começaram a cair* -Não precisa ficar triste. Eu já sei o que você irá me falar.

-Eu... eu não consegui te amar da mesma maneira que você me ama. *ela o abraça* Desculpe-me Reno-san.

-Sim, eu te amo muito, muito mesmo. E é por isso que a sua felicidade é a coisa mais importante para mim. *ele começa a se emocionar também* Eu sempre soube que só te teria enquanto você não o escolhesse. Mas tenho que te confessar que ainda não estou preparado para ver vocês juntos. Peço sua permissão para ficar morando um tempo fora da sede.

-Reno-san....

-Não estou te abandonando. Continuarei a trabalhar ao seu lado, mas ficar aqui na sede agora só irá me fazer sofrer mais.

by Kyo

294


*Aquele tom de voz, era completamente novo para os dois, e o semblante de Akito estava muito sereno*

-Você quis dizer como um pai, né? *Momiji lhe corrige um pouco tímido*

-Não. Como uma mãe mesmo. Na verdade eu sou mulher.

*Os dois ficam lhe olhando espantados, sem lhe dizer uma palavra. Mas Kagura mentalmente refaz todas as atitudes e comportamentos de Akito*

-É por isso que você não gosta das possuídas?

-Na verdade eu gosto de vocês. Mas, como eu falei para a Isuzu, eu sentia inveja daquilo que me foi furtado.

-A gente nunca desconfiou de nada. *Momiji ainda continua espantado*

-Esse é o maior segredo do clã. Apenas um grupo muito reduzido de pessoas é que sabiam da verdade. Eu quis contar esse segredo primeiramente as possuídas, para depois revelar para todo o clã.

*Ela pega mais duas fitas da manga do quimono* -Acho que amarelo é a sua cor Momiji. *ela amarra a fita e se virá para Kagura amarrando a dela* -Já a sua é esse verde bem claro.

-NHAAAA, que legal... Gostei da fita Akito-san. A sua também tem uma cor muito linda, Kaa-chan...

-Eu também gostei...

*Akito fica olhando a alegria dos possuídos com aqueles presentes* -Vocês têm a minha permissão para namorarem.

-SÉRIO AKITO-SAN? POSSO MESMO NAMORAR A KAA-CHAN? IUPIIIIII... *ele corre para abraçar a garota* AGORA A GENTE NÃO PRECISA MAIS QUEIMAR AS NOSSAS CARTINHAS.

*Akito começa a caminhar em direção da casa da Kisa, para ler entregar a fita rosa e lhe falar também a verdade* -Ah. Essa fita na verdade é para anular a maldição de vocês. *Ela fala enquanto continua caminhando*

*Momiji e Kagura escutam ainda mais espantados aquela revelação*

by Kyo

293


*Momiji está deitado na varanda de sua casa escrevendo mais uma cartinha para a Kagura, e assim que vê o patriarca caminhando em sua direção, esconde a folha de papel no meio do caderno*

-Bom dia senhor Patriarca. *ele lhe cumprimenta de uma forma muito respeitosa*

-Bom dia. #Ele cresceu tão de repente que eu nem percebi a mudança# *Akito volta a caminhar* Estou inda até a casa da Kagura. Quer ir comigo?

*Ele lhe olha um pouco desconfiado e começa a caminhar ao seu lado* #O que será que o patriarca irá fazer lá?#

-Você sabia que o Kyo e a Tohru Honda estão namorando?

*Momiji fica branco* #Akito-san já está sabendo deles!#

-Ainda bem que a Kagura começou a namorar você antes disso. Imagino que se não fosse você ao lado dela, ela estaria sofrendo muito.

PLAFTT

-Mas... mass...*Momiji está caído no chão olhando todo assustado para Akito*

-MOMIJII... *Kagura chega bem nessa hora e ela corre, ficando entre o patriarca e o garoto caído no chão* ELE NÃO TEM CULPA. JURO. NÃO O PUNE. SOU EU QUEM MERECE SER PUNIDA.

-Punida?

-SIM, AKITO-SAN... EU QUE FIZ O MOMIJI SE APAIXONAR POR MIM. POR FAVOR, NÃO FAÇA NADA CONTRA ELE. *ela se lembra dos ferimentos da Rin e começa a chorar, só de imaginar que o mesmo poderia acontecer ao namorado*

*Momiji finalmente se levanta e vai acalmar a garota* -Kaa-chan...*ele segura em sua mão* Akito-san já sabe de tudo. Não adianta a gente mentir. *ele olha para o patriarca* -De tudo o que a Kagura falou antes, a única verdade é de que eu estou apaixonado por ela.

-Momi-kun??

*Akito não fala nada, apenas fica observando os dois de mãos dadas*

-Akito-san. *ela solta a mão do garoto e vai até o patriarca* Eu sei que você está com medo de que a gente não lhe ame mais, mas a gente ainda ama muito o senhor. É possível sim a gente amar a varias pessoas ao mesmo tempo. O que muda é apenas a forma de demonstrar esse amor.

-Foi uma pena que não descobri isso antes. Eu deveria ter amado vocês como uma mãe e não como deus.

by Kyo

01/01/2008

292


-Eu sei que eu não deveria me apaixonar. Eu, mais do que qualquer um dos outros possuídos, não tinha esse direito, mas acabei me apaixonado por ela.

-Você acha que eu não já não sabia que isso poderia acontecer? Acha que eu a deixei morar naquela casa, sem saber que um de vocês três poderiam se apaixonar por ela?

*Kyo a olha com os olhos cheios de lágrimas*

-Porém, nunca imaginei que era você que ficaria com ela. Pelo o que o Shigure me falava dela, achava mais provável um romance dela com o Yuki.

-Nem eu acredito que ela preferiu ficar com o gato. Akito-san, eu tenho a permissão de namorar a Tohru?

-Mas porque está me pedindo isso agora? *Akito olha para o braço do possuído e vê que ele está sem a fita* -Onde está a sua fita?

-Ahn?... Ah... Está aqui. *Ele abre a carteira e a tira de dentro* Eu a tirei do pulso, por causa da pulseira.

-Quer dizer que você ainda não abraçou a Tohru Honda depois que te dei essa fita?

-Mas?? *De repente ele percebe a relação* É ELA QUE ESTÁ ANULANDO A MALDIÇÃO DOS OUTROS, NÃO É?

*Akito se levanta* -Vai lá abraçar a sua namorada. Eu preciso ir conversar com um outro casal agora.

*Kyo lhe sorri e sai correndo para a casa do mestre. Ao chegar encontra com a garota sentada no tatame da sala a conversar com o mestre*

-Kyo?? *Ela se levanta enquanto ele caminha até ela* Como foi a sua conversa com o senhor patriarca?

*O garoto fica parado na sua frente sem lhe falar uma única palavra. Ele havia tentado pensar numa maneira especial de lhe contar durante o trajeto do Dojo até a casa, mas não lhe tinha ocorrido nada*

-Porque eu não fui o primeiro a lhe abraçar? *Kyo lhe faz um carinho em seu rosto*

-Kyo... Na verdade o senhor Yuki foi o segundo. *ela abaixa a cabeça envergonhada por relevar isso*

-Então, eu serei o terceiro? *O garoto lhe abraça e eles começam chorar abraçados. Naquele momento todo o sofrimento que ambos tinham vivido deixaram de existir, e a promessa de um lindo futuro apareceu diante deles*

by Kyo

291


-Senhor patriarca. Há uma outra visita aqui.

*As garota se afastam e Akito manda que entre*

-Bom dia Akito-san.

-Bom dia senhor Kazuma.

*Haru abre um sorriso quando vê o professor na sua frente. Sente vontade de lhe contar a novidade, mas se lembra do pedido da Akito de não comentarem com os outros ainda*

-Senhor patriarca, será que poderia ir até a minha casa? É que o Kyo gostaria de conversar com o senhor.

*Akito fica alguns segundos em silêncio antes de responder* -Espera-me na sala que já irei com o senhor.

*Kazuma se inclina e sai*

-Vocês já podem ir. Mas não comentem ainda sobre os detalhes da nossa conversa, principalmente que sou mulher. *os dois se despedem e saem. Mas assim que fecham a porta começam a grita e pular de alegria* #Eles pelo visto estão contentes. *ela abre um pequeno sorriso* Hm? O que será que Kyo que falar comigo?#

---***---

#Será que o patriarca virá?# *Kyo está sentado no tatame meio do Dojo. Apesar da Honda ter ido com ele até a casa do mestre, ele não quis que ela ficasse ali com eles. Tinha medo da reação do patriarca com a garota* #Se eu não for capaz de a proteger certamente o Mestre o fará# *Assim que escuta os passos, Kyo já fica apreensivo*

-Ele está aqui, senhor Patriarca. *Kazuma e Akito entram no Dojo*

*Kyo se inclina para o cumprimentar*

-O que você quer conversar? *Akito se senta no tatame e depois o Kyo. O Mestre, volta para casa para ficar com a Tohru*

-Ontem... A Ratazana me contou que havia lhe dito que ele está namorando uma garota "normal".

-O Yuki, me contou sim. Ele ficou com medo de eu mandar apagar a memória dela.

-Então, o patriarca deu permissão para ele a namorar?

-Onde você quer chegar com essa conversa?

-É que... #preciso ter coragem. Se eu não o enfrentar não serei digno para ficar ao lado da Tohru. Ela não merece namorar um covarde# -Eu, estou apaixonado pela Tohru Honda.

*Akito o observa*-Quem diria que um dia você iria se apaixonar por alguém.

by Kyo

290


*Os dois possuídos ficam olhando para aquelas fitas pretas amarradas em seus pulsos, sem entender a razão*

-Por enquanto vocês estão proibidos de falar os detalhes de nossa conversa com os outros possuídos. Quero conversar com cada um antes. *ela olha para os dois* -É! Preto combinou com vocês.

-Mas o que é isso, Akito-san? *Haru não agüenta a curiosidade e pergunta*

-Isso é a liberdade de vocês. Enquanto usarem essa fita, a maldição de vocês ficará anulada. Podem viver sem medo com as pessoas "normais"

-A-a gente não se transformará mais? *Rin olha emocionada para Akito*

-Enquanto a usar não. Mas sem a fita, a maldição voltará.

-Mas porque disse que no nosso caso isso não ia fazer diferença? *Rin lhe pergunta, enquanto que o Haru fica mexendo na fita presa ao pulso*

-Porque vocês já podiam se abraçar sem se transformarem.

-Akito-san.... Eu não estou entendendo...

-Rin. Eu dei a liberdade que você tanto estava procurando para o Hatsuharu. Se agora ele desejar abraçar a outras mulheres aí o problema será seu.

*Haru e Rin se olham sem acreditar*

-Mas eu entendo o seu medo. *Akito continua a falar tranqüilamente* Porque afinal eu também estou com medo do Shigure desejar abraçar a outra mulher que não seja a mim.

*Rin assim que escuta dá um pulo para trás, enquanto que Haru demora alguns segundos para processar a informação*

-VO-VOCÊS SÃO GAYS? *Rin assim que escuta o que disse o namorado, mete a mão em sua própria testa*

-Ai ai Haru... Akito-san é mulher...

-AKITO-SAN É UMA MULHER? MAS COMO?

-Isso será explicado na hora certa. Mas queria contar primeiro para vocês dois. Esse segredo somente o Shigure, Hatori, Ayame e o Kureno é quem sabem.

-Mas porque quis nos contar?

-Porque eu sempre senti muita inveja de você, Isuzu. Você esfregava na minha cara aquilo que eu nunca poderia ser. Feminina e sexy.

*Ao escutar aquela confissão, Rin começa a chorar e abraça a Akito*

by Kyo

289


-Haru? O-o que você está fazendo aqui? *Rin fica pálida quando encontra o possuído sentado na sala do patriarca*

-Ele te chamou também? *Haru se levanta e fica parado ao seu lado*

-Sim. Disse que queria conversar comigo às 10hs.

-Foi o mesmo horário que ele me disse para vir aqui também.

-Ai, Haru... *ela fala muito baixinho, de uma maneira que só é possível a ele escutar* Será que ele descobriu que a gente voltou?

-Se ele descobriu, dessa vez não deixarei que nada de ruim lhe aconteça.

*Rin nem tem tempo para lhe responder quando a emprega chama os dois, e os levam até a biblioteca. Akito está sentada no tatame e na mesinha a sua frente há uma pequena caixa*

-Bom dia Akito-san. *Haru se inclina e Rin faz o mesmo. Está tão nervosa que nem consegue falar bom dia. Eles se sentam cada um de um lado da mesa*

-Serei muito breve e quero uma resposta direta de vocês dois. *ela olha primeiramente para Rin e depois para Hatsuharu* -Vocês ainda estão namorando?

*Rin fica gelada com a pergunta, e já vêm em sua mente toda a cena da briga que havia tido com Akito, antes de seu acidente. Ela abre a boca para tentar negar, mas não consegue. Não encontra coragem nem de mentir para o patriarca e nem de negar o amor que sentia pelo Haru*

-Estamos sim. *Haru lhe responde com uma certa tranqüilidade, mas um pouco nervoso*

-Quer dizer que o amor que sente pelo Haru, é maior do que o amor que sente por mim?

*Rin levanta a cabeça, olha primeiro para o Haru e depois para Akito* -É sim. Eu tente esquecer o Haru, mas não conseguiu, isso é maior do que eu. Mas, por favor, ele não tem culpa de nada. Juro que ele não tem culpa.

*Akito abre a caixinha e tira duas fitas pretas de dentro dela* -Eu sei que o Haru não teve culpa nenhuma. *ela se estica para alcançar o braço da garota, e quando o toca percebe que ela está tremendo muito de medo* -Eu sei que no caso de vocês isso não irá fazer a menor diferença. *ela amarra a fita no pulso da Rin e depois faz o mesmo no braço do Haru*

by Kyo

288


-Fico muito feliz por você e pela Mine-san.

-Eu sabia que iria ficar.

-Eu também tenho uma novidade para lhe contar....

-Então você e a senhorita Motoko já foram aos finalmente?

-É CLARO QUE NÃO. #ele nunca irá mudar?# É outra coisa. A minha maldição...

-A SUA MALDIÇÃO TAMBÉM FOI ANULADA?

-Hm? Quer dizer que a sua também foi?

-Sim, como foi maravilhoso poder abraçar a minha doce e amada Mine

-Será que as maldições de todos já foram anuladas também?

-Sobre isso não posso falar mais nada. Mas porque que você e a Motoko-chan não vêm almoçar conosco amanhã? Acho que devemos aproveitar o domingo para comemorarmos.

-Vou conversar com ela. Amanhã eu te ligo para confirmar. Até mais Ayame.

-O senhor Ayame vai poder se casar?

-Sim Honda. O Akito-san deu permissão para ele se casar com a senhorita Mine. E a maldição do Ayame também foi anulada.

-Que maravilha senhor Yuki. Mais um dos possuídos que fica livre da maldição. *Tohru fica emocionada*

-Honda, você já tentou abraçar o Kyo hoje?

*ela abaixa a cabeça* -Eu até pensei em abraça-lo, mas creio que ele ficará muito triste ao se transformar.

-Sim. Tem razão..... Honda, será que as nossas conversa de hoje com o Akito-san não teria alguma relação com a anulação da maldição?

-Eu não sei. O Kyo me falou que eles não conversaram sobre isso.

*Kyo estava escutando a conversa dos dois no alto da escada, e entra todo pensativo para o quarto*

#Porque será que as maldições deles se anularam? Será que a minha se anulou também?# *ele se deita na cama* #Mas a Tohru ficará muito triste se ela me abraçar e eu me transformar. Tá. Sou eu quem está com mais medo de abraça-la e descobri que a minha ainda não se anulou.#

*Kyo se lembra da imagem do Yuki todo orgulhoso ao dizer que ele havia contado que estava namorando ao patriarca* #Não posso ficar atrás dele. Não posso. Amanhã irei conversar com Akito-san#

by Kyo

287


-Vamos....Atendam ao telefone... *Ayame está andando de um lado para o outro do quarto* # É uma pena que não posso contar os detalhes da anulação da nossa maldição#

-Calma chefinho... *Mine acabará de entrar no quarto trazendo duas xícaras de chás para ele*

-Aposto que o Yuki está no quarto namorando a senhorita Motoko e o Kyo está espiando a Tohru tomando banho....

- Aló.. É da casa....

-Tohru. Finalmente você saiu do banho.

-ahn?? banho???

-Por favor, chame o Yuki. Preciso falar muito com ele.

-Aconteceu alguma coisa, senhor Ayame

-Sim... A melhor coisa que poderia me acontecer *ele segura a Mine que estava passando ao seu lado e a segura pela cintura* Mas eu gostaria de contar primeiramente ao meu adorável irmãozinho.

-Claro. Um segundo

-Imagina a cara de espanto que o Yuki irá fazer. Será que eu deveria dar essa noticia pessoalmente para ele? Não. Não vou agüentar esperar até chegar na casa do Guretti... Onde esse menino estava para demorar tanto assim?

-O Chéfis, está tendo um ataque de ansiedade... *Mine lhe beija*

-O que aconteceu Ayame?

-...*ele continua a beijar a Mine*

-Ayame? Está me escutando?

-Ahh.. Meu amado irmão, tenho uma maravilhosa notícia para lhe dar. Não imaginas quem esteve em minha grandiosa casa. Bem, que na verdade deveria ser elevada a categoria de um palacete, não só pela maravilhosa arquitetura e decoração, como também devido aos seus digníssimos moradores, que são dotados de uma áurea de nobreza...

-Ayame. O que aconteceu?

-Ah sim. Como estava te dizendo antes de você me interromper.... Akito-san esteve em minha maravilhosa casa. E ele... ele ME DEU PERMISSÃO PARA CASAR-ME COM A MINE-CHAN.....

-Ele te deu permissão para se casar?

-Sim, se prepare porque logo, logo você será o meu padrinho de casamento juntamente com a Tohru, afinal dá azar ser padrinho com a namorada. Mas para a Motoko-chan não ficar chateada ele poderá ser o par do Guretti..

by Kyo

286


*Yuki retorna para casa, e apesar de encontrar a luz da sala acesa, não havia ninguém nela* #Devem estar lá em cima# *Ele sobe as escadas, mas colocando um pouco mais de força em seus passos* #Não acredito que eles seriam tão "apressadinhos" assim, mas todo cuidado é pouco# *Ele nota que a porta do quarto do Kyo está aberta e ao passar por ela, vê que eles não estavam lá* #Hm? Onde será que eles estão?#

-Tohru?

-Estamos aqui no telhado, senhor Yuki

#Deveria ter imaginado isso# *O garoto sobre até o telhado e os encontra sentadinhos ao lado do outro, e ele se senta ao lado da garota*

-Estamos aqui olhando as estrelas. Está uma linda noite, não é mesmo?

*Ele olha para o céu e repara naqueles milhares de pontos cintilantes que olhavam para os três, e lhe pareceu que aquela noite particularmente estava brilhando muito mais especialmente para ele*

-Senhor Yuki. O Senhor Patriarca esteve aqui essa noite.

-Como? Akito-san veio até aqui? Mas porque?

-Ele veio me convidar para ir a sede, disse que gostaria de me conhecer melhor. *Ela fala toda contente*

-Akito-san quer te conhecer? * tom de sua voz sai muito preocupado*

-Ele já falou que não irá apagar a memória da Tohru. *Finalmente o gato resolve abrir a boca*

-Hm? Você contou para o Akito-san que está namorando a Honda?

-CLARO QUE NÃO.

*Yuki levanta a cabeça todo orgulhoso de si mesmo* -Pois eu contei.

-VOCÊ O QUÊ? *Kyo fica imediatamente de pé e na frente do garoto*

-Isso mesmo, Baka Neko. Eu contei para o patriarca que estou namorando a Motoko.

#Quando foi que ele ficou todo corajoso assim? Como justamente o rato foi enfrentar o patriarca? Será que foi por causa disso que a maldição dele foi anulada?# *Kyo olha para a Tohru e lhe estende a mão* -Vamos entrar.

-Sim. *mesmo sem entender se levanta e desce do telhado com a ajuda do namorado*

#O Kyo em algumas coisas continua tão previsível quanto antes# *Yuki se deita no telhado todo sorridente* #Se a ama tanto assim, que fale para o Akito-san#

by Kyo

285


*Akito respira profundamente e toca a campainha tremendo muito* #A minha conversa com ele e com o Kureno serão as mais difíceis.#

-Akito-san? Está sentindo alguma coisa?

*ela dá alguns passos para entrar na casa e fica parada ao lado do médico. Tira a longa franja que está tampando o seu olho esquerdo, que está quase sem visão devido a uma ataque de fúria dela*

-Você nunca foi capaz de me odiar por causa disso?

-Nunca.

*ela abaixa a cabeça e caminha até o sofá* -Com quais dos treze possuídos será que eu fiz mais crueldade? *ela fica alguns segundos em silêncio apenas observando o rapaz que está parado na sua frente* -Eu acho que foi com você, Tori-san. O que te tirei nunca mais poderei lhe dar novamente. Tanto a visão como a Kana.

*Hatori se senta ao seu lado* -Mas porque está falando disso agora? *ele a abraça*

-O Shigure descobriu como anular a maldição.

*Hatori a afasta para olhar em seus olhos* -Então, ele conseguiu.

-Sim... Ele conseguiu libertar todos vocês.... Mas quem irá me libertar será você, Tori-san.

*O possuído fica lhe olhando sem entender nada* -Como sou eu quem a irá lhe libertar?

-Tori-san.... *ela começa a chorar* Eu sempre me senti muito culpada por ter te ferido daquele jeito, mas não achava que tinha que te pedir desculpas por causa daquilo. Mas, agora eu vejo o quanto estava errada.

*Hatori volta a abraça-la e sente que o seu quimono está ficando úmido devido as lágrimas de Akito*-Eu sei que você fez sem pensar. Está tudo bem.

-Mas e a Kana? Ela nunca mais ficará ao seu lado. Já é uma mulher casada, e isso nem eu posso mudar.

*Hatori fica em silêncio não consegue pensar em nada que possa falar com relação a Kana, mas se recorda da frase dita a pouco por Akito, e novamente ele a afasta para lhe olhar* -Mas porque me disse que serei eu a pessoa que irá lhe libertar?

-Eu só aceitarei me casar com o Shigure se você me permitir.

*Seus olhos brilham quando escuta aquilo. E ele começa a chorar abraçado com a Akito*


by Kyo

284


-O que você tem? *Kyo fica sentado no tatame ao lado da garota*

-Não é nada. *ela tenta lhe sorri, mas sai um pouco falso*

-Está com medo de que a minha maldição nunca se acabe? *o possuído faz um carinho no braço dela*

-Tenho certeza que mais cedo ou mais tarde o senhor ficará livre da maldição também.

-E se ela nunca se acabar? Ficará ainda assim comigo?

*Ela se aproxima e delicadamente dá um suave beijo em seu lábio e depois se afasta lentamente enquanto fala* -Estarei sempre ao seu lado.

*Kyo faz um carinho em seu rosto*-O patriarca estava tão estranho. Parecia que ele queria me falar alguma coisa, mas desistiu.

#será que o senhor Akito resolveu não anular a maldição do Kyo?#-Mas ele não te falou nada de diferente?

-Tudo o que ele me falou não fez sentido. O mais louco ainda foi à fita que ele amarrou no meu pulso.

*Tohru olha para os pulsos dele, mas não encontra nada* -Uéé? Cadê?

-Eu a tirei.

-Mas porque o senhor a tirou?

-Ah... Puta coisa estranha. Já não me basta essa pulseira que tenho que carregar.

-Mas Kyo?!Se ele a amarrou deve ter algum significado.

*O garoto olha um pouco desconfiado para ela* -Que significado poderia ter? É apenas uma fita sem a menor importância.

---***---

-Hoje foi o dia mais feliz da minha vida, Motoko-chan. Pude finalmente abraçar as duas pessoas mais importantes para mim. *Ele lhe dá um forte abraço* É uma sensação tão boa. Sempre quis saber como era o toque de um abraço

-Será que agora o Yuki-kun, não vai querer sair abraçando a todas? *Motoko lhe pergunta com um sorriso maroto nos lábios*

-Só se você deixar.

-É claro que não. Esse abraço é só meu.

*Yuki se afasta e lhe beija* -É uma pena que em breve você já estará se formando.

-Quer que eu repita d ano?

-ahahah, claro que não. Quero poder falar que namoro uma universitária. Eu um simples colegial, com uma linda universitária como namorada.

-Você? Um simples colegial? Você nunca foi um "simples" colegial para mim. Sempre será o meu Príncipe Yuki

by Kyo

31/12/2007

283


-Contou para o Kyo?

-Não. Eu não conseguir lhe falar, mas amarrei a fita no seu pulso.

*Shigure passa o braço e a abraça. Eles estão sentados no banco de trás do carro indo para casa do Ayame.*

-Ele não me falou que estava namorando a Tohru Honda.

-É natural. Eles ainda têm muito medo de você. Mas em breve isso será diferente.

-Eu ainda não sei como irei contar para o Ayame.

-Será que eu poderia te ajudar? Bzzzzzz

---***---

-Akito-san? O que veio fazer aqui? *Ayame fica todo nervoso quando vê o patriarca ao lado do Shigure na sua frente*

-Vim lhe encomendar um roupa. Não é isso que você faz? *eles entram*

-Sim... sim...Claro.... E que tipo de roupa o senhor vai querer?

-Quero um vestido de noiva. Será que pode fazer um?

-UM VESTIDO DE NOIVA?? COMO UM VESTIDO DE NOIVA?? *Ayame cai sentado no sofá*

-Chefis, o que foi? *Mine fica espantada quando chega sala e vê o Shigure ao lado daquele rapaz*

-Ah... A sua funcionaria faz hora extra? *Akito olha para Mine*

-É que... que...estamos com muitas encomendas...

*Shigure está se segurando ao máximo para não cair na gargalhada*

-Então não dará para você me fazer o vestido?

-Claro que vai dá. Será para o senhor esse vestido de noiva?

#Eu tenho que agüentar, não posso ri. Não posso# *Shigure se contorce todo para não rir*

-Mas é claro que não. *Akito vai até o lado da Mine* -É para ela.

-PARA A MINE??

-Ou você não quer se casar com ela? *Akito tira uma fita prateada da manga do quimono e vai até o Ayame* -Aqui está o meu presente de casamento para vocês. *Ela amarra a fita em seu pulso*

-Akito-san?? Você está me dando permissão para me casar com a Mine-chan? *Ayame está todo emocionado*

-Não é só isso. *ela lhe sorri enquanto que o Shigure empurra Mine para cima do Ayame*

*Mine cai diretamente nos braços do Ayame, que a segura*

-O meu presente para vocês é esse. A sua liberdade.

*Ayame fica a segurando em seus braços sem acreditar no que estava acontecendo*

by Kyo

282


-Porque você ficou tão nervoso?

-.... *ele abaixa a cabeça sem lhe responder nada*

-Não se preocupe, que não farei nada contra ela.

-....e nem irá mandar o Hatori apagar a memória dela?

-Não. Se não mandei antes, agora não faz sentido faze-lo. *ela se levanta e se aproxima do garoto* Você realmente foi o que mais mudou com a presença dela aqui nessa casa. *Akito tira um pedaço de fita da manga do quimono* Estica o braço no qual usa a sua pulseira.

*Ele a obedece sem entender o porquê, e Akito amarra a fita laranja no pulso dele, sem falar uma única palavra, mas um pouco emocionada, antes que o garoto perceba, ela se vira* -Até mais Kyo.

#Que coisa mais estranha. Veio até aqui para nada.# *ele desamarra a fita e a coloca dentro de uma gaveta*

*Tohru se levanta do sofá assim que vê o patriarca descendo as escadas*

-Deu tudo certo? *Shigure também se levanta*

*Akito se aproxima da Honda* -Estivemos juntos apenas uma única vez.

-Sim, foi lá no colégio. No dia que o Hatsuharu e o Momiji ingressaram na escola.

-Você ficou muito amiga de todos os treze possuídos, não é mesmo?

-Sim.

-Muito bem. Quando puder vá até a sede. Gostaria de te conhecer melhor. *Tohru lhe abre um sincero sorriso, o que a deixa um pouco sem jeito* -Shigure, você virá comigo até a casa do Ayame?

#Essa eu não vou perder# -Irei sim. Até mais Tohru.

-Até mais senhor Patriarca e senhor Shigure. *Assim que eles saem, ela sobe correndo para o quarto do gato*

Toc tocc

-Entra Tohru.

-Como o senhor sabia que era eu?

-Só pelo jeito que você bate. *ele está deitado no tatame e a garota se senta ao seu lado*

-Como foi a sua conversa com o senhor patriarca?

-Estranha.

-Ele.... ele falou alguma coisa sobre a maldição?

-Hum?? Não falou nada não. Porque?

*Tohru não sabe o que lhe responder, mas naquele momento sente um pouco de tristeza* #Será que a maldição do Kyo não será anulada?#

by Kyo

281


*Tohru está acabando de arrumar a cozinha quando escuta o barulho da porta da sala* #Acho que o senhor Shigure voltou# *ela deixa o prato que estava enxugando e corre para a sala*

-Muitíssimo boaaa.....

-Olá Tohru. *Shigure está tirando os sapatos para entrar*

*ela se inclina com o máximo de respeito* -Muito boa noite senhor patriarca.

-Boa noite Tohru Honda.

-Cadê os meninos, Tohru?

-O senhor Yuki acabou de sair. Já o Kyo está no quarto. Quer que eu vá o chamar?

-Não precisa. Eu mesmo irei até o quarto dele. Qual é Shigure?

-É a primeira porta a esquerda.

*Akito sobe para os quartos e Shigure senta-se no sofá*

-Senhor Shigure. *Tohru se senta ao seu lado* A maldição do senhor Yuki foi anulada também.

-Eu sei Tohru. *ele coloca a mão sob a cabeça da garota* Mas agora isso não depende mais de mim. *ele olha para a escada* Peço desculpas, mas ainda não posso te contar tudo o que descobri.

-Mas o Kyo tão será libertado da maldição? *Sua voz está bem aflita*

-Isso só vai depender deles. Vamos ter que esperar um pouco agora.

#Kyo estarei aqui rezando para que a sua conversa com o senhor patriarca ocorra tudo bem# *Tohri fecha os olhos fazendo uma prece bem baixinho*

*Kyo escuta o barulho da porta se abrindo, mas continua sentado próximo a janela, vendo as estrelas no céu*

-Vou acender a luz.

*Kyo nem precisa da claridade para saber que era Akito quem estava parada ao lado da porta* -Senhor Patriarca. *ele fica em pé*

-Há muitos anos que a gente não se fala, não é mesmo?

-Sim, uns cinco anos.

-Mas vejo que você também mudou muito. Assim como o Yuki e o Shigure. *Akito caminha e se senta na cadeira em que o gato estava sentado antes*

-O que o patriarca veio fazer aqui? *Kyo ao perceber que ele estava falando sobre a Tohru, fica todo preocupado com ela*

-Vim conversar com você e com a Tohru Honda.

-O-o que veio conversar com a Tohru.

*Akito nota que o garoto ficou visivelmente mais preocupado depois dela ter falado sobre a Honda*

by Kyo

280


-Se-senhor Yuki.. *Tohru começa a chorar de tão emocionada que ficou com a cena dos dois* O senhor também está livre da maldição..

-Sim. Sim.. *Yuki coloca a Motoko no chão e corre para abraçar a Tohru* Finalmente eu posso te dá um abraço de gratidão por tudo o que me fez. Muito obrigado, Tohru Honda. Se hoje eu estou sentindo toda essa felicidade, devo muito dela a você.

*Motoko olha a cena também emocionada. Durante todo o caminho entre a sua casa e a do namorado, Yuki contou tudo o que a Honda havia feito por todos os Sohmas, e do amor maternal que sentia pela garota*

*Quando Yuki solta a Honda, eles vêm que o Kyo está parado no meio da sala, branco, e sem falar um única palavra*

-Kyo.. A maldição do Yu...

-Eu vi. Ele conseguiu te abraçar. *O tom de voz do garoto é muito triste*

-Não se preocupe. Em breve isso irá acontecer com o senhor também. *Tohru se aproxima dele e lhe faz um carinho no rosto, e percebe que ele está se segurando ao máximo para não chorar* -Kyo....

*Ele vira o rosto e sobe para o banheiro, mas no meio da escada fala sem olhar para trás*- Parabéns, Ratazana.

-Kyo... *Tohru ia atrás dele, mas o Yuki a segura*

-Ele deve estar querendo ficar sozinho. Eu entendo o que ele está sentindo. Não deve ser fácil para ele ver que justamente EU, pude te abraçar antes dele.

-Mas será que ele perderá esse poder em breve também? *Motoko se aproxima e Yuki a abraça pela cintura*

-Eu espero que sim. Desejo que todos os possuídos fiquem livres da maldição.

*Kyo entra no banheiro e se senta chorando atrás da porta. Um choro sentido e cheio de medo* #Será que eu poderei a abraçar um dia também? E se a minha maldição não acabar? Como eu gostaria de ter dado aquele abraço nela.*

#Como eu gostaria de falar para o Kyo que o senhor Shigure descobriu como acabar com a maldição. Mas eu lhe prometi que não ia falar nada. Será que ele irá demorar muito para retornar?# *Tohru olha no relógio da sala* #Já está quase na hora do jantar. Espero que ele volte logo#

by Kyo

279


*Assim que escuta o barulho da porta da sala se abrindo, Tohru pula do sofá para ver se era o Shigure que tinha chegado*

-Muito boa noite senhor Yuki e senhorita Motoko.

-Boa noite Honda.

*Motoko lhe cumprimenta com um beijo no rosto* -Boa noite.

-Viemos comemorar com a senhorita. *Yuki fala todo feliz*

-Comemorar?

-Sim, Honda. Eu conversei com o patriarca hoje. E ele não vai apagar a memória da Motoko, e o melhor de tudo...

*Tohru já abre um largo sorriso imaginando que o garoto irá falar do final da maldição*

-Ele já sabe que eu estou namorando a Motoko. *Yuki segura nas mãos da Honda enquanto sorri* Eu tive coragem de enfrentar ao patriarca. Eu contei a verdade para ele, Honda. Disse que amo a senhorita Motoko.

-Puxa, senhor Yuki fico realmente muito feliz por vocês.

*ele solta as mãos da garota e fica ao lado da namorada* -Não imagina o quanto estou me sentindo aliviado, Motoko-chan.

*Tohru percebe que está sobrando e vai disfarçadamente para a cozinha*

-Eu também estou, Yuki. *Motoko faz um carinho no rosto dele e lhe beija delicadamente, mas a alegria que ele estava sentindo era tão grande que ele não resiste e abraça a namorada enquanto a beija com mais paixão*

*ele afasta um pouco o rosto todo envergonhado* -Desculpe-me Motoko-chan, acho que acabei exagerando.

-Tu-do bem. *Ela responde toda tímida* Afinal somos namorados. *ela volta a abraça-lo*

*Yuki começa a sentir um calor que nunca havia sentindo antes, mas não consegue distinguir o que era, até que volta a beijar a namorada novamente e passa as mãos nas costas dela*

-MOTOKO-CHAN... *ele dá um pulo para trás* E-EU TE ABRACEI. *Ele novamente a abraça* EU NÃO ME TRANFORMEI... ESTOU LIVRE DA MALDIÇÃO. LIVRE.... LIVRE....

-Mas como o senhor perder o seu poder?

-Eu não sei... Mas estou livre. *ele a pega no colo* Finalmente posso te abraçar sem medo. Podemos ir para qualquer lugar agora. E sua mãe não irá tentar me matar novamente.

*Os dois começam a rir de tanta felicidade*

by Kyo

278


-Porque que de repente tudo ficou tão claro para mim? *Akito pergunta assim que Shigure entra no quarto* Tudo ficou tão mais nítido depois que o Kureno voltou da China. *Shigure se senta na cama e a abraça, enquanto a garota chora como se fosse uma criança* -Ver o grande amor que ele sente por mim, só me fez ver o quanto que eu te amo Shigure.

*O possuído assim que escuta a frase, fica emocionado e a segura ainda mais forte* -Akky, você não me esqueceu, não é mesmo?

-O Hatori não podia apagar a minha memória sem o resultado de todos os exames. Mas, eu pedi para ele te dizer aquilo. Eu estava realmente decidida a te esquecer, porque achava que você já tinha me esquecido.

-Isso é impossível. Nunca te esqueci. *ele olha bem em seus olhos* Durante todos esses anos, não teve um único dia em que não pensava em você. E te ver ao lado do Kureno quase me levou loucura.

-O que faremos agora? *Akito volta abraça-lo*

-Conte a verdade para eles. Conte que você é uma mulher e que se casará comigo.

-Tenho tanto medo, Gure-chan. E se todos eles me abandonarem?

-Eu nunca irei te abandonar. Estarei sempre ao seu lado. E duvido que os outros irão fazer isso. Dê uma chance para a gente e para todos os outros possuídos também. *Shigure a beija*

*Saber que ela também era um ser humano a estava fazendo se sentir mais leve. Durante toda sua vida, havia sentido o peso da responsabilidade de ser o deus dos treze possuídos. Naquele momento ela era apenas uma mulher que estava amando loucamente o homem que mais amava no mundo. Desde de pequena, ela tentava esconder de si própria àquela verdade.*

*A noite vai caindo enquanto os amantes se amam na escuridão daquele quarto*

by Kyo

277


*Yuki pega sem entender os motivos aquele presente, e o coloca no bolso* -Posso conversar a sós com o senhor?

-Vamos lá para o meu quarto. Espera-me aqui, Shigure. *Ela lhe sorri e eles caminham em direção do quarto.*

*Ela se senta na cama e ele numa poltrona próxima a cama*

-Akito-san. Eu pensei muito antes de vir. Porque sabia que se viesse teria que ter essa conversa com o senhor.

*Akito não fala nada e fica apenas o observando*

-Eu sei que alguns dias atrás uma colega do colégio acabou esbarrando no Kureno e ele se transformou. Essa colega chama-se Motoko Minagawa, e é a garota com a qual eu estou namorando.

*Akito escuta a frase sem acreditar no que está escutando* -Você está namorando?

-Sim. E a possibilidade de ver-la com a memória apagada, é o que me fez tomar coragem para vir aqui. Ela é a pessoa mais importante na minha vida. *ele abaixa a cabeça*

-Você não me ama mais?

*ele rapidamente levanta a cabeça* -AMO. Amo sim. Mas é um amor diferente. *Ele fica um pouco pensativo* É como o amor que eu sinto pela Honda. É um amor fraternal. Não... Ele está mais próximo do maternal mesmo.

-E você teve coragem de me falar isso? Justamente o possuído pelo espírito do Rato. Justamente você foi o primeiro a falar que não me prefere em primeiro lugar. Nem o Hatori, a Rin ou o Haru foram capazes disso. *ela fica alguns minutos em silêncio apenas olhando para o rapaz sentado ao seu lado* Você mudou muito Yuki. Isso tem haver com aquela garota que está morando com vocês, não é?

-...

-Eu sei que é. O Shigure também mudou. E o Kyo? Ela conseguiu mudar a natureza dele também?

-Conseguiu.

-Eu estive apenas uma vez com ela. *Akito se levanta da cama e coloca a mão na cabeça do possuído* Essa garota, sua namorada, é de confiança?

-SIM. Ela não contará a ninguém o segredo do clã.

-Tudo bem Yuki. Ela não terá a memória apagada. Pode ir embora.

*Yuki sente uma profunda felicidade vindo dos olhos de Akito e se levanta para abraça-la*

by Kyo

276



*Akito pára de caminhar e olha para Shigure*

-Vo-você irá contar tudo para os outros possuídos?

-Mas é claro que eu irei contar. Não posso fazer isso com eles.

-Por favor Shigure *ela segura no quimono dele* Não conte. Eles irão me abandonar. Eu ficarei sozinha.

*Ele a abraça* -Quem disse que você ficará sozinha? O nosso enlace ainda continuará existindo. A única diferença é que eles poderão esconder a forma deles, da mesma maneira que o Kyo esconde.

*Ela fica toda pensativa, enquanto está abraçada ao possuído* -Será que isso é o certo realmente? Será que posso amar apenas um?

-Akky, se um monge a milhares de anos atrás encontrou uma maneira de anular a maldição, era para libertar todos os amaldiçoados dela, até mesmo deus. *eles voltam a caminhar de mãos dadas até a casa, mas em silêncio, e assim que entram na casa, encontram o Yuki sentado no sofá*

-Yuki? *Shigure lembra-se da mentira contada a pouco*

-Boa tarde Akito-san. Desculpe-me por não haver vindo antes lhe visitar.

-Boa tarde Yuki.

*Yuki percebe que Akito está com uma outra fisionomia. Não era a imagem que ele recordava do tempo em que era mantido trancado naquele quarto* -O senhor está muito bem. *Yuki não resiste o impulso e lhe sorri*

*Aquele sorriso, era um sorriso que ela nunca tinha visto no rosto do garoto, um sorriso verdadeiro, sem medo e pavor, freqüentemente, ele dava esse tipo de sorriso para ela*

-Obrigada Yuki. *ela se aproxima e passa a mão em seu rosto* Acho que você acabou de me dá a resposta que eu precisava.

-Ahn? Do que está falando Akito-san?

-Se quero que vocês estejam sempre ao meu lado, não posso manter-los presos. Vocês têm que ter a liberdade de irem e voltarem quando quiserem.

*Shigure se aproxima e a abraça* -Agora você entendeu que podemos ficar ao seu lado porque a gente te ama, e não porque temos medo?

*Ela procura o lenço que estava carregando e entrega para o Yuki* -Isso é para você. #Nada mais justo você ser o primeiro depois de tudo o que te fiz sofrer#

by Kyo

275


*Ele levanta o rosto dela segurando seu queixo*
_ Viu? Eu não sou um cão, o Yuki não é um rato, o Haru não é um boi.. Nós somos possuídos por esses espíritos. Da mesma forma que você.. Você não é deus, Akito! *Enquanto Shigure fala, ela não consegue deixar de chorar e o abraça. Ele continua enquanto passa a mão pelos cabelos dela* Você é humana, meu amor... Mortal como qualquer uma delas. E como qualquer uma delas, tem o direito de amar alguém em especial, e não a obrigação de amar a todos por igual.

_ Shigure....

_ Ahn...?

*Eles se separam do abraço e ela apenas sorri pra ele*

_ Ta tudo bem, Akito... Shh.. Não chore mais.. *Ele seca as lágrimas dela com a manga do quimono* Presta atenção. Mesmo que a maldição acabe, eu estarei sempre do seu lado. Você me entendeu?

_ Entendi.. *Eles novamente dão a mão e voltam a caminhar*

_ Eu quero que você seja a primeira *Ele para, ri e se concerta* quer dizer, a segunda... A segunda a saber.

_ A saber o que?

_ Eu descobri uma forma de anular a maldição. *Akito lhe olha espantada, mas não diz nada* Não é de acabar com ela, mas de anular. Provavelmente foi isso o que aconteceu com o Kureno.

_ Como você sabe do Kureno?!

_ Depois de tudo que lhe disse você ainda não confia em mim? *Ela abaixa a cabeça e ele continua* Um objeto pessoal seu... Se usado por um possuído, faz com que ele não se transforme ao ser abraçado por alguém do sexo oposto.

_ E... Você tem certeza disso...?

_ Tenho. Testei hoje. *Ele levanta a manga do quimono e mostra a fita amarrada ao pulso* Lembra disso?

*Ela fica vermelha ao olhar a fita que não via a tantos anos*
_ Não... Eu não me lembro.

_ Mas eu lembro muito bem. Ela era sua, e como você não podia usar porque se vestia de homem, você me deu.

_ Eu.. Não me lembro disso.

_ Tudo bem. Não precisa se lembrar...

_ Mas... O que vai fazer agora?

_ Eu vou contar aos outros possuídos. Akito, como você e todas as outras pessoas desse mundo, eles também tem o direito de serem felizes com quem amam.

by Thata Srta Rainey

274


*Os dois estão caminhando lado à lado, calados. Até que Shigure quebra o silêncio*
_ Já se sente disposta para caminhar assim? Não vá passar mal de novo comigo ou o Hatori me mata!

_ Eu estou bem... Não sou nenhuma doente terminal que não possa andar um pouco e pegar um pouco de sol.

_ Mas a sua saúde é delicada. Delicada como você finge não ser. *Ele fala andando e a olha de rabo de olho, percebendo que ficou corada com o comentário* E da última vez passou mal só por causa de uma perguntinha que eu fiz.

_ Perguntinha?! Acho que você esqueceu o que me perguntou naquele dia!

_ Não esqueci não. *Dessa vez ele pára e vai pra frente dela, segurando suas duas mãos. Ela olha assustada em volta para ter certeza que não tem niguém os vendo* Lembro que perguntei se você aceitaria se casar comigo. E lembro também que você não respondeu.

*Ela solta as mãos da dele, e continua caminhando, fazendo com que Shigure apresse o passo para lhe alcançar novamente*
_ Você deve estar louco! Porque eu escolheria entre um se devo amar por igual a todos os 12 possuídos! E-e você está louco mesmo! Onde já se viu um homem casar-se com outro homem??

_ Você e eu sabemos que você não é um homem. E você pode sim, escolher alguém.. Se você amar esse alguém...

_ Eu sou deus! Eu devo amar a todos!

_ Deve mas não ama! Você é de carne e osso como eu sou... *Shigure se aproxima fazendo Akito andar de costas até encostar numa árvore* E mesmo sendo tão amaldiçoada quanto eu, ainda sim é humana, tem sentimentos de humana, vontade de humana... *Ele aproxima seu rosto ao dela e lhe beija. Akito ainda tenta reagir por alguns segundos, mas depois acaba por se entregar. Os dois se separam e Akito se mantém imóvel, enquanto Shigure olha em volta para ter certeza que ninguém realmente os viu* Entende o que eu digo, não entende?

_ Me deixar ir embora, Shigure. *Ela tenta se soltar dele, mas ele novamente a emprensa contra a árvore*

_ Não sem que você me diga que sentiu isso agora.

_ Tá... *Ela fala de cabeça baixa* Eu senti.

by Thata Srta Rainey

273


*Kureno, já imaginando o porque da euforia de Shigure em vê-lo, e imaginando também o que Akito faria com Shigure - e com ele próprio! - caso soubesse o que estava acontecendo, começa a pensar em algo para remediar a situação, e senta-se calado ao lado dela no sofá*

_ Shigure! *Akito aumenta o tom de voz quando o possuído não lhe responde nada* Desde quando você é garoto de recados? E quem iria mandar um recado ao Kureno, ainda mais por você?

_ Calma, Akito... *Shigure usa toda força de seu corpo para realmente parecer calmo* O recado é do Yuki. E eu só trouxe porque vinha aqui na sede para visitar ao Hatori.

_ Hum.... *Ela se acalma e pega a xícara da mesa para dar um gole, colocando-a no lugar novamente* E que recado é esse?

_ Eu não sei bem, ele disse que o Kureno entenderia. Disse que sabe quem é a tal garota e que ela não sabe de nada. Era uma coisa assim.

_ KURENO! *Akito olha com cara de morte para o outro possuído* Você falou com o Yuki e não me disse nada?!

*Kureno da uma rápida olhada para Shigure. #O safado jogou a bola pra mim! Agora a Akito vai me matar!# Ele observa Shigure recostar na cadeira, aliviado*

_ Eu falei com ele sim, mas esperei para lhe contar quando já tivesse a resposta. O Hatori me avisou que sua saúde ainda estava frágil, não quis que se preucupasse com coisas ainda não resolvidas. Bem, eu liguei pra ele e descrevi a garota. Ele disse que a conhecia sim, que estudava com ela. Falei para ele observá-la de perto, e que lhe sondasse para descobrir se ela sabia de algo; e que assim que tivesse uma resposta, me avisasse. Podemos ficar tranquilos agora, ela não sabe de nada.

*Shigure, que acabou de ouvir toda a conversa, se faz de desentendido e se intromete*
_ De que garota estão falando?

_ De ninguém, Shigure. Você já passou no Hatori?

_ Não. Eu ia lá quando saísse daqui. Porque?

_ Porque daqui pra lá é caminho para minha casa. Poderia me fazer companhia? *Ela olha para ele com um olhar tímido, e ele confirma com a cabeça*

by Thata Srta Rainey

272


_ Se- senhor..! Senhor Shigure! *Tohru gagueja ainda abraçada ao possuído pelo espírito do cão* O senhor se libertou! Co-como?

_ Calma, Tohru. Estou tão impressionado quanto você... *Ele finalmente a solta, e segura em suas mãos, olhando fixamente em seus olhos* Você pode guardar esse segredo por algumas horas? Eu ainda tenho que fazer algumas coisas até poder contar para os outros. Tudo bem?

_ Tu-tudo... *Ela responde ainda sem conseguir raciocinar. Shigure aperta suas mãos e em seguida as solta, sumindo pela porta como um raio* Boa sorte, senhor Shigure...

~~~~^.^~~~~

#Agora eu só preciso confirmar isso com o Kureno# *Ele faz sinal para um táxi, e ao parar, ele entra e o veículo some na curva*

*O carro pára em frente ao destino de Shigure: A sede dos Sohmas. Ele paga ao motorista e desce do carro, ainda um pouco confuso com o último acontecimento. Ele entra e vai direto a casa do possuído pelo galo*

_ Shigure? *Kureno abre a porta, mas sem sair da frente dela* O que quer aqui?

_ Tenha certeza que não vim para lhe trazer biscoitos. Posso entrar?

_ Na verdade, não. Já lhe perguntei o que quer.

_ Oras, Kureno! O assunto que tenho pra tratar contigo é importante, não da pra falar aqui em pé no meio da rua. *Nervoso com a situação e irritado pelo tratamento recebido por Kureno, Shigure não espera a resposta e mete a mão na porta, empurrando Kureno para dentro e entrando em seguida*

_ Boa tarde, Shigure. Não sabe que não pode entrar na casa dos outros sem ser convidado?

*Shigure gela ao ver Akito sentada no sofá de Kureno. Certifica-se na hora que a fita em seu braço está escondida e tenta pensar em algo para responder, algo que seja convincente aos ouvidos "do patriarca"*

_ E então *ela continua* não vai dizer o que veio falar com tanta urgência com o Kureno? Que eu saiba, vocês não são lá grandes amigos.

_ Não somos mesmo. *Shigure tira os sapatos, e Kureno fecha a porta* #Agora já era mesmo# Eu vim aqui apenas entregar um recado a ele.

_ Recado? *Akito pergunta curiosa*

by Thata Srta Rainey

271


*Alguns dias se passam, e Shigure manteve-se concentrado na tradução dos pergaminhos desligando-se até do último livro que estava escrevendo*

_ Eu... Não acredito. *Trancado no escritório - onde ele passou os últimos dias saindo apenas para comer e ir ao banheiro - ele fala sozinho, cercado por pilhas e pilhas de papéis espalhados pela mesa e pelo chão* Então.... Então foi por isso que o Kureno...! Eu preciso testar antes de contar pra alguém isso... E já sei como.

*Shigure levanta-se do meio da bagunça e vai direto para o seu quarto, trancando-se la dentro*

#Tenho certeza absoluta que guardei aqui.... *Ele olha para os cantos do quarto* Aonde eu escondi? *Ele pára ao bater o olho numa das portas do armário. Ele abre a porta e começa a tirar as roupas do armário, até que, embaixo de várias coisas, ele puxa uma caixa de sapato* Agora, ta aqui.. Tenho certeza... *Ele rapidamente leva a caixa para cima da cama, e a abre. Há vários papéis, fotografias antigas, alguns objetos. Ele remexe tudo até que tira lá de dentro uma fita lilás* Eu sabia que tinha guardado.... *Ele encosta a fita no rosto para sentir o perfume, e afasta desanimado* O tempo tratou de acabar com isto também... Ela tinha o cheiro dos cabelos dela#

FLASH BACK

_ Você fica tão bonita quando usa esse laço...

*Shigure e Akito estão deitados juntos, num dos poucos momentos do passado em que se davam bem a maior parte do tempo*

_ Você sabe que não posso usar isso... Só botei pq.. Ah, pq deu vontade. *Ela tira a fita dos cabelos e entrega ao possuído* Se gosta tanto dela, pode ficar pra você.


Fim do FLASH BACK

*Ele pega a fita e enrola no pulso, cobrindo-a em seguida com a manga do quimono*

#Vamos ver se tudo aquilo que eu traduzi realmente faz algum sentido#

*Shigure desce as escadas e procura pela casa, até encontrar Tohru. A garota estava na cozinha preparando o almoço, e ele, sem dizer nada, simplesmente a abraça*

by Thata Srta Rainey

30/12/2007

270


-Nhaaaa. Que pena que não chegamos a tempo do inicio da sessão. Foi tudo culpa do Kyo que ficou beijando a Tohru na rua. *Momiji não perde a oportunidade de fazer uma gozação com os calouros do grupo*

-COMO É QUE É?? *Arisa chega por detrás deles, já empurrando o Kyo para o chão e abraçando a Tohru* O QUE É QUE ESSE KYON ESTAVA FAZENDO COM A HONDA??

-Uo-chan... *Tohru se enche ainda mais de alegria quando encontra a amiga na rua* Ia ligar para vocês à noite para contar a novidade....

-Ô sua delinqüente. Não sabe ser um pouco mais delicada não? *Kyo ainda continua sentado no chão*

-O QUE? VAI ME DIZER QUE ESSE KYON AÍ RESOLVEU AGIR COMO UM HOMEM?

#É uma pena que eu não possa proibir a Tohru de ter amizades como essas# *Ele se levanta do chão e "toma" a garota dos braços de Arisa, e fica segurando na sua mão*

-E-eu e o Kyo estamos namorando.

-ALELUIA. ALELUIA. ALELUIA. A Saki e eu estávamos apostando que ia demorar uns cem anos para esse lerdo sacar que você gostava dele. E como foi que ele se declarou, me conta tudo Tohru...

*Momiji e Kagura começam a rir baixinhos, enquanto que os outros estão apenas escutando*

-Bem... na verdade fui eu que me declarei para ele. *Tohru fica envergonhada*

HAUAHUAHU.... Cê é um palerma mesmo, Kyon. *ela puxa novamente a Tohru para o seu lado, abraçando-a novamente* Mas não pensa que já está namorando ela. Trate de fazer o pedido para mim, agora mesmo. Acha que a Saki e eu iremos entrega-la assim de bandeja para você?

-Essa daí está quase no nível do patriarca. *Haru fala baixinho para a Rin*

-COMO É? VOU TER QUE A PEDIR EM NAMORO PARA VOCÊS?

-Vou contar até 50.1...2....3...4.....5.....

*Ele todo desesperado e envergonhado se ajoelha na frente das duas, segura a mão da Tohru* -Arisa, posso na-namorar a Tohru?

-20... PODE KYON. *ela abre um sorriso e a solta* Mas trate de cuidar muito bem dela. Se a fizer sofrer, cê vai ver estrelas. E se prepare para fazer o pedido para a Saki. Só não sei se ela irá pegar tão leve quanto eu.

by Kyo

269


-EIH KYO... A SUA PEGADA ATÉ QUE É BOA, HEIM CARA... APOSTO QUE A HONDA FICOU ATÉ COM AS PERNAS MOLES AGORA.

*Haru faz questão de gritar um pouco mais a frente, chamando a atenção de todos que estavam passando pela rua, e fazendo os outros possuídos e a Motoko caírem na gargalhada*

-CALA A BOCA, HARU. *Kyo e Tohu não sabem onde se enfiarem de tanta vergonha. Realmente naquele beijo o garoto a tinha beijado de uma maneira bem diferente, colocando um pouco mais de paixão*

-Ahahaha, você não tem jeito mesmo. Coitada da Tohru.

-Que isso. Quando a gente ama, não pode sentir vergonha de nada. *Ele apega no colo e sai correndo pela rua com ela*

-Pára seu doido. Eu já sei que você me ama. Não precisa me provar mais nada.

*Ele a coloca no chão*-Que bom. Mas acho que você está um pouco mais pesada agora...

-HARUU *ela olha para o chão* Isso não se fala, viu?! A culpa é da Tohru por cozinhar tão bem.

-Que nada. Você está ainda mais linda assim. Está muito mais sexy e com os peitos bem maiores também.

-Quem diria que a gente estaria saindo assim, abraçadinhos e com os outros. *Momiji dá um beijo na bochecha da Kagura*

-É verdade. No final todos acabaram se acertando quase que ao mesmo tempo. Mas duvido que algumas delas esteja mais feliz do que eu. *Kagura realmente estava muito apaixonada pelo Momiji. E a prova estava em ver o Kyo e a Tohru namorando. Ela era muito grata ao Kyo, mas o amor que havia sentido por ele, era uma coisa boa do passado. Em seu presente e futuro agora estava o amor que ela sentia pelo Momiji. E ela tinha certeza do amor que o garoto sentia por ela também*

-Quando a gente volta para casa, irei te deixar ler o meu diário.

-O Yuki-kun está realmente escrevendo o diário que a Honda sugeriu?

-Porque? A Motoko-chan não está?

-Sim eu estou. Mas achei que o senhor iria achar que isso é coisa de garota.

-Confesso que achei um pouco estranho quando comecei, mas agora estou achando super divertido. Humm, será que o Baka Neko também vai escrever um?

by Kyo