19/04/2008

46


#Nhoooo.... Como estou desanimada#

*Tohru realmente estava mais desanimada do que nunca. Se antes ela apenas se sentia como sendo uma criança, agora ela tinha a certeza de que era uma criança. Pelo mesmo era isso que aquele sonho e o Shigure lhe tinham falado*

-A Tohru-san é apenas uma menina.

#O Senhor Shigure acha que eu sou uma criança.# *ela coloca a vasilha que segurava na pia e abaixa a cabeça* #Mas por que estou tão chateada por causa disso?#

-Tohru-chann...

-ARGHTTT...*A garota solta o seu grito de susto*

#Virei o bicho papão agora, além de velho# -O Yuki falou que você se machucou ontem, como está a sua perna?

-E-está boa... Obrigada por perguntar, senhor Shigure.

*Shigure novamente volta a sentir um certo desconforto ao escutar o "senhor", ele até pensa em falar para a garota não o chamar assim também, mas acaba mudando de idéia*

#Se ela não se sente a vontade para me chamar apenas pelo nome, não posso a forçar.# *ele olha para a garota e nota que ela está um pouco diferente* #Hum?..... nãoo..... Ele não teria coragem... Mas ela parece estar um pouco triste...# *ele olha para a pia e vê uma travessa de Oyako Domburi que é arroz coberto com frango e ovos.*

-Tohruuu-channn..... Você fez Oyako Domburi???

-Errr, sim... Quando o Hatori me disse que vocês viriam para casa hoje, eu quis preparar o seu prato favorito para a nossa primeira refeição do ano.

-Uiiii uiiii uiii.... o seu Oyako Domburi é melhor do que qualquer banquete na sede. *ele estava tão animado que lhe dá um beijo sem perceber em sua testa e depois volta a ficar cantarolando pela cozinha*

*Tohru ao receber aquele beijo, fica vermelha como a blusa que vestia por baixo do vestido* #Que bom que o Shigure ficou feliz.#

-Posso já levar as coisas para a sala?

-Ahh, claro... Já está tudo pronto.

*Ele tira um prato da pilha* -O Kyo saiu, é melhor deixar o prato dele aqui.

#Ué? onde será que o Kyo foi?# *a garota tira o avental e vai para a sala*

by Kyo

45


-Hatôrii...

*O médico que estava de costas para porta, deixa cair no chão o cigarro que estava a ponto de acender, aquela era a voz da Kana, ele tinha certeza disso. Apenas ela falava o "Hatori" daquela maneira.*

-Kaa......*sua voz sai bem baixinha enquanto se vira em direção da porta*.... Tohru??

-Err.... me desculpe, mas toda essa confusão é por causa de eu lhe chamar pelo nome?

*O médico não estava escutando nada do que a garota estava dizendo.* #A Tohru me chamou exatamente como a Kana me chamava.# *ele olha no rosto da garota*

-....Hatôrii??

-Humm? #Como é agradável ouvir o meu nome da boca dela#

-Perguntava se não era melhor voltar a lhe chamar de "senhor" Hatori. Acho que os outros não gostaram...

-... não ligue para eles. *O Médico se abaixa para pegar o cigarro do chão* -São apenas umas crianças grandes...

*Ao escutar novamente a palavra criança a garota abaixa a cabeça um pouco tristonha, parecia que aquela palavra sempre era usada para lhe atacar*

-Tohru... *Hatori se aproxima um pouco mais dela* Está sentindo alguma dor?

-Nãoo. *ela levanta a cabeça e volta a sorrir para o médico* #Não posso deixá-los preocupados# ... Errr... daqui a pouco o almoço estará pronto. *ela se vira para sair do escritório*

-Não ligue para nada do que aqueles dois falam. *Hatori também lhe dá um sorriso*

#Nhaaaa, como o Hatori ficou lindo agora.# *ela vira o rosto rapidamente, saindo um pouco corado de lá*

*Novamente sozinho o médico acende o cigarro e vai até a janela, abrindo-a para que entre o ar frio de inverno*

Hatôrii, o que acontece depois que a neve derrete?

*A voz da Kana vem nítida e clara em sua mente, mas logo em seguida vem a imagem da Tohru dando a sua resposta*

#Foi muito curioso a Tohru ter dado a resposta certa para aquela pergunta.# *ele se lembra do sorriso dado pela menina naquele dia e sorri muito gentilmente*

by Kyo

44


*Por mais que tente a cada minuto fica mais difícil para o Kyo ficar ali na sala. Primeiro é a histeria do Shigure por causa de uma simples informalidade entre o Hatori e a Tohru, depois o Ayame falando umas coisas mais sem noção ainda para a Tohru, logo em seguida saem os dois correndo até o quarto do Yuki, com o Hatori indo atrás deles, para depois de poucos minutos, descerem novamente com o Ayame satisfeito por ver que a "pureza" do seu irmãozinho estava intacta e agora acabava de chegar à sala o próprio roedor com o Haru*

#GRAUHHH, por que esse povo não ficou na sede?#

*O possuído estava mais mal humorado do que nunca, isolado num canto da sala com as pernas enfiadas no kotatsu, e para piorar ainda mais, aquele sonho não saia de sua cabeça*

-..... mas conte para gente os detalhes, Tori-san. Aposto que tudo começou com vocês brincando de médico.... hohohoho...

#Por que esses idiotas não crescem?#

-......LÁLÁLÁLAÁLÁLAÁ.... EU NÃO QUERO ESCUTAR. NÃO QUERO SABER DE NADA....LLALALALALALALAAA

*O escritor começa a cantar em voz alta bem ao lado do garoto, mas sem se tocar que o garoto está ali*

-......Mas o Hatori só cuidou de uma luxação que a Honda-san sofreu ontem ao cair na escada......

-...O QUEE?? ENTÃO EU REALMENTE ACERTEI?? TORI-SAN, SEU SA-FA-DI-NHOO....

#um.... doiss..... trêssss.... quatrooooo.....#

-... sniffff.... snifff.... Isso foi covardia, Haa-san....

-Então o Hatori pegou de jeito a Honda mesmo e deu um crau nela?

#Não aguento mais!#

*Kyo simplesmente se levanta, pega o casaco, calça os sapatos e....*

BLAMMMMMMM

-Cruzes, o que foi isso? O que deu no Kyon-Kitty?

#Até eu estou a ponto de fazer isso.# *Hatori caminha para a biblioteca deixando os quatro na sala* #Não adianta falar nada, quando o Ayaa começa com as viagens dele, não tem como para-lo.#

*Porém, o médico fica pouco tempo sozinho na biblioteca, logo entra uma companhia*

by Kyo

43


-Ah.........

*Após a explosão de Yuki, os dois ficaram quietos por alguns instantes*

-...

-...

-... Porquê a pergunta, Yuki?

-... Bom... Responda! Sim ou não?!!

-Bom... Eu acho que sim, ou não... Não sei. Foi uma época misteriosa...

-Ah... Certo. *Decepcionado com a falta de objetividade do amigo, Yuki fica mais confuso ainda com sua situação*

-Porquê, Yuki?

-Bom............ *Yuki fica muito envergonhado*

-........... Você por acaso pretende me trair?

-......... Hahaha!! *Yuki não deixa de achar graça do comentário do amigo* Só você mesmo, Haru...

-Ah... Vai... Agora me diz...

-É muito complicado. Eu...

*BLAM!!!*

-ORAS!! SE HAA-SAN PERVERTEU A MENTE DE NOSSA PEQUENA E ADORÁVEL TOHRU, QUEM GARANTE QUE NÃO TENHA MACULADO A PUREZA DE NOSSA PRINCESA YUKI?!!


*O comentário do irmão abalou ainda mais o rato* #Princesa...?#
-... Ayame, o que faz aqui?!!

-Não tema, meu irmãozinho, vim salvá-lo do doutor maníaco sexual..

-Ayame, que parar de me chamar assim?!! *Hatori entrou logo atrás de Ayame*

-Batam na porta antes de entrar no quarto dos outros!! #"Princesa"...?#

-Sim, Haa-san! Além de maníaco sexual ainda é mal educado, agora?!

-O Gure-san está certíssimo, o que houve com você, homem?!

-ISSO VALE PRA VOCÊS DOIS TAMBÉM!!!

-Oh, Yuki, que chato...

-Sim, Yuki... Seja cuidadoso com seu irmão tão digno...

-DIGNO DE UM SOCO!!

-Certo, certo... Vamos sair daqui, seus dois idiotas sem salvação... *Hatori, então, puxou seus dois amigos para fora do quarto de Yuki*

-Droga... Que estresse. *Yuki, que havia levantado para gritar com seu irmão, voltou a sentar-se ao lado de Haru* Queria ser como você, Hatsuharu... Essa sua calma... #E não só isso... Você, não tem como chamarem de princesa#

-Yuki... Não encana com isso, não. *Haru deu dois tapinhas amigáveis na cabeça de Yuki, enquanto se levantava* Você não é princesa...

-...Obriga..

-É a minha esposa!

-.... Hahaha!!

*Após o comentário descontraído de Haru, os dois desceram para a sala*

by Olivia

42


*No meio da bagunça, Haru, com seu jeito calmo de sempre, subiu as escadas até o quarto de Yuki*

*Abre a porta* -Querida... Cheguei... *Caminha até Yuki com os braços abertos, pedindo um abraço*

-Ugh...!! *O gesto do amigo fez com que o rato sentisse a vergonha que sentiu com o sonho da noite anterior* -Você e suas brincadeiras, Haru!!

-Ué, não vai rir...?

-Ai, ai... Como vai? *Yuki senta-se na cama e indica que o amigo se sente; Haru o faz, e responde*

-Estou numa boa... A galera lá em baixo que está fumada.

-Eu ouvi alguns gritos, o que aconteceu?

-O Hatori pegou a Honda... De jeito...

-O QUÊ?!! Você não pode estar falando sério!!!

-Bom... O Sensei e o Ayame disseram algo parecido...

-Ah... Vindo desses dois...

-Sim, muito misterioso.

*Yuki olhou para Haru com intenção de dizer-lhe algo; Porém, receou, e ambos ficaram quietos por alguns instantes*

-...

-...

-...

-... Haru, você...

-Huum? *Haru olhou para Yuki com sua expressão serena*

-Você... *O rato desviou o olhar, com vergonha do que ia perguntar* Você realmente algum dia chegou a gostar... Você sabe... gostar...

-Ah, claro.

-Ahn?! #Ele adivinhou o que eu ia perguntar?! E ainda respondeu assim na lata...# E você não tem vergonha de... Admitir?

-Bom... Acho que todo mundo passou por isso. O Momiji ainda está nessa fase... Ele nunca deixou disso.

-O MOMIJI?!!.... Quem diria! Mas com aquele jeito dele, não é...

-Sim... Ele tem vários álbuns com o Bulbassauro e o Pikachu...

-E... O que isso tem a ver?!

-Bom, se ele ainda gosta de Pokémon...

-POKÉMON?!!

-Sim... Não precisa ter vergonha, todo mundo já gostou disso algum dia... Esses bichinhos pegam mais que sarampo.

-Haru, eu não estava falando disso!!!

-Ah, mas Digimon não tem problema nenhum, eu acho...

-HARU, EU NÃO...

-Hamtaro?

-HARU, EU QUERIA SABER SE ALGUM DIA VOCÊ GOSTOU REALMENTE DE MIM!!!!

by Olivia

41


-Err... eu que pedi para o Hatori me chamar assim... *garota fala um pouco baixo, mas muito envergonhada*

-NÃOOOOOO.... NÃOOOOO NÃOOOO..... *Shigure se deixar cair ajoelhado no chão* -Como foi que isso aconteceu? Até ontem era senhor Hatori daqui, Honda-san dali, e agora estão tão íntimos assim. *ele olha com que quisesse congelar o médico com o olhar e se levanta rapidamente*

Bzzzz -Você não for capaz disso. Foi Haa-san??

-Muito bem, Tori-san. Está finalmente aprendendo a viver. *Ayame entra com um largo sorriso no rosto e pega na mão da garota* -E foi bom para você minha linda Milady? Certamente o nosso Tori-san te fez ir até ao paraíso.

-Errrrr... #Mas do que eles estão falando?#

-Não... Ele não foi capaz. A Tohru-san é apenas uma menina.

*Tohru escuta aquele menina, como se fosse o mesmo que lhe chamar de criança e abaixa a cabeça um pouco tristonha*

#O senhor Shigure me vê apenas como uma criança realmente#

*Shigure a segura pelos ombros* -Tohru-san, você está bem? O que esse médico louco fez com você?

*ela desvia o olhar* -Estou muito bem, senhor Shigure.

*O escritor estava em dúvida se a garota tinha realmente enfatizado o "senhor Shigure" ou se era apenas um fruto de sua imaginação, mas a verdade é que aquele SENHOR SHIGURE o fez se sentir como um velho de 90 anos*

-Vocês dois querem parar com essa palhaçada. Por que me chamou, Tohru?

#Não, tenho certeza que ele falou o TOHRU com mais força e carinho dessa vez!# *Shigure puxa uma cadeira e se senta*

-Err.. bem... queria que você prova-se o molho do udon, para ver se está do seu agrado.

-Deixa-me provar. *A garota coloca um pouco do molho no pratinho e lhe entrega ficando toda aflita até o seu veredicto*

#Parece que estou dentro do meu pior pesadelo. Até parecem um casal de recém-casados.# *Shigure fica olho tudo fazendo um biquinho de criança a ponto de chorar*

-Hum, está delicioso Tohru.

#Nãoooo. é muito para o meu pobre coração. Eu criei um MONSTROOO# *Shigure está a ponto de chorar*

by Kyo

40


-TOHRUUU-CHANNNN..... TOHRUUU-CHANNNN.... O SHIGURE QUER A COMIDINHA DA TOHRU-CHANNN...

*Shigure entra cantarolando na casa. Tira o sapato de qualquer jeito e nem espera que as visitas entrem com ele*

-Cadê a minha menininha? Cadê a menininha do papai?

-Senhor Shigure, Senhor Ayame.... *ela olha para o outro rapaz que está com eles e que não conhece ainda* -hãn, muito prazer.

-Ahh, é mesmo! Hatsuharu, essa é a nossa linda e formosa flor, Tohru Honda. Tohru-chan, esse é o Hatsuharu Sohma... Bzzz *ele fala baixinho* Ele também é um dos possuídos.

-Nhaaa... #Qual será que ele é?#

-Muito prazer, Honda-san. *Haru se inclina para cumprimentá-la, mas já passa os olhos no corpo da menina.* #A Rin tem mais corpo que ela, mas até ela é boazinha sim#.

-Já chegaram. *Hatori sai de dentro da biblioteca e se encontra com os outros*

-Olá Haa-san. #Ufaa... Parece que é o velho e sério Haa-san de sempre. Nada mudou* *Shigure finalmente se senta sentindo-se um pouco mais aliviado*

*Tohru se lembra das panelas no fogão e volta para a cozinha*

#Ela não veio# *Kyo limita-se a olhar para os demais possuídos, mas não fala nada*

-Beleza aí? *Haru se abaixa ao seu lado*

-Oi.

#pelo visto está com o seu humor de sempre# -O Yuki...

-... tá lá no quarto dele.

*Haru se levanta, mas não deu nem cinco passos em direção da cozinha quando a garota fala da cozinha*

-Hatori, venha até aqui por favor

*Silêncioooo, entretanto a cara do escritor está no chão*

*O médico caminha até a cozinha*

-O que foi Tohru?

*SILÊNCIOOOOOOOOOOOO. Agora é a vez da cara de Ayame e Haru está no chão, enquanto que a do Shigure está no sub-solo*

-OOOO QUEEEEE?????? O NOSSO??? O NOSSO TORI-SAN? O NOSSOOOO TORIII-SANNNN CHAMANDO ALGUÉM PELO NOME? PAREM O MUNDO! EU QUE DESCER...

-NÃOOOOOOOOOOOOO..... *Shigure corre para a cozinha deixando o Ayame a falar sozinho* -POR QUE? POR QUE A CHAMOU PELO NOME? *Shigure o segura desesperado pelos braços*

by Kyo

38


#Hatori... Hatori. Hatori... HATORIIII...#

*Tohru está completamente ausente de tudo enquanto está cortando em pedaços pequenos as algas de Kombu desidratada para o udon que estava preparando para o almoço. Mentalmente está dizendo o nome do médico, como se fosse um mantra. Queria que o nome saísse o mais bonito possível de sua boca.*

*Na sala, apenas o possuído pelo espírito do gato estava assistindo TV sentado no kotatsu. Por mais que tenha zoado com a Tohru e com o Yuki por causa dos pesadelos deles, na verdade ele ainda estava muito atordoado com o seu próprio pesadelo.*

#Bahh, não sei por que estou tão preocupado por causa de um sonho idiota. Até parece que a Kagura algum dia vai deixar de ficar correndo atrás de mim.... Hunff.... Eu deveria era está pulando de alegria com o sonho. SIM... AQUILO FOI UM SONHO! Não foi pesadelo nenhum.#

*Ele inclina o corpo para frente e se deita sob o kotatsu*

#Mas será que ela virá pra cá também?#

*Yuki estava em seu quarto, olhando pela janela os brancos flocos de neve que estavam caindo*

Sozinho, Yuki... Sempre sozinho.

*O garoto coloca as mãos nos ouvidos tentando não escutar mentalmente aquela frase.*

#Não quero mais escutar isso. Não quero.#

*Ele sai de frente da janela e caminha para a cama, mas involuntariamente acaba vendo a sua imagem refletida no espelho da parede. Percebendo que os seus lábios estão com um tom um pouco mais avermelhado que o normal*

#Parece até que estou com batom.# *ele esfrega a não nos lábios o que só faz com que a cor fique ainda mais forte, quase igual a que estava no sonho*

#Será que o Akito-san está bem?# *Ele volta a caminha até a cama e se deita de lado, olhando para a janela* #Por que será que ele teve uma outra crise? Fazia tempo que ele não tinha essas crises. Será que foi por minha causa?* Tal pensamento o faz virar para o outro lado* #Até parece que eu faço alguma diferença para ele. O Patriarca só deve lembrar que eu existo quando estou na sua frente#

by Kyo

37


-Estou entrando Akyy-chan.

*Ayame entra no quarto, mas se escondendo atrás de uma das almofadas da sala*

-O QUE QUER AYAME? *O patriarca estava sentada no tatame. As empregadas já tinham arrumado o quarto, e, por enquanto, não havia mais nada que ela podesse quebrar*

*Ele olha desconfiado para ela deixando aparecer apenas o olho direito*

-Hummm? Está de TPM, Akky-chan?

-SAIA DAQUI. *ela se levanta e joga a mesa na qual se apoiava para bem logo*

-GLUP, pelo visto a TPM está bem forte mesmo. hohoho. Dizem que comer chocolate nesses dias ajuda, mais também engorda... hohohohoho... E eu aposto que a nossa Akky-chan não vai querer engordar. Cruzesssss... Não consigo nem imaginar como seria a nossa patriarca gordinha. Hummm se bem que os gordinhos são sempre tão simpáticos e alegres. É quem sabe isso não acabe melhorando o humor da nossa garota? Vou mandar buscar os melhores chocolates....

*Ela vê que o rapaz não tinha se mexido nem um milímetro com o seu ataque de fúria, e acaba voltando a se sentar muito mais cansada do que antes no tatame*

#Por que que ele continua a falar essas coisas para mim? Realmente não me sinto nem um pouco a vontade com ele, é por isso que esse cretino se aproveita# *Ela levanta a cabeça e lhe olha muito fixamente*

#Não. Acho que eu sei o porquê que não sinto muito a vontade com ele. O Ayame é o único que me trata como uma mulher, e também sabe a verdade daquela mulher#

-O que quer, AA- YA-ME?

-Bem,... *ele se senta tranquilamente ao seu lado* ....O Guretti e o Haa-kun querem a sua permissão para saírem da sede.

-QUE VÃO PARA O INFRENO. NÃO ME IMPORTO COM NENHUM DE VOCÊS. QUERO QUE TODOS SUMAM DA MINHA FRENTE.

-Tá, vou lhes contar que o nosso patriarca deu autorização para que eles saiam da sede. E irem para o paraíso. Já eu irei ficar e fazer que coma muitos chocolates.

-E PODE SUMIR VOCÊ TAMBÉM.

*Ayame se levanta, e coloca a mão em sua cabeça*

-Akky-chan, posso te ajudar de alguma maneira? *O seu tom de voz é suave e calmo*

*ela levanta o olhar e depois volta a abaixar a cabeça*

-Me deixe apenas sozinho. Não quero ver ninguém hoje.

-Tudo bem. Estarei com os outros na casa do Shigure. O Hatori falou que qualquer problema é para o chama-lo.

-.....

*Ayame ainda lhe faz um cafuné na cabeça e sai do quarto*

#Vão todos ficar ao lado daquela sonsa. Até o Yuki está lá.# *ela se deita no tatame e fica em posição fetal* #Yuki..... se fosse você que me tratasse como mulher, eu não me sentiria tão estranha. O Ayame me faz sentir como se eu fosse uma aberração.#

by Kyo

36


# Neve nhã? #

* O médico olhou pela janela vendo a neve caindo e novamente olha para a jovem vestida num vestido de alças com uma blusa de frio por baixo, realçando o volume dos seios e marcando a cintura. *

# Ela é magra, possui as curvas não muito acentuadas. Não é o corpo de uma mulher bem desenvolvida, mas de uma mulher muito graciosa. Ela se tornará uma mulher muito mais atraente do que agora. #

* Sem se dar conta de seus pensamentos o médico sorri gentilmente olhando para ela e seu belo corpo e curvas suaves e sensuais. *

- Aconteceu alguma coisa enquanto eu dormia?

- Porque está perguntando isso, Yuki?

* O garoto olha para o médico e volta a olhar para Honda. Ainda estava atordoado com seu pesadelo e os acontecimentos do encontro com Akito. *

- Nada, devo estar confuso com o pesadelo que tive.

- Ah, Yuki-kun, então você também teve um pesadelo?

- Hum, parece que todos nós hoje não dormimos muito bem.

* Todos olham para Hatori imaginando se ele também havia tido um pesadelo. Mas como não foi feito mais nenhum comentário, todos tomaram o café da manhã em silêncio. *

- Eu vou tomar conta dos afazeres da casa agora! – a menina sorri enquanto recolhe as louças pra lavar

- Acho que irei até a base secreta!

- Yuki, você deveria descansar mais e não pegar esse frio. Será melhor do que ter outra crise respiratória agora.

* O menino concorda a contra gosto, não queria ficar em casa com o baka neko e seus pensamentos. Queria distrair com alguma coisa. O médico reparando como o rapaz estava inquieto vai até o telefone e faz uma ligação para a sede. *

- Sim, sim. Ele está melhor mais ainda vai precisar ficar de repouso, avise Akito-san por favor. Não, ficarei por aqui mais um dia, sim, está bem. Mantenham-no calmo. Sim, qualquer coisa me ligue na casa do Shigure e irei imediatamente. Sim, por favor peça ao Hatsuharu para vir, isso mesmo. Obrigado.

* Yuki ficou prestando atenção o tempo todo na conversa do médico ao telefone. *

# O que será que aconteceu com Akito-san? Tenho certeza que aconteceu alguma coisa. #

- Pronto Yuki, já pedi para que o Haru venha lhe fazer companhia.

- E... como está lá na sede? Não vai precisar voltar?

- Não, por enquanto não. Akito-san teve outra crise histérica mas não quer ver ninguém. Perguntou por você, mas como o seu estado de saúde não está bem, fique despreocupado não deixarei que Akito-san o force a voltar lá agora.

* O médico sorri e vai até o escritório do Shigure para ler algum livro, recomendando que o rapaz descansasse. Enquanto Yuki fica sentado na cozinha decepcionado. *

# Droga... mesmo depois daquele pesadelo.. eu queria saber se ele está bem? O que será que aconteceu pra ele ter outra crise? #

by Leandra

35


-Errr, mas se eu posso te chamar pelo nome ... você também tem que me chamar pelo meu!

-Hum? *O médico levanta o seu olhar para o rosto da menina*

-A lesada tem razão, Hatori *novamente o gato fala da sala*

*Ele não estava esperando por aquilo. Como iria conseguir falar Tohru? Nem em seu sonho ele a tinha chamado de Tohru. E novamente ele estava se lembrando do sonho, a imagem da garota dançando semi-nua neve fica nítida na sua frente*

-Bom dia. *O Yuki entra no cozinha esfregando os olhos e ainda mais confuso que o normal*

-Bom dia Yuki-kun.

-Pelo visto, não conseguiu dormir direito. *Hatori coloca a mão na testa do garoto para atestar se ele tinha febre*

-Tive um pesadelo.

- ahahahahahahahha, o mariquinha também caiu da caminha! ahahahah

*Yuki fecha a mão com raiva, se o possuído estivesse na sua frente, iria levar um soco bem dado no meio da boca, mas ele não estava a fim de ir até a sala para lhe dar esse corretivo, mas o mariquinha ainda estava ressoando forte em sua mente*

-Tohru, poderia fazer algo mais leve para o Yuki comer agora?

-QUUUEEE?? Você a chamou pelo nome? *Yuki quase cai para trás*

-Foi ela que me pediu, para a chamar assim. #Realmente deve ter soado muito estranho o Tohru em minha boca. Devo ter parecido como um velho tarado#

-Eu já estava preparando, Hatori. Ahh, e o que gostaria de comer no almoço? Faço questão de lhe preparar a comida que mais gosta, como agradecimento por ontem.

*Hatori lhe olha, e vê que a garota está com um sorriso de gratidão no rosto. Um sorriso que a deixa ainda mais bonita. Ele balança a cabeça, tentando mudar o seu pensamento, e resolve se sentar a mesa*

-Eu como de tudo. Não precisa se preocupar.

-Então irei fazer preparar um udon. creio que irá muito bem com esse friozinho que faz. *ela olha pela janela* -Vejam. ...vejam... tudo está tão branquinho lá fora. Olhem, como está nevando.

by Kyo

34


*Tohru não está com o seu sorriso matinal nos lábios. Na verdade está até um pouco abatida, mas na hora que escuta passos que descem a escada ela rapidamente veste um sorriso e se vira para ver quem foi levantou*

-Muito bom dia Kyo.

-O que você tem?

-Err... nada? Nada não por quê?

*ele caminha até a geladeira, a abre, pega a caixa de leite, dá um grande gole, a coloca no lugar, fecha a geladeira e se vira para a garota*

-Cê tá com uma cara horrível!

-Errr, é que... tive um pesadelo.

-Ahhh, é caiu da cama também?

-hãn?

-Sim acontece isso com as crianças... ahahahhahahahah

*o possuído sai rindo, mas ri mais da sua própria desgraça do que da menina*

-hunf.... #Eu não cai da cama.# *Tal comentário a deixa ainda mais deprimida* #Devo ser a criança em pessoa.# *ela dá um longo suspiro de desanimo*

-Está sentindo dor, Honda-san?

-UARGHHHHH. *Novamente a voz do médico a faz dá um grito de susto* -Me desculpe, Hato... SENHOR Hatori, estava tão distraída que nem percebi que o senhor estava aí.

*Ao perceber que a garota quase o chamou pelo nome ele fica um pouco corado, e lhe sorri*

-Pode me chamar pelo meu nome.

-NÃOOO... NÃO POSSO.... *ela começa a ficar toda agitada*

-E por que não sua lesada? Esse negocio de senhor, san é um tremendo saco! *Kyo mesmo estando na sala resolve participar da conversa*


-Mas a minha mãe sempre me disse para respeitar os.... *Ela se cala, ia falar os mais velhos, ela se sentiu a própria criança de cinco aninhos*

-Mas se não irá se sentir bem, pode me chamar de sen...

-... NÃO...não, se o senh... se você me disse que posso lhe chamar pelo nome, então o chamarei.... *ela dá uma respirada* -HA-To-rii....

*Escutar o seu nome vindo dos lábios da garota a fez parecer a mesma que aparecia em seu sonho. E o médico sem querer olha em suas pernas, mas não como um médico que procurava pelo ferimento, mas sim pelo homem que queria ver a neve derretendo em sua coxa*

by Kyo

33


- Ahhhh colegiais, colegiais lindas de minissaia... estou no paraíso das lolitas!!!!!

* Shigure desfilava saltitante em seu kimono habitual no meio de um colégio feminino sendo aclamado e adorado por todas. Entre elas Tohru, Arisa, Hanajima e outras colegas da classe da Tohru. *

- Ahhh o paraíso!!! Isso, isso minhas lindas lolitinhas venham para o titio aqui! O titio aqui vai ensiná-las coisinhas muito bonitinhas!!! Hihihihihihihihihi

* E todas rodavam e rebolavam em suas minissaias pregueadas com seus gritinhos histéricos de adolescentes para o total deleite do escritor. *

- Se não parar com isso, irei dessecá-lo vivo, Shigure. Já está na hora de você crescer.

- Ah... Haa-kun... quer brincar também?

- Shigure! – o médico o olha com um olhar sério, depois olha para as colegiais que o rodeavam. – Você realmente acredita que elas se interessariam por alguém como você?
- Venham senhoritas, eu lhes mostrarei o que é um homem de verdade!

* O médico estende a mão para as colegiais com aquele semblante sério de homem austero e charmoso que ele possui como ninguém. E todas vão silenciosamente e completamente enfeitiçadas até ele com as mãos estendidas para tocá-lo como a um deus grego. Tohru é a mais próxima dele, o médico envolve-a com um de seus braços deslizando em sua cintura levantando levemente a blusa. *

- Você tinha razão Shigure, eu irei roubá-la de você!

* E terminando de dizer isso beija a jovem em seus braços enquanto desliza sua outra mão pelas costas dela. *



* Shigure abre os olhos completamente desperto enquanto olha para o teto completamente estático. Respira fundo e tenta se levantar, ajeita o kimono e vai até a janela. Um calafrio faz seu corpo tremer e ficar com a sensação de que havia alguém respirando em sua nuca. *

- Droga.... estou com um mal pressentimento! – ele coça a cabeça – Bha... não preciso me preocupar com o Hatori... não existe alguém mais responsável e sério como ele. Ele jamais olharia dessa forma pra Tohru, ela é inocente demais até para ele.

# Mesmo assim... estou com a sensação de que to deixando alguma coisa escapar. Esse sonho realmente me incomodou... Haa-kun o terror das menininhas?! #

- HUAHAUHAUAHUAHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUHAU
- Não, sem a menor chance!
- HAUHAUAHUAHUAHUAHUA
- Quanta infantilidade a minha me preocupar com um pesadelo...
- HAUHUAHUAHU
- Ninguém mandou eu perturbá-lo tanto com isso!!... rs

* Barulho de coisas quebrando e gritos histéricos de Akito. *

- Hum... pelo visto Akkito também não teve uma boa noite de sono... a essa hora já está quebrando tudo. Ah... bem feito!!! Nada que ela não mereça! hihihihihihihihi

# Tohru... estou sentindo falta daquele sorriso bobo dela. Acho melhor voltar pra casa logo, não to confortável aqui.. ainda mais depois desse sonho... #

* Mais gritaria e quebradeira *

# Que tipo de sonho ela teve pra acordar tão nervosa? Será que ela vai se importar de eu voltar pra casa? Quero comer a comidinha da Tohru. #

* Ele dá um sorriso enquanto olha o jardim encostado na janela depois que a gritaria de Akito acaba. *

by Leandra

32


- Olha que linda ela vestida de noiva!

- Sim, ela está realmente linda, mas quem está mais bonito é o noivo. Ele resplandece naquele smoking preto... o cabelo dele realmente reluz.

- Tem razão! Mas aquele vestido ficou ótimo na Kana, veja como o decote realça o volume dos seios dela.

- É mesmo, ela tem seios lindos né. Faz um bom desenho.

* No jardim florido por cerejeiras, um banquete de casamento era dado, um grupo de mulheres comentavam sobre os noivos quando o Kami-sama entra no jardim. *

- Do que vocês estão falando? O que está acontecendo no meu jardim?

- Senhor patriarca? O senhor não sabe? É o casamento do senhor Yuki e da senhorita Kana.

- Como?! Do que vocês estão falando? PAREM ESSA PALHAÇADA TODA.

*Akito sai arrastando o kimono pelo jardim em direção aos noivos e aos demais dos doze signos e do resto do clã. *

- PAREM JÁ COM ESSA PALHAÇADA, O QUE PENSAM QUE ESTÃO FAZENDO? CASANDO? COM ESSA MULHER? O MEU YUKI? NUNCA!

* Ela empurra a noiva no chão e puxa a manga do smoking de Yuki trazendo-o para bem perto na intenção de abraçá-lo, mas é repelido pelo possuído do rato. *

- Seu Yuki, Akito-san? Como eu posso ser seu, Akito-san. Você é um homem assim como eu sou, não tem como eu ser Seu.

- ESTÁ ERRADO. VOCÊ É MEU, APENAS MEU.

* Akito tentava puxar desesperadamente Yuki para seus braços, rasgando o smoking dele e deixando seu kimono entreabrir.

- VOCÊ NÃO VÊ? EU NÃO SOU HOMEM, SOU UMA MULHER COMO ESSA AÍ. NÃO... EU SOU MUITO MAIS MULHER DO QUE ESSA DAÍ. VOCÊ NÃO VÊ? ESSA MULHER NÃO PRESTA.

* Yuki olhou para o kimono entreaberto de Akito com cara de quem não entendia alguma coisa. *

- Akito-san, você é uma mulher? Mais mulher do que a Kana? Ora, ora... eu não consigo ver. HAHAHAHAHAHAHAH

# Não ria de mim. Eu sou uma mulher sim. Não ria do meu corpo #

* Akito tentava fechar seu kimono enquanto olhava por entre lágrimas para o rosto frio e sínico de Yuki. *

- Ora Kami-sama, será que você conseguiria ser Mulher para mim? Se nem para você mesma consegue ser! Eu posso ser o ser ratinho, mas nunca serei o seu homem!hahahahahahahahahahah

- NÃO. VOCÊ É MEU!



* Akito levanta-se gritando. Estava vermelha de ódio e vergonha enquanto colocava suas mãos sobre os pequenos seios. Ela levanta-se rápido do futon e começa a quebrar tudo o que podia dentro do quarto enquanto gritava. *

- ELE É MEU, SUA DESGRAÇADA. VOCÊ NÃO VAI CONSEGUIR ME ROUBAR ELE. NUNCA MAIS, NUNCA MAIS VOCÊ VAI ENCOSTAR EM UM DOS MEUS POSSÚIDAS... VAGABUNDA

* Logo toda a casa começa a acordar com a gritaria e quebra-pau de Akito. *

# Você não pode, sua desgraçada... você não vai me roubar mais um. Não vai fazer com ele o que fez... de novo não. O Yuki é meu... meu precioso... meu ratinho. #

* Ela pára chorando de joelhos no meio do quarto novamente segurando os pequenos seios. *

# Eu sou uma mulher... uma mulher, Yuki. Por favor, me enxergue... por favor.#

by Leandra

31



-Hei Kagura. Estou falando com você!

*A garota o olha de cima até embaixo e vira o rosto com grande indiferença*

-MAS QUE DIABOS. O QUE TE DEU?

*Kagura continua caminhando sem olhar para trás*

-KAGURA. O QUE FOI? NÃO VAI CORRER ATRÁS DE MIM COMO SEMPRE FEZ?

*Ao escutar aquilo a garota pára e ao se vira não estava mais usando o uniforme do colegial que estava antes, mas sim um vestido preto até a altura dos joelhos, justo na região dos seios, e com um decote que revelava o tamanho exato dos seus seios. Ela estava com os cabelos um pouco preso e com um batom vermelho nos lábios*

-Ka-gu-ra?

*ela mais uma vez não fala nada e começa a caminhar até um rapaz que a segura e lhe beija*

-HEI.... SOLTA ELA.

*Kagura e o rapaz começam a dar gargalhadas enquanto conversam e a garota aponta para o garoto, mas ele não consegue escutar o que dizem.*

-POR QUE ESTÃO RINDO?

*O rapaz que está com a Kagura começa a passar as mãos em sua bunda*

-PÁRA COM ISSO! SOLTA ELA. SOLTA!!!!!

*Kyo tenta ir até eles mais não consegue sair do lugar. A garota agora olhando rindo ainda mais para ele*

-SOLTAAA A MINHA NOIVAAAAA!!!!! *


-Arf.... ARFFF.......ARFFFF.... *Kyo abre os olhos e fica olhando para o teto* #Que sonho mais louco!#

*O possuído coloca o braço em cima da cabeça e está com o coração bem acelerado*

-Mas que merda de pesadelo foi esse? *ele fala bem baixinho* -eu deveria era ter ficado feliz de ver ela com outro.

*Ele joga o cobertor para o lado e fica sentado na cama*

#Foi muito estranho ser ignorado por ela.# *ele coloca a mão no coração, sente que está muito agoniado* #Será que algum dia ela irá me ignorar?#

by Kyo

18/04/2008

30


- Olha, olha senhor Hatori!!!!

- O que foi, Honda-san?

- A neve!!!! Ela está derretendo e pingando... veja como ela escorre!!!

* A garota parou embaixo de um galho aonde a neve derretia e pingava sobre sua coxa branca à mostra, enquanto ela puxava a saia até o quadril. Foi quando o médico reparou que a jovem estava descalça, de cabelos soltos e com um casaquinho de linha com os primeiros botões abertos, revelando um colo delicado e sinuoso. *

# Céus... nunca havia reparado que ela já possuía um corpo de mulher que chamasse a atenção dessa forma. #

* O médico limitou-se a olhar para a jovem e acompanhar as gotas da neve que escorriam por sua coxa e seios. *

- Senhor Hatori, você não está com calor? Porque não tira o casaco? Venha, venha, a neve está derretendo com o calor do meu corpo.

* O médico não sabia como reagir, tirava o casado devagar enquanto a jovem se despia no meio da neve e sorria com a maior inocência do mundo, como algo puro e branco como a própria neve que derretia e fazia aquele branco todo parecer escorrer do corpo dela. *

- Eu não disse Ha-chan, que você ia querer roubar ela pra você? Eu não disse? Ah... juventude, esse corpo tenro, essa pele macia, esse cheiro de inocência. Eu sempre te disse Ha-chan que você uma hora não resistiria.

- Shigure, eu não! Você está errado! Eu jamais iria me envolver com uma menina, ela é só uma criança. Eu não sou como você.

- Ah... assim eu fico magoadinho Ha-chan. Olhe, olhe! – apontando para a jovem que dançava semi-nua na neve. – Ela realmente lhe parece uma criança, Ha-chan?



- Não, eu Não!

* silêncio *

# O que foi isso? Não pode ser? Como eu fui ter um sonho desse nessa idade, e ainda por cima com a senhorita Honda? Droga!#

* O médico joga o lençol pro lado, se levanta acende um cigarro e se apóia na janela olhando pro dia claro lá fora.*

- Isso só pode ser uma maldição daquele cachorro sarnento. Só pode!
# Como eu pude sonhar com aquilo? Como é que eu posso acordar nesse estado? Perdão Honda-san! .... #

* ela dá longas tragadas ficando perdido na fumaça do cigarro que soltava. *

# Eu nunca nem sequer reparei no corpo dela, nunca me passou pela cabeça prestar atenção nesse tipo de coisa com uma colegial. Isso é natural praquele pervertido do meu primo. Eu nunca reparei nem nas roupas dela quanto mais em como o corpo dela é. Acho que fui afetado pelo quarto fedorento daquele cachorro, e pela timidez dela ontem a noite #

* Hatori imediatamente lembra da perna branca e lisa da Tohru e do pesadelo que teve, dá um longo suspiro e apaga o cigarro. *

# Acho que Shigure criou um monstro. De tanto ele me encher a paciência até eu estou tendo pensamentos com colegiais. Preciso de férias. #

by Leandra

29


- Sozinho... docemente sozinho, meu ratinho.

* Yuki se encontrava deitado numa manhã cinzenta em uma das varandas que dava para o jardim da casa de Akito, enquanto a neve caía silenciosa. *

- Akito-san o que você..

- Shiiii... meu ratinho, quetinho. Seu corpo todo está roxo, deixe-me esquentá-lo meu pobre bichinho.

* Akito comprimia os lábios de Yuki com um de seus dedos, enquanto escorregava seu corpo por sobre o dele, de kimono aberto mostrando a alva pele de seu peito liso. Yuki tentava se afastar mas não conseguia, ficando sobre o peso do corpo de Kami-sama que se aproximava ainda mais do rosto dele. *

- Eu irei esquentar o seu corpo, meu bichinho. Vou esquentar sua pele fria e sua vida sem graça. Você me pertence por completo agora.

* Akito falando isso tira o dedo sobre os lábios de Yuki, que completamente vermelho e entregue, esperava por aquele tão ansiado beijo. *



- NNNNNNNNNÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

* O grito ecoou pelo quarto, Yuki tremia todo e estava completamente molhado de suor. Respirando com dificuldade e extremamente assustado. Olhava sem direção para seus pés sobre o cobertor tentando desesperadamente afundar sua existência no nada. *

- Que... espé..cie... de ... son... nho... foi... esse... eu... eu...
# eu realmente desejei aquele beijo? Deus o que está acontecendo comigo? Será que eu sou uma aberração? Aquele corpo tão liso e tão branco quanto o meu... sobre mim... não... #

* Ele desesperadamente coloca as mãos em sua cabeça, tentava respirar, mas se preocupava mais em esquecer aquele sonho do que recuperar sua respiração. *

# Não. Eu não desejei isso... foi só um pesadelo... conseqüência dos caprichos daquele kamisama maluco... foi só um pesadelo... não sou eu que desejo isso... ele é um homem... eu nunca nem olhei pra um... não... Está errado... eu acho a Honda linda... sim... ela é linda... isso pense na Honda... pense na Honda e respire... pense na Honda e respire calmamente#

by Leandra

28


-Kyoko? Kyoko...

-S-senhor Shigure?! O quê...

-Vamos, Kyoko. Venha.

*Tohru olhou em volta e viu-se no corpo de sua mãe*

#Oh, não! O senhor Shigure pensa que sou minha mãe! Preciso avisá-lo...#

-Senhor Shigure, eu na verdade sou...

-Senhorita Honda!!

-Ah... Senhor Hatori!

-Hatori, o que quer com a Kyoko?

-Ora, Shigure, o mesmo que você.

-Hum... E quem disse que ela quer você?

-S-senhor Shigure, espere um momento, eu não...

-Shigure, tenho certeza que ela preferiria ter a mim à você!!

-Ora Hatori...

-Senhor Hatori, Senhor Shigure, esperem, eu...

-Ei, Hatori, espera um pouco; Essa não é a Kyoko. É a Tohru.

-Ah... Então esqueça. Ela é uma criança, ainda.

-Sim, é uma criança...

*Enquanto Shigure e Hatori se afastavam, Tohru acordou em um salto*


-Ah!! *Tohru olhou em volta, constatando que já estava acordada* Que sonho mais estranho... *Tohru corou ao lembrar-se do sonho*..... #Será que sou tão criança?#

*A garota levantou-se da cama e trocou de roupa, parando um momento, após despir-se do pijama, para examinar a perna machucada - estava roxa, e doía o toque. Tohru lembrou-se de quando Hatori examinou-a, e lembrou-se também da vergonha que sentira naquela hora* #Devo ter parecido uma bebê para o Hato.... Senhor Hatori#
*Após se vestir, Tohru desceu até a sala*

by Olivia

27


Tlintlim tlimmm, tlinnnn tlim
*O frio vento de inverno faz com que o mensageiro do vento da garota toque uma melodia bem calma*

#Quem diria. Acabei vendo o senhor Hatori por duas vezes hoje. E ainda por cima, acabei sendo examinada por ele.#

*Ela ainda fica um pouco envergonhada ao se lembrar das mãos do médico em sua perna*

-Nhaaa.... *ela sem querer acaba soltando um gritinho, mas logo coloca a mão na boca*

#O que foi isso?# *ela tira a mão da boca e cobre toda a cabeça com o cobertor* #Humm, será que as mãos do senhor Shigure são tão grandes como as do Senhor Hatori? Estou com saudades dele. Desde que vim morar aqui, essa foi a primeira vez que ele ficou fora de casa. Nem tive tempo de perguntar por ele.#

*ela se descobre e fica olhando para a janela*

#Tenho que pensar em algo bem gostoso para preparar amanhã para o senhor Hatori, como agradecimento. Mas nem sei ao certo quais são os gostos dele. Os do senhor Shigure já sei de cor.#

*Ela começa a pensar no que sabe de cada uma da casa e fica espantada quando se dá conta de que sabe muito mais coisas sobre os gostos do escritor do que dos garotos.*

#Não imaginava que sabia tanto sobre ele. Gostaria de saber mais sobre o senhor Hatori também, mas não posso chegar e ir perguntando, ele poderia me achar uma intrometida.#

*Ela se vira na cama* #será que a kagura-chan conhece os gostos do Hatori?#

Zupt

*Tohru se senta na cama e coloca as mãos nas bochechas*

#HATORI? EU PENSEI ISSO MESMO? Que vergonha. Nem em pensamentos posso ser tão intima assim deles#

*ela volta a se deitar*

#Tenho que parar de ficar pensando nessas coisas. Nunca irei encontrar um amor como o da mamãe.#

*ela se vira para o outro lado da cama*

#A mamãe era demais mesmo. Conseguiu conquistar o papai, que era oito anos mais velho do que ela. Como será que ela conseguiu chamar a atenção do papai?#

*Tohru começa a se lembrar das várias histórias contadas pela mãe e pela Arisa e acaba pegando no sono*

by Kyo

26


#Estou me sentindo um tarado agora. Nunca pensei nessas coisas, enquanto examinava alguém. Isso deve ser conseqüência do meu convívio com o depravado do Shigure#

*Hatori caminha até a janela, onde vê que a neve continua a cair, mas logo escuta o Yuki entrando no quarto*

-Está respirando melhor?

-Sim. *ele se deita e o médico caminha até ele* -Como está a Honda-san?

-Foi apenas uma luxação, nada de grave.

-A senhorita Honda é muito estabanada.

-Ela se machuca sempre?

-E como. Acho que ela deveria morar na sua casa... ahahahahha

*Hatori fica um pouco sem graça com o comentário, mas o Yuki nem percebe, enquanto desabotoava a parte de cima do pijama para ser examinado*

-O seu físico mudou muito pouco durante esses anos.

-É... *Yuki fica super constrangido com o comentário. Sabe que o médico não o fez por mal, e ele era a única pessoa para quem ele ficava um pouco mais a vontade de ficar sem a camisa, mas nos últimos dias, ele estava se sentindo mais complexado do que nunca* -Hatori.... não teria algo que pudesse me receitar.... para mudar um pouco o meu corpo?

-Yuki, isso não se muda com remédios. Essa é a sua constituição física, lembra-se que começou a treinar com o senhor Kazuma exatamente para mudar o seu corpo.

-Sim, mas também não deu certo. Continuo com..... *ele ia falar "Carinha de menina", mas se cala quando vê o Kyo passando pela porta e indo para o quarto da Tohru*

#Ele ainda continua complexado# *Hatori o examina para ter certeza que a crise está realmente controlada*

-Não se preocupe tanto com isso. #Se bem que o Ayame era igualzinho a ele e não mudou nada mesmo depois de adulto# - Agora trate de descansar também. passarei a noite no quarto do Shigure. Qualquer coisa me chame.

-Sim. *O garoto começa a fechar o pijama e o médico sai do quarto*

-Bem, vou dormir também, antes que você precise me examinar. *Kyo estava esperando que ele saísse do quarto*

-ahah, obrigado. *Hatori entra no quarto do Shigure*

by Kyo

25


* Tohru se deita na cama enquanto que Hatori puxa uma cadeira pra perto dela. *

- Aonde exatamente está doendo, Honda-san?

- Aqui... – ela coloca a mão sobre a parte interna da coxa direita.

* O médico a olha sério enquanto ela disfarçava a cara de dor. *
- Honda-san, vou precisar que você tire a meia e levante a saia até aonde doi, para que eu possa examinar a sua perna.

* Tohru ficou imediatamente corada sem saber o motivo, mas retirou a meia 7/8 da perna direita para que o médico pudesse examinar. *

# Ela é realmente inocente, ficou corada apenas porque pedi para examinar sua perna diretamente. Pensei que não haviam mais garotas assim nessa idade. #

* Hatori começou a examinar a perna da menina com as mãos verificando se havia alguma luxação ou coisa mais grave. *

# Como as mãos do senhor Hatori são grandes... e também são quentes.#

* Tohru teve um leve estremecimento e ficou ainda mais vermelha, fazendo o médico parar imediatamente o exame e olhá-la. *

- Está doendo muito, Honda-san? É aqui que a dor é maior?
- Sim.. é aí que está doendo sim ... – completamente sem graça.

# Que arrepio foi esse que tomou meu corpo, uma coisa quente e estranha, mas agradável. Com as mãos do senhor Hatori na minha perna nem to sentindo mais tanta dor... e sim uma coisa estranha. #

- Pronto, Honda-san. Você teve apenas uma pequena luxação, nada de grave. Fique em repouso e coloque o gelo que o Kyo irá trazer, use uma toalha pra não machucar sua pele. Amanhã você deve estar mancando um pouco ainda, mas estará melhor.

* Ele pára um instante olhando pra garota que estava completamente envergonhada e sorri de um modo gentil. *

- Não precisa se preocupar, Honda-san, afinal posso dizer que também sou o seu médico. Então não precisa se envergonhar!

# Ela realmente é diferente das outras garotas, não é a toa que aquele depravado vive brincando em torná-la sua lolita. Até mesmo porque ela é muito bonita, meiga e tem uma pele muito lisinha. #
* Ele se assusta com o seu pensamento e fica vermelho, imediatamente ele vira as costas mexendo em sua maleta médica para que a garota não perceba. *

# O que foi isso agora? Estou parecendo o Shigure, que vergonha ela é só uma menina. #

- Nhã ... senhor Hatori, er... obrigada!

- Não se preocupe, você é uma pessoa muito importante pra essa família, então cuide-se também, Honda-san.

- Tá! - ela lhe sorri com aquela cara de boba e ele lhe sorri de volta.

- Estarei esperando o Yuki no quarto dele para examiná-lo, qualquer coisa pode chamar. O Kyo já irá trazer o gelo pra você, aproveite e descanse.

- Obrigada, senhor Hatori.

* Ele volta a olhar pra ela e sorri novamente tentando não pensar nos últimos e estranhos pensamentos que teve e vai para o quarto do Yuki. *

by Leandra

24



*Tohru olha para o Kyo e Hatori que estão na sala e depois para o Yuki que está parado a poucos degraus acima dela e com os olhos cheios de lágrimas fala*

-glup não doeu.... *ela fecha a boca por causa da dor* -aii, não está doendo...

-PÁRA DE MENTIR, SUA LESADA. TÁ NA CARA QUE ESTÁ DOENDO.

*Finalmente o garoto sai do kotatsu e corre até a escada, mas o médico chega antes dele*

-Onde está doendo, Honda?

-ai... não... não está doendo.. *ela sorri com os olhos cheios de lágrimas*

-TÁ NA SUA CARA QUE ESTÁ DOENDO, SUA TONTA.

-Você consegue ir até o seu quarto?

-QUE MERDA... NÃO PODEMOS NEM PEGAR ESSA DOIDA PARA LEVAR ATÉ O QUARTO.

-Pára de gritar, Baka Neko. *Yuki tão pouco estava em condições de ajudá-la*

-Eu.... eu consigo sim. *ela com um pouco de dificuldade consegue ficar em pé e se apóia na parede. Ao ficar em pé sente um pouco mais de dor na coxa direita.*

-Me dê a sua mão. *Hatori estica a mão e a garota se segura nela*

*Aos poucos Honda consegue subir os degraus, chegando até o quarto*

-Yuki, trate de tomar um banho e me espera no seu quarto. Vou examinar a Honda-san.

*O médico olha para o gato que estava bem atrás deles* -Kyo, pode me trazer um pouco de gelo?

*O garoto afirma que sim com a cabeça e desce para a cozinha*

-Mil desculpas senhor Hatori, por te dar esse trabalho. *ela acende a luz do quarto e os dois entram*

-Não se preocupe. É melhor que se deite para que eu veja onde dói.

by Kyo

17/04/2008

23


*Tohru esperava toda aflita na sala, andando de um lado para o outro, enquanto que o Kyo permanecia calmo no kotatsu.*

-Tudo isso foi culpa minha.

Tap tap tap *ela caminha até perto da escada*


-Se tivesse insistido para que os senhores fossem para a sede Tap tap tap

*ela volta a caminhar até a porta da cozinha* Tap tap tap -O senhor Patriarca não ia ter tido a discussão que teve com o senhor Yuki. Tap tap tap *Ela caminha agora até o kotatsu*

-Pára de andar de um lado para o outro, estou ficando tonto.

*Ela senta-se no sofá mas não consegue nem ficar um minuto sentada e ZUPT volta a ficar em pé*

Tap tap tap

-Iiiiikhhhh.... *ela solta um gritinho de desespero* - O senhor Ayame falou que a briga dos dois foi tão feia. Que quase que o patriarca cortou as pernas do Yuki. Que os dois saíram nos tapas e que o senhor Ayame teve uma grande dificuldade de separar os dois, Podre senhor Yuki, e a culpa foi toda minha... minha...

BLAMMM

*Tohru corre desesperada para perto da porta e vê o Yuki entrando*

-Senhor Yukiii... Está doendo muito?

-Doendo?

-Sim, o senhor Ayame falou que o senhor saiu nos tapas com o senhor Patriarca.

#Antes fosse uns tapas.# *Yuki coloca a mão no rosto envergonhado*

*Kyo limita-se apenas a olhar para o possuído e não fala nada*

-Ele precisa descansar agora.

-UARGH. *A voz do médico, acaba assustando a garota, ela, estava tão apavorada com a história inventada pelo Ayame que nem tinha percebido que o possuído estava ali* - Senhor Hatori, boa noite.

-Olá novamente. Vamos Yuki. Trate de tomar um banho bem quente, e já irei lhe medicar antes de dormir

*Yuki começa a subir as escadas com um pouco de dificuldade e quando a Tohru percebe ela sai correndo para subir as escadas*

-Eu irei lhe ajudar a subir. *Porém, na pressa de subir os degraus, a garota acaba tropeçando nos próprios pés que a faz cair feio na escada* -AIIIIII.....

by Kyo

22


-Yuki... Yuki?

#Que voz é essa? Está tão distante... Chamando por mim...#
*A voz aos poucos foi ficando mais alta, e mais alta. Yuki acordou e percebeu que Akito gritava para acordá-lo*

-YUKI!!

-O-o que foi?! *Dessa vez, Yuki não demorou a perceber que estava despido, e cobriu-se logo*

-.... *Após alguns instantes, Akito se recompôs* Você estava desesperado. Gritava "Sozinho não!! Sozinho não!!".... Hahaha! Eu causo mesmo esse efeito em você, não é, Yuki? #Que bom. Eu consegui fazer-me necessária... Ele sabe que não vive sem mim# Você é tão solitário assim, Yuki? *AKito dizia isso com um sorriso no rosto*

*Envergonhado, Yuki baixou a cabeça* #Hoje, só me mostrei mais ridículo ainda.#
-Desculpe-me por incomodá-lo, Akito-san. Peço sua licença para que eu possa me vestir.

-Claro, claro, Yuki... Mas não tem medo de ficar sozinho? Hu, hu, hu... *após dizer isso, Akito deixou o quarto*

-Por favor, Akito... Não ria..........

( ̄▽ ̄)"

*Após se vestir, Yuki saiu do quarto e encontrou-se com Hatori, que estava a sua espera. O médico contou-lhe que a senhorita Honda reagira com desespero quando disseram que Yuki talvez precisasse passar a noite ali na casa Sede por causa de sua crise. Então, decidiu-se que Hatori ficaria na casa de Shigure para cuidar do rato*

-Heh... A Honda vai ser sempre a Honda, não é? *sorriu Yuki, tentando afastar os pensamentos referentes à Akito de sua cabeça*

-Pois eu acho muito gentil da parte dela. *Hatori deu um sorriso quente*

-Pois não vá se apaixonar, hein, Haa-san? Haha!

-Shigure, vá ficar com Akito antes que ele se desespere! E pare com brincadeiras.

-Calma! Só vim me despedir.

-Então se despediu.

*E, enquanto Hatori se afastava com Yuki a seu lado, Shigure, rindo, gritou* -Não vpa roubar a Tohru de mim, hein? Hahaha!

( ̄▽ ̄)"

*Enquanto isso, na sala onde estavam todos os outros, Akito, sentada no canto, não falava com ninguém. Pensava apenas, com uma ponta de ciúmes, em seu rato, e imaginava se ele também pensaria nela*

by Olivia

21


*Com dificuldade, Yuki levantou-se. Queria sair rápido dali, mas não conseguiu dar mais que alguns passos sem cambalear. Estava muito mais confuso e abalado do que doente.*

#Akito é homem! Homem, pelo amor de Deus! Pelo amor de.... Deus# *Yuki olhou para o caminho que Akito seguira e notou que o Deus ainda o olhava às escondidas*

-Meu querido irmãozinho, está se assemelhando a um zumbi! Devo ajudá-lo a concluir seu objetivo de deixar esta sala com todo meu empenho!!

-Ah, não preci...

-Vou chamar o Haa-san! *Ao dizer isso, Ayame deixa o pátio*

-Porque será que eu tinha certeza que isso ia acontecer?! Esse meu irmão idiota...

*BLAM!*

*O barulho assustou Akito, que deu meia volta para ver o que acontecera. Encontrou Yuki caído*

#Agh, que desânimo. Devo estar ridículo desse jeito... Não consigo me levantar. É como se todo o peso do mundo estivesse sobre mim... *O rato ergueu os olhos e fitou Akito* Akito, não ria, não ria, por favor.*

-Por favor, Akito... *Sussurrou Yuki, num som inaudível*

-Yuki, você está bem...?

*Ao olhar para a momentânea expressão preocupada de Akito, Yuki corou - e isso, somado ao seu desânimo e à sua crise, o fez se transformar*

-Yuki! *Este foi Hatori, que acabava de chegar*


( ̄▽ ̄)"


*Yuki foi levado até um dos quartos e posto na cama. Apesar de insistir que estava bem e que ia voltar para a sala assim que se destransformasse, mal deitou sua pequena cabeça de rato no travesseiro, adormeceu.*
*Na sala, todos conversavam*

-Foi o frio, provavelmente. *Constatou Hatori* O Yuki estava corado e com os lábios roxos.

-Oh, meu digníssimo Haa-san está agindo como um excelente doutor!

-Não é pra tanto, Aaya. O Haa-san só precisou olhar pra cara do Yuki pra saber ! Haha, ele estava um mármore!

-Sim, o Shigure está certo. Quando se é pálido, essas coisas ficam mais evidentes. Akito, com frio, fica igual.

-Falando nisso, onde estará Akito?

-Por incrível que pareça, está lá tomando conta do Yuki! Ha! Espero que ele não esteja tramando nada! Haha

by Olivia

20


*Akito se assusta quando o rapaz cai de joelhos no chão. Yuki está respirando com muita dificuldade*

-Yuki? Yuki... *Akito se abaixa e levanta os finos fios de seus cabelos de cima dos seus olhos*

*Yuki levanta o seu olhar e vê que o rosto do patriarca está a poucos centímetros do dele e a crise fica ainda mais forte*

#Já nem me lembro quando foi a última vez que o vi tão preocupado comigo assim?#

-Está tendo um ataque, não é? Vou chamar o Hatori.

-Não. *Ele o segura pela mão e o impede se levantar* -Já está passando.

*Akito volta a olhar novamente para os lábios do garoto* #Eu quase o beijei.#

*Yuki começa a respirar um pouco melhor, mas não consegue desviar o seu olhar do rosto de Akito, que ainda está olhando para os seus lábios sem se dar conta que o rapaz está olhando para ela*

#Por que não consigo ficar incomodado pelo fato dele está olhando assim para a minha boca?. Por que estou sentindo essa vontade de beijá-lo?#

*Quando o possuído se dá conta de seus desejos, ele fica imediatamente corado e se levanta rapidamente, tal ação o faz sentir um pouco de tontura e ao percebe que o garoto estava a ponto de cair, Akito o segura em seus braços*

-O que deu em você, Idiota? #Droga, novamente o chamo assim.#

*Yuki sente o perfume de Akito vindo de seu quimono, e sente novamente que o seu corpo está todo arrepiado*

#O que está acontecendo comigo?#

*Ele se afasta do patriarca, mas ainda sentindo os últimos sinais da crise, enquanto fala com um pouco de dificuldade* -O... obri...gado Akito-san..

-Akyy-san? Ah, vocês estão aí? *Ayame finalmente os encontra* -O que aconteceu? Por favor Akyy-san, não maltrate o meu irmãozinho por ele não ter vindo ontem. Pode me bater no lugar dele. Mas desde que me bata de levinho, não posso ficar com machucados em minha pele branca e delicada.

-Cala a boca Ayame! E você trate de falar com o Hatori. *ela volta para a sala deixando os dois no pátio*

by Kyo

19


*Ele percebe que Akito olhava fixo para sua boca, enquanto seu dedo deslizava em seus lábios e a outra mão apoiava-se em seu ombro.*

#O que é isso? Essa sensação quente em meu corpo, minhas pernas estão começando a tremer, se ele chegar mais perto...#

- E-eu devo es-estar com-com frio... a-acho que de-deve...

- Shiiii

* Akito coloca seu dedo em cima dos lábios dele com uma leve força, e esse contato mais forte fez todo o corpo de Yuki se arrepiar. *

#Como os lábios dele são macios e delicados, tão inocentes, tão assustados. Como eu os desejo nesse momento.#

* Akito aproximou seu rosto do de Yuki enquanto o menino confuso e desesperado não sabia o que fazer, seu corpo não rejeitava aquela aproximação como deveria. *

# Ele não pode ta pensando nisso... não pode ser sério... ele é homem como eu sou homem... por que? Por que não consigo rejeitá-lo.. por que sinto esse calor aqui dentro? Alguém... por favor me salve. #

* Blamm *

by Leandra

18


*Assim que o Yuki sai da sala, todos voltam a conversar como estavam antes, porém, agora o Haru está praticamente a falar sozinho, os pensamentos de Akito estão bem distantes dali*

#Que droga! Eu havia me prometido que não seria mais tão rude com os possuídos, mas não agüentei, ainda mais quando ele abriu a boca para falar daquela menina sonsa.#

*Akito abaixa a cabeça sem se dar conta que o Haru ainda está falando com ela*

#Mas se ele veio só por obrigação, por que ficou com aquela cara? Tive até a sensação de que ele estava chorando.Ou será que não veio por mera obrigação?#

*Akito sem mais nem menos se levanta e deixa o Haru falando sozinho e sai da sala*

-Uéé? O que será que deu nele? *O boi começa a coçar a cabeça* -Mistérios.

#Onde será que ele está#

*Akito fecha a porta da sala sem saber que rumo tomar, até que sente um vento frio vindo pelo corredor e vê que uma das portas que levam ao pátio estava aberta*

-Sozinho, Yuki... Sempre sozinho.

*Yuki levanta a cabeça espantado e novamente sente aquelas palavras entrando como se fossem um punhal*

#Mas o que ele veio fazer aqui?#

-O que veio fazer aqui?

*Yuki não consegue continuar a olhando e abaixa a cabeça olhando para o chão branco com a neve* #Acabei de fazer a mesma pergunta.# -E-eu não estava me sentindo muito bem lá. A-acho que foi o cheiro do cigarro...

-Perguntei o que veio fazer aqui na sede hoje, seu idiota! #Droga! Não deveria ter o chamado de idiota.#

-E-eu já falei. Vim me desculpar.

*Akito percebe que os lábios do garoto estão ficando um pouco roxos por causa do frio e se aproxima dele. A cor daqueles lábios em contraste com a pele alva do garoto a faz passar delicadamente o dedo sob os seus lábios*

-Está com a boca toda roxa.

*Aquele toque inesperado faz com que o rapaz sinta como que uma corrente elétrica estivesse tomando conta do seu corpo, e ele sente que aquele dedo macio a passar delicadamente sob o seu lábio está também esquentando todo o seu corpo*

by Kyo

17


*Yuki caminhava muito pensativo para a sala*

#Sim, é isso mesmo! O que sinto por Akito-san é o amor que sinto pelo fato de ser o deus dos possuídos. Aposto que todos sentem o mesmo por ele. Só pode ser esse tipo de amor.#

*Yuki passa uma vez mais a mão nos olhos e entra na sala, mas ao olhar em direção a Akito-san o seu coração ficou um pouco apertado, ele suspira e coloca a mão em cima do peito*

#Calma, isso é medo! Ele acabou de ser muito rude comigo, e estou com medo dele fazer a mesma coisa na frente dos outros. É por isso que estou sentindo esse aperto, essa tristeza dentro de mim.#

*Ele volta a se sentar ao lado do Ayame, Shigure e Hatori, e de fato, ninguém havia notado em sua ausência.*

#Precisava ele ter sido tão rude como foi comigo? Odeio quando ele fala que é o nosso dono.#

*Yuki permanece ausente de tudo que está acontecendo em sua volta. Todas aquelas risadas, músicas e vozes, nada chamava a sua atenção. Ele estava remoendo cada uma das palavras dita por Akito.*

#Depois de tantos meses sem nos vermos e ele me trata da mesma maneira que sempre me tratou, frio e distante. Mas o que eu estava imaginando também? Que ele falaria que sente a minha falta, que gostaria que eu voltasse a morar na sede?#

*Yuki engole a seco e olha em direção do patriarca que agora está conversando com o Haru*

#Sim. Era exatamente isso que eu queria escutar.#

*O possuído pelo espírito do rato sente que está a ponto de chorar novamente e ao se levantar rapidamente do tatame, acaba esbarrando a mão em uma mesa de canto derrubando o vaso com flores que ali estava, imediatamente todos olham para ele*

-Me desculpe. *ele sai correndo da sala, antes que alguém se percebe que ele estava chorando*

#Não posso ficar assim. Não posso! Porque fico imaginando essas idiotices? Tenho que me convencer de vez que o amo apenas porque é o nosso deus. Ele é um homem assim como eu. Não posso gostar dele de outra maneira, não posso!#

by Kyo

16


*Tohru se levanta num pulo da cama e faz uma cara de enfezada diante do espelho*

-Que vergonha Tohru Honda. Antes de vir morar aqui, a senhorita achava que o Yuki-kun era o príncipe encantado, por pouco não entrou no Prince Yuki, e agora está pensando quem é o mais bonito entre o senhor Hatori e o senhor Shigure?

-Engraçado, nem eu sei essa resposta!

-ARGGGGHHHHHH *Tohru coloca as mãos em cima dos seios, mesmo estando vestida com o sutiã, ela sentia vergonha de ficar daquele jeito na frente de alguém que não fosse a sua mãe, a Uo-chan ou a Hana-chan*

-ahahahahahah, que bonitinha, ela tem vergonha de ficar sem roupa na frente dos outros.

-Ka-kagura-chan. *Na verdade ela não sabia se ficava mais envergonhada pelo o que a garota tinha escutado, ou por que ela estava de sutiã*

-Me desculpe Tohru-chan, subi para me despedi, mas deveria ter batido na porta antes de entrar.

-Tudo bem.

-Mas é o Kyo? Você não o achou bonito?

*Tohru fica um pouco encabulada com a pergunta*

-Errr, bem.... que.....e-eu achei sim...

-ahahahahahah, ainda bem. Por que ele é o mais lindo dos Sohmas. ahahahah

*Tohru senta-se na cama*

-A Kagura-chan é realmente muito apaixonada por ele, né?

-Sou sim. *A possuída também se senta* -Desde que éramos crianças. Mas sinceramente, ainda não sei o que ele sente por mim. Às vezes acho que gosta, outras acho que não.

-É uma pena que o Kyo não seja do tipo que fique falando dessas coisas, por que senão eu poderia perguntar.

-Esquece, ele não falaria nem com tortura. Mas um dia ainda irei descobrir. *ela se levanta* -Tenho que voltar para a sede. Obrigada por me ajudar com a Kisa-chan. Aposto que vocês irão se dar muito bem.

-Eu vou torcer muito para que sim.

*As duas garotas se despedem com um beijo no rosto, e Tohru acaba de pegar as coisas para ir tomar banho*

by Kyo

15


*Tohru fica sorrindo ao ver a reação do garoto*

-É, parece que o Akito-san quer ver todos os possuídos longe da sede.

-Eu não sei o que aconteceu com ele, mas de um tempo para cá, ele está mudado. Disse que quer ver como iremos nos comportar tendo um pouco de liberdade, mas se fizermos algo que lhe desagrade sermos punidos por isso.

-E será que o Yuki-kun não será punido por não ter ido a festa de ontem? *A preocupação da garota fica vísivel em seu olhar.*

*Kagura abaixa a cabeça* -Sinceramente eu não sei. Se fosse em outros tempos eu teria certeza que sim.

-E você? Não terá problemas por ter passado o dia de hoje por aqui?

*Kagura o abraça bem forte pelo pescoço*

-Nhaaaaa, o meu Kyun está preocupadinho comigo...

-ME LARGA, KAGURA.

*Tohru percebe que estava atrapalhando na sala e se levanta do kotatsu*

-Bem, vou tomar um banho quente. Estava muito frio hoje.

*Ela sobe as escadas ainda pensando no Yuki*

#Será que ele irá dormir lá? Eu deveria ter insistido para que eles fossem para a sede. Ai Aiii Aiiii. Espero que esteja tudo bem com o senhor Yuki#

*Tohru entra no quarto e imediatamente se lembra da frase dita pela Hanajima*

#Até parece que o senhor Shigure me deu essa cama tão grande com segundas intenções.#

*A garota caminha até os pés da cama e fica parada olhando fixamente para o objeto, depois dá um suspiro e começa a se despir*

#Como será que a mamãe conquistou o papai? Ela ainda era uma estudante do ginasio quando eles começaram a se gostar#

*Ela se joga na cama tentando dá um abraço na mesma*

-Nhaaa..... Mas a mamãe era tão diferente de mim. Nem a Uo-chan acreditou que eu era a filha da borboleta escarlate.

*Ela que estava com o rosto afundado nos travesseiro vira o rosto e olha em direção a janela*

#Mas que o senhor Hatori estava muito charmoso, isso ele estava. E que estava parecido com o senhor Shigure, também estava.#

-Errr, eu não sei qual dos dois eu acho mais bonito.

by Kyo

14


*Akito passa pelo possuído como um vento frio do inverno, abre e bate a porta em seguida. Tanto o barulho da porta, quanto as últimas palavras do patriarca, ressoam na cabeça de Yuki*

Sozinho, Yuki... Sempre sozinho.

*Ele se ajoelha no chão e começa a chorar*
_ Eu é que devo ser a aberração desse zodíaco! *Ele fala baixo, por entre os dentes, e no meio dos soluços* Só comigo ele fala desse jeito! Só eu fui torturado por ele quando criança! E ele um dia ainda me disse que o rato era o favorito de deus... Eu sou um infeliz! Mesmo com isso tudo, como eu posso... Como eu posso pensar... Pensar com carinho no Akito? *Ele começa a se acalmar, limpa as lágrimas e se levanta do chão* É.. É por causa da maldição. Sim. Todos nós amamos Akito por causa da maldição... Apenas o amor... De um homem, para deus. E nada mais. *Ele sai do quarto e caminha de volta pra sala*

~~~^.^~~~

#Pelo menos, as desculpas ele pediu. *Akito chega no pátio que antes via do seu quarto* Vou ficar aqui no cantinho caso ele ainda esteja no meu quarto não me veja de lá. *Ela se encosta na parede e olha para a própria janela, por entre as folhas* Ele não me parecia muito feliz... Deve ter vindo aqui por mera obrigação... Fiz bem em ter sido rude com ele: já que ele não vem por carinho, que venha por medo. Pelo menos... *Ela observa o vento levar os focos de neve para outra direção* ... pelo menos ele vem. *Ela sai do pátio e volta para a sala onde acontecia o jantar*

~~~^.^~~~

_ Então cê vai morar aqui fora também? *Kyo pergunta como que não quer nada*

_ É, vou sim. Mas preciso arrumar um emprego antes, pra poder me bancar sozinha. *A garota responde com um ar pensativo e ao mesmo tempo, destraído* Acho que consigo um bom estágio, sou boa aluna na faculdade... Aí poderei montar a minha casa e a minha vida.

#Nossa... Ela já tem todos os planos feitos, enquanto eu...# *Ele fica cabisbaixo e nem termina o pensamento*

_ E então eu posso casar, NÉ KYOOO!

_ Ei, sai pra lá! *O gato se destrai novamente*

by Thata Srta Rainey

13


*O rapaz olha em volta e percebe que ninguém está atento à sua presença ali e levanta-se discretamente*

# Akito deve estar com raiva de mim por eu não ter vindo aqui ontem... Talvez ele acabe por castigar a Tohru pensando que ela tem culpa disso. *Ele sai sem ser percebido da sala* Melhor procurá-lo, apenas para me desculpar.... *Ele chega ao corredor que dá para os quartos - sendo o do patriarca, o último ao final - e pára* É... Vou procurá-lo apenas pra me desculpar# *E o possuído começa a percorrer o corredor*

~~~~^.^~~~~

#Aquele idiota! *Akito, que acabara de entrar no quarto, arranca o lençol da cama e o joga no chão* Além de faltar ontem a nossa festa, ainda teve a petulancia de vir hoje ao jantar e nem me cumprimentar devidamente! *Ela se apóia na janela e olha o pátio coberto de neve* No mínimo me devia desculpas, aquele ingrato. #

_Akito.... O senhor está aí?

*Assim que ouve a voz do possuído pelo rato, Akito se estremece* #Que coincidência!#
_ Entre.

_ Com licença. *Ele entra e fecha a porta, enquanto Akito lhe da as costas voltando a olhar para o jardim branco*

_ O que quer? Lembrou que tem dono, é?

*Yuki nada responde* #Era melhor eu não ter vindo... Que droga. Se bem que é melhor ele me humilhar aqui, onde estão só nós dois, do que lá no meio do jantar#

_ Daqui a pouco terei que botar colheira nos meus bichos de estimação. #Que raiva que estou dele...! Como pode trocar a minha presença, pela daquela sonsa?#

_ Vim aqui para me desculpar. A culpa foi minha, peço que não desconte a sua raiva na senhorita Honda.

*Akito respira fundo e se vira para Yuki, com um sorriso no rosto*
_ E quem disse que estou com raiva? Quem te contou que você me faz alguma falta? Você vem aqui por obrigação e necessidade sua. Eu vivo sem você, você é quem não vive sem mim.

*Yuki se arrepia com a frase ouvida, e nada responde, apenas abaixa a cabeça*

_ Agora, se quiser ficar aí sozinho, pode ficar. Vou voltar pro jantar. Sozinho, Yuki... Sempre sozinho.

by Thata Srta Rainey

16/04/2008

12


*Yuki assim que percebe que Akito também estava olhando para ele, abaixa a cabeça um pouco envergonhado*

#Como o Akito-san está bonito#

#O Yuki-kun está lindo!# *Akito volta a conversar com Ritsu e o Kureno*

#O que estou fazendo aqui? Deveria ter ficado em casa. Não. Não ia dá para ficar lá com a Kagura e o Baka Neko! Agora não posso me levantar e ir embora, terei que ficar até o final do jantar.# *Yuki continua com a cabeça abaixada e muito distante da conversa dos outros três ao seu lado*

-O que foi Yuki?

-Feliz ano novo Haru. *ele já tinha visto que o Haru estava na sala, mas como ele estava com a Rin não quis chegar perto do primo*

-Se arrependeu de ter vindo?

-Pode-se dizer que sim.

*Yuki não tinha coragem de contar para ninguém o que sentia pelo patriarca. Na verdade ele tentava a todo custo negar para ele mesmo que sentia aquela atração*

-Tenho que conhecer essa garota. Ela foi capaz de prender em casa, ela deve ser realmente muito boa.

-Haru... acho que a Rin não gostaria de ouvir isso.

-Que foi? Ela não é boa mesmo? O Momiji-kun não se cansa de falar que ela é isso e aquilo. A mina até parece que é uma santa.

-ahahahahah, não é para tanto também.... É apenas uma colegial normal, e uma ótima companhia.

-E a sua relação com o Kyo?

-Continua a mesma coisa.

-Já não está na hora de vocês pararem com essa birra de gato e rato?

*Yuki se limita apenas a dar com os ombros*

#Aposto que nenhum dos dois se lembra quando essa briguinha começou# -Yuki, vou aparecer lá na casa do Sensei para conhecer a mina. *Ele se levanta* -E espero que seja uma mina boa, e uma boa mina.... ahahahhah

#A cada dia esse fica mais a cara do Shigure, não é a toa que o chama de sensei#

*Yuki procura por Akito e percebe que ele não estava mais na sala*

#Onde será que o patriarca está?#

by Kyo

11


*Tohru volta para casa e encontra Kyo e Kagura sentados no kotastu, aquela mesinha com aquecedor e um coberto, e vendo TV*

-Muito boa noite. *A garota tira o casaco e o cachecol*

-Boa noite Tohru-chan. Como foi o passeio?

-O Templo estava muito cheio, mas foi divertido. Ah, encontrei com o senhor Hatori. *ela se junta aos outros no kotastu* E sem querer descobri qual é a forma dele.

-Cuitado. O Hatori é super complexado por virar um cavalo marinho.

-E como o Haa-san estava? Ontem ele ficou sabendo que a ex-namorada dele irá se casar.

-SIMMM... FOI ELA QUEM EU ENCONTREI.

*Os dois ficam olhando para a garota esperando a explicação daquele grito*

-Hoje eu encontrei a senhorita Kana numa cafeteria da cidade. Eu sabia que a conhecia de algum lugar.

-Tohu-chan, eu fiquei te esperando chegar para lhe pedir um favor.

-Sim. O que foi Kagura-chan?

-Poderia perdir para o Shii-chan deixa a Kisa-chan morar aqui com vocês também?

-O QUE? POR QUE DISTO AGORA?

-Ela estava sofrendo mal-tratos na escola dela e por isso deixou de ir para a escola, mas o Patriarca já a matriculou numa outra escola que fica perto daqui. O problema é que a Kisa-chan não consegue se relacionar com as pessoas normais. Talvez se a Tohru-chan ficar amiga dela, esse trauma acaba.

-Claro que irei pedir.

-MAS ELA É UMA PIRRALHA!

-nnhaaa, sempre quis ter uma irmãzinha. *os olhos dela estão brilhando de felicidade*

-Foi por isso que ficou aqui até agora?

-Estava realmente preocupada com a Kisa-chan, ela ultimamente estava muito triste, mal conversava com a gente. E agora que não ficarei na sede...

-...como não ficará na sede?

-Akito-san me deu autorização para morar fora da sede.

-Ahh.... *Kyo sente um pouco de desconforto com a notícia.*

-Parabéns Kagura-chan, espero também poder morar sozinha depois da nossa formatura.

#A Kagura está mudando a cada dia que passa# *Kyo começa a descascar uma mexerica*

by Kyo

15/04/2008

10


-MEUUU AMADOO IRMÃOZINHOOO....

*Yuki passa direto pelo irmão e entra na sala*

-Que coisa mais feia Yuki. Não Nani nãoo, tem que mostrar a maravilhosa educação que recebeu e dar um abraço e um beijo em seu irmão.

-Nem morto. *Ele senta-se ao lado do Shigure*

-Pensei que viesse só depois do dia 3.

-Não queria ficar em casa sozinho com o Baka Neko e a Kagura.

-Que menina rápida. Nem quis jantar com o patriarca...

-...onde o Akito-san está?

-Não se preocupe. Ele nem se importou muito pelo fato de não ter vindo.

-Senti tanto a sua falta ontem, meu príncipe encantado. *Ayame mal se sentou ao lado do Yuki e já estava deitado em seu colo*

-ahahahahah, como são as coisas, nem parece aquele irmão que nem ligava para você quando era criança.

#Eu preferia ele daquele jeito e não agora esse irmão babão#

-A culpa foi sua também Guretti, vivia me dizendo que a gente só tinha que aprontar e não ficar tomando conta de um moleque remelento.

*Os dois ficam naquela conversa de quem era a culpa pelo fato não ter dado nenhuma atenção ao Yuki quando era criança enquanto isso Akito entra na sala. Ela leva um choque quando vê que o Yuki estava ali na sala também, mas consegue disfarçar muito bem e passa direto pelo grupo*

#Ele nem olhou na minha cara.# *Yuki abaixa a cabeça, mas ninguém nota o seu olhar triste*

-Boa noite. *Hatori estava chegando naquele momento e se junta ao grupo*

-Boa noite Tori-san.

-Por onde andou Haa-san?

-Fui andar pela cidade, e acabei encontrando a Tohru por lá.

-Sim, ela foi até o templo com as amigas.

-Aiai... já estou sentindo saudades da nossa bela donzela. Espertos foram o Yuki e o Kyo que passaram a entrada do ano com ela.

#Confesso que foi muito bom ter ficado com a Tohru-chan. Não teria sido bom a deixar sozinha em casa, na hora que a encontramos chorando eu quase chorei com ela. Mas...# *ele levanta o olhar e percebe que Akito-san também estava olhando para ele*

by Kyo

09


-UAAAAAA.... Tohru-chan, esse não é aquele primo dos Sohmas que esteve na nossa escola?

-É sim. É o senhor Hatori Sohma.

-Puxa, ele está ainda mais gato do que aquele dia. Senti até calor agora.

-Nhaaa, eu também achei que ele está muito charmoso, Uo-chan.

-A Tohru-chan está rodeada de homens bonitos.

-Tem toda a razão Saki-chan. Afinal aquele escritor também não é de se jogar fora.

*As três garotas vão caminhando enquanto que Arisa e Saki estão enumerando as diversas qualidades dos dois Sohmas*

#Por que será que o senhor Hatori falou felicidades? Naquela hora ele estava sorrindo, da mesma maneira que me sorriu na casa dele. Ele deveria sorrir mais vezes. Fica ainda mais bonito quando sorri#

-.... quem ganha Tohru-chan? *Arisa a puxa para a realidade*

-Hã??

-Quem é o mais bonito na sua opinião? O Shigure-san ou o Hatori-san?

-Errrr.... eu não sei, Hana-chan. Acho os dois bem charmosos.

-ahahahahahah, aposto que ela quer ficar com os dois, Saki-chan... ahahaha

-NÃOOOO... *Ela fica corada na hora* -Imagina, eu não passo de uma criança para eles.

-Hum, não sei não. Aquela cama tão grande que ganhou do Shigure-san, deve ter algum motivo...ahahahahahah.... Não estou certa Saki-chan?

-A Tohru-chan tem várias qualidades também. Não fique achando que eles só te vêm como uma criança.

-Errr, vocês acham que.... acham eu teria alguma chance com um homem como o Hatori-san ou o Shigure-san?

*Arisa passa o braço em torno do pescoço da amiga*

-Cê tem chance com qualquer um.

*As três amigas vão conversando até o templo*

---***---

*Yuki fecha a porta, mas continua a escutar os gritos do Kyo vindo da casa*

#Será que o Akito-san não ficou realmente bravo com a minha ausência?# *ele sente que alguns flocos de neve estão caindo em seu rosto e abre o guarda-chuva* #no fundo eu gostaria que ele tivesse sentido a minha falta. Não, não posso pensar nessas coisas. Isso é loucura!#

by Kyo

08


-EU JURO QUE NÃO VI NAD.... #Apesar de ter ficado muito curiosa#

-A minha forma animal.

-Ah.... vi....

*O possuído coloca a não no rosto, cheio de vergonha* #Eu preferia que ela tivesse me visto nu e não na minha forma animal#

-M-mas, eu não creio que seja motivo de piada. Confesso que me espantei, mas é bonitinho e também inusitado...

-...vou me vestir.

-Ah, então irei comprar algo quente para beber.

*Tohru corre até a cafeteria que tinha ali perto*

#Como o senhor Hatori está charmoso, mas acho que ele não gostou de ser comparado ao senhor Shigure. Humm, será que ele não tem pelos como o Yuki-kun?#

*Tohru entra na cafeteira e se esbarra em uma das moças que estão saindo do local*

-Me desculpe. #Acho que conheço essa moça de algum lugar#

-Não se preocupe, mas tenha mais cuidado.

*Tohru fica parada no meio da loja vendo as três moças indo embora* #De onde eu a conheço?# *A garota compra um café quente e corre para onde estava o médico*

-Felicidade...

-"felicidades", senhor Hatori?

-...não, não é nada.

-.... #por que será que ele falou felicidades?#

-...o que você acha que acontece depois que a neve derrete?

-Hã? errrrr... bem.... eu creio que... não, não..... AH.... CHEGA A PRIMAVERA!!! Não importa o quanto esteja frio agora.... a primavera sempre chegará. Sempre! É mesmo fantástico não acha?

#Ela.... ela deu a mesma resposta.# *Hatori fica olhando para garota, e vê aquele sorriso sincero e meigo* #Ela consegue se expressar de diversas maneiras pelos seus sorrisos*

-O senhor gosta de café?

-...sua bolsa.

*Eles trocam os objetos e o rapaz toma a bebida para se esquentar*

-Tohru-channn... Tohruuu....

-Creio que estão lhe chamando.

*A garota olha e vê que as amigas estão chegando* -Ahhh, Uo-chan, Hana-chan.. Senhor Hatori, essas são as minhas amigas Arisa Uotani e Saki Hanajima.

-Prazer. *O médico se inclina para cumprimentá-las e depois se despede de Honda* -Até logo, Tohru-san.

by Kyo

07


-Que papelão, heim Kagura?!

-Então estava na cozinha? Aposto que me viu subindo.

*A garota assim que acaba de descer as escadas corre e agarra o pescoço do garoto*

-FELIZ ANO NOVO MEU AMORRRR....

-Ai, fiquei surdo agora. Desgruda Kagura. *o garoto começa as várias tentativas de se soltar dela*

-Senti tanto a sua falta ontem, Kyon-chan....

*Kyo já sabia ao que ela estava se referindo, todos os anos, assim que acabava a dança dos possuídos a garota saia da festa e ia ver os primeiros raios do ano com os dois sentados no jardim do dojo*

-Como está o sensei?

-Está bem. Já foi para o interior visitar o tumulo do avô.

-Todo começo de ano é a mesma coisa. Gostaria de saber até quando o sensei irá se sentir tão em falta com o avô. *O garoto coloca a toalha que estava usando para secar o suor em cima do sofá e tira a camisa*

-Não deveria ficar assim, com esse frio. Vai ficar doente assim.

-Tenho que esperar a ratazana sair do banheiro. *Ele se senta no sofá e a garota praticamente se senta ao mesmo instante, ficando bem próxima a ele no sofá*

-Então vamos ficar abraçadinhos, assim o calor do meu amor irá te aquecer.

-Só cê mesmo para abraçar alguém fedendo e suado desse jeito.

-EPA EPA EPA.... SÓ CONSIGO FAZER ISSO COM VOCÊ. MAS NÃO PENSE QUE NÃO ESTOU AQUI QUASE DESMAIANDO COM O CHEIRO DO SEU SUOR.

-ENTÃO ME LARGE.

-Não... quem sabe o amor além de cego não fique sem ofato também... *Kagura o abraça ainda mais*

#Só essa maluca mesmo, nem eu estou agüentando o meu cheiro#

-Cê vai ficar até quando aqui?

*Ela o empurra para fora do sofá*

-Já quer se ver livre de mim?

*Ele continua no chão apenas olhando para a garota e sem falar nada*

-Pronto Baka Neko. *Yuki desce fechando os últimos botões da camisa e o gato se levanta do chão* -Kagura... como foi a festa?

-Como sempre. *ela não se sentia a vontade para falar na frente do Kyo sobre os eventos nos quais ele era excluído*

by Kyo