27/11/2009

167


Hanajima e a Tohru estavam sentadas na grama entre as enormes árvores que rodeavam a casa do escritor, e a órfã reconhece aquele local, era exatamente onde ela tinha montado a sua pequena barraca e ficou morando por uma semana, sem ao menos imaginar que ali era o quintal do príncipe do seu colégio.

-Foi aqui que tudo começou.

Hanajima segurava na mão da amiga e olha a sua volta.

-Então foi aqui que a Tohru-chan morou quando saiu da casa do seu avô? De fato, é um lugar um pouco perigoso.

-Hana-chan.... Não acha que devemos nos afastar deles?

-Ainda está muito assustada por causa de ontem?

A garota apenas confirma que sim com a cabeça.

-Acho que eles sofreram ainda mais se nós nos afastarmos deles agora do que se for por esquecimento.

-Mas isso não é justo Hana-chan! Se Akito-san mandar apagar as nossas memórias nós não iremos sofrer, mas eles sim. Eles é que ficarão lembrando até o resto das suas vidas tudo o que aconteceu.

-Eu sei.

-E não acha que estamos sendo muito egoístas só pensando na nossa felicidade de agora sem nós importarmos com o que acontecerá depois?

-“O amor é o começo de um milagre”

Ao escutar aquela frase que a sua mãe tinha lhe falado tantas vezes, Tohru abraça os joelhos e começa a chorar com a cabeça encostada neles.

-A Dona Kyoko sempre acreditou nisso. Ela sempre falava que se não fosse o amor do seu pai por ela, certamente teria se perdido de vez nas trevas daquele mundo onde ela estava. Eu também acredito nisso, Tohru-chan. É por isso que mesmo me sentindo tão insegura, com tanto medo como estou, eu quero ficar ao lado do Kyo. Quero acreditar que o amor trará o milagre que precisamos.

Tohru ainda chorando olha para a amiga que estava ao seu lado lhe sorrindo, e reconhece que a Saki sentia exatamente o mesmo que ela estava sentindo naquele momento, mas que tinha decidido a ficar ao lado do garoto e a acreditar que o amor iria fazer o milagre de transformar aquele triste destino.

Hanajima segura nas duas mãos da amiga e lhe pergunta com um sorriso cheio de esperança.

-E a Tohru-chan?! Também acreditará que o amor pode fazer milagres?

-Tem razão Hana-chan. Vamos acreditar!

As duas se levantam do chão e começam a caminhar em direção da casa.

-Vamos falar para a Aa-chan que você entrou chorando porque tirou uma nota baixa, assim ela não ficará preocupada.

-Tá! E por que não foi para o colégio?

-O Kyo queria passar esse tempo comigo.

-E a senhorita Akito? Ela não demonstrou se lembrar de nada?

-Se lembrou de algo apenas relacionado a mãe do Kyo. Acredito que ela própria está evitando a se lembrar de seu passado, pois em momento algum, ela me perguntou sobre o seu passado, apenas o que gostava de comer.

-Mas a gente não sabe essas coisas delas.

-Sim, mas eu inventei. Acho que a Tohru-chan deveria fazer o mesmo também.

As garotas passam próximas da base secreta do Yuki e vêem que ele e o Haru estavam se beijando escondidos por entre as árvores, passando diretamente por eles sem serem vistas.

-Nhaa... Fico tão feliz por ver que o Yuki-kun e o Hatsuharu-kun se entenderam.

-Se as garotas do fã-clube do Prince-Yuki ficarem sabendo disso, acredito que teremos um grande número de suicídios no colégio.

-Cruzes, Hana-chan. Elas não fariam algo tão drástico assim.

-A presidente do fã-clube do Kyo esteve aqui hoje.

-OQUE? Como ela sabe onde o Kyo mora?

-Não sei. Mas por pouco que ela não o abraçou.

-Nossa?! Não quero nem imaginar o que aconteceria se algumas dessas garotas descobrissem o segredo deles.

-Essa é a nossa função Tohru-chan, proteger o segredo dos nossos namorados e do Yuki-kun e do Hatsuharu-kun.

-Sim. Vamos protegê-los a todo custo.

-Pelo visto tem alguém que está muito preocupado.

Hanajima olhava para o Momiji que estava sentado na varanda da casa, com a cabeça baixa, os olhos fechados e segurando as duas mãos como se estivesse fazendo uma prece.

by DonaKyon

Um comentário:

Knight Beast disse...

"O amor é o começo de um milagre”

e a nova akito ta sendo fruto disso