11/10/2008

429


Yuki nota o olhar triste no olhar de Akito e a abraça.

-Agora todos nos estamos livres, principalmente a Akito-san.

O coração de Akito dispara não apenas pelo fato do Yuki a ter defendido, mas principalmente por ele ter se referido a ela como mulher. Hatori apenas os observa, gostaria de conversar com Akito-san para saber quais eram os seus planos com relação aos possuídos, mas acha melhor conversar com ela no outro dia.

-Bem, o curativo está feito. Está sentindo alguma dor?

-Nada de muito forte, apenas com um pouco de dor devido a queda.

-Tente descansar por essa noite. Se precisar mande me chamar.

Hatori se levanta da cama e a Akito se aproxima dele e lhe fala baixinho.

-Vá ver aquela louca. E se possível lhe dope, não quero ouvir mais nenhum escândalo daquela mulher.

O médico afirma que sim e sai do quarto, mas antes de ver a mulher, ele caminha para o quarto onde estava a Arisa, precisava abraça-la mais uma vez e lhe contar que a maldição de fato tinha chegado ao seu final.

Assim que abre a porta do quarto a garota que estava olhando pela janela no lado oposto sai correndo pisando em cima dos futons e se joga nos braços do médico e cruzando as suas pernas ao redor de seu corpo.

-Eih, isso poderia ser perigoso! E se eu me transforma-se?

-O meu sexto sentido falou que isso não ia acontecer.

Hatori a abraça pensando em várias coisas que gostaria de lhe falar, principalmente pela alegria que sentia de ter uma garota como ela pendurada em seu corpo, mas apenas lhe dá um sorriso e a coloca no chão.

-Akito-san acabou com a maldição.

-QUE?? Akito-san não é o patriarca e o kamisama de vocês?

-É sim.

-Caraca.... Mas como foi? Deu na veneta dele e ele acabou?

-Não foi bem assim, mas agora não poderei te contar os detalhes. Tenho que ver uma outra paciente.

-Então vou tomar um banho ao ar livre, quero te esperar bem cheirosa.

Arisa lhe beija suavemente, mas depois lhe mordisca no lábio inferior e sai pulando pelo quarto. Hatori sente vontade de ir atrás dela, queria lhe dar algumas palmadas de brincadeira por ela ter lhe mordido, mas o dever profissional fala mais alto e ele vai ver a Ren.

Ao entrar no quarto, a cena que encontra era de algo muito próximo aos rastros deixado pela passagem de um grande furacão. Ren estava deita de barriga para baixo e a cara enfiada no futon.

-Ren, vim lhe examinar.

A mulher vira a cara para olhar no rosto do médico, e Hatori pode sentir um olhar cheio de raiva e ódio para ele. O médico engole a seco e se aproxima da mulher.

-Seu covarde! Você sempre foi um grande covarde!

O rapaz finge que não tinha escutado aquele insulto e abre a maleta.

-Nem eu dando uma mulher de bandeja para você e aquele idiota do Shigure. COVARDES! VOCÊS SEMPRE FORAM UM COVARDES! VOCÊ E O SHIGURE SÃO DOIS COVARDES!

Arisa estava passando diante da porta do quarto e pára ao escutar aqueles gritos e o nome do escritor. Ela olha pela fresta da porta e vê o namorado e uma mulher.

#Será que é essa a tal paciente do Hatori?#

-Calma Ren. Eu preciso lhe examinar.

-ERA PARA O SHIGURE TER ACABADO COM A MALDIÇÃO. FOI POR ISSO QUE EU PLANEJEI TUDO. EU QUE COLOQUEI NA CABEÇA DAQUELA CRETINA QUE ELA PODERIA SE CASAR COM UM DOS SOHMAS DE DENTRO DA SEDE.

Ren se levanta e começa a rir bem alto pelo quarto enquanto balançava a cabeça.

-AHAHAHAHAHHAHAHAH.... Ela acha tão linda a minha história de amor com o Akira. AHAHAHAHAHHAHA..... Imagina que ela queria ter um amor como o que vivi com o Akira? AHAHAHAHAHHAHAHAHA..... NUNCA! NUNCA QUE MONSTROS COMO VOCÊS AMARIAM COMO O MEU AKIRA.

-EIH DONA! ELES NÃO SÃO NENHUM MONSTRO NÃO.

-Arisa?!

A garota ao escutar aquele insulto não consegue ficar apenas escutar e invade o quarto ficando ao lado do Hatori. Ren imediatamente reconhece a jovem que tinha visto na casa o Shigure no começo daquela semana.

by Kyon

Um comentário:

Sabrina disse...

forte emoções!!!



XDXDXDXDXDXD

da´le arisa!!

XD

(LL)