18/10/2009

150


O coração do Yuki batia ainda mais forte agora que acompanhava o Haru até o banheiro. Assim que entram, ao ver que não tinha ninguém lavando as mãos, o boi rapidamente puxa o rato para dentro de um dos reservados e fecha a porta. Yuki, que fica exprimido entre o vaso sanitário e o possuído, nem tem tempo para falar que aquilo era perigoso, pois assim que fecha a porta, o Haru lhe beija.

Aquele beijo não era apenas um pedido de desculpa, era também um beijo de profunda gratidão ao Yuki. O garoto em nenhum momento o tinha culpado, e nem lhe abandonou. Ficou ao seu lado e quando mais ele precisou de um abraço, ele o abraçou. O sentimento que um sentia pelo outro tinha aumentado de uma maneira que nem mesmo eles próprios conseguiam acreditar que aquilo era possível. Durante uns cinco minutos os garotos se beijaram sem se importarem com o que estava acontecendo do lado de fora daquele reservado, e nem escutaram o sinal batendo.
Quando os garotos separam os seus lábios, o possuído pelo rato encosta sua cabeça no ombro do Haru e lhe sussurra em seu ouvido.

-Você sempre esteve me amando, a partir de agora é a sua vez de ser amado por mim.

Ao escutar aquilo, o coração do garoto parecia que ia explodir, ele segura na mão direita do Yuki e a coloca sob o seu peito. O primo lhe olha um pouco impressionado ao sentir o quanto que batia o coração do Haru naquele momento.

-Você sempre foi o único que fez o meu coração bater assim. Sempre me sinto mais vivo quando estou do seu lado. É por isso que eu sempre te amei.

Os olhos de cor ametista do possuído ficam ainda mais brilhantes naquele momento, ele dá um pequeno sorriso com os lábios e abaixa o seu olhar em direção da sua mão que ainda estava sob o coração do Haru.

-Isso não foi justo. A sua declaração foi mais bonita do que a minha.

-Então está um a zero pra mim, mas você pode tentar empatar o jogo.

Quando os lábios dos dois tinham acabado de se encontrarem mais uma vez, eles escutam que alguém estava batendo na porta do banheiro.

-Eih Haru-kun, está aqui?

-Fala Momiji-kun.

-É que a aula já começou... A sensei me mandou vir ver se estava tudo bem com você.

-Estou bem. Já estou indo pra sala.

-Tá... Eih Yuki-kun, a sua aula já começou também.... hihihihihi....

O coelho sai do banheiro dando risadas e o Yuki fica roxo de vergonha. Haru abre a porta do reservado rindo também.

-Ahahahahah... esse coelho é bem esperto pra idade dele.

-Ele tem a sua idade, Haru.

-É mesmo!

Os dois possuídos saem do banheiro como se nada tivesse acontecido, mas com os seus corações batendo muito mais tranqüilo agora. A sala de aula deles ficava em andar diferente e com um sorriso nos lábios o Yuki se despede e sobe as escadas. Ao entrar na sala, a Mayuko-sensei tem que parar a aula, pois era impossível falar com todo aquele barulho.

-Chega! Chega! O Sohma-kun pode se sentar. Espero que na hora que o Kyo-kun chegar, esse barulho não se repita.

O possuído vai se sentar no seu lugar e vê que as carteiras do Kyo e da Hanajima ainda estavam vagas.

by DonaKyon

3 comentários:

Knight Beast disse...

ah se as paredes falassem hehehehehehee

Kyo e Saki não vieram a aula... essa vai ser interessante

Knight Beast disse...

Legal o namoro dos dois. Essa combinação ficou muito boa hehehehehehehee

Knight Beast disse...

bem essa parte ta motima, mas tenho uma pergunta (não sei se ja fiz ela): tem alguma possibilidade de rolar alguma coisa tão intenso entre Kyo e Saki como Yuki e Haru?

Seria interessante explorar isso, já que me lembro de capitulos anteriores que saiu bacana. Queria ver algo semelhante com eles

bem otima fic