30/12/2009

182


Ren continua a folhear os livros, mas sem prestar muita atenção no que estava contido neles. Kazuma apenas a observava, estava ansioso para descobrir o segredo que aquela mulher sabia.

-Quando é que o Akito voltará?

-Creio que daqui alguns dias.

-E por que foi que justamente o senhor ficou como patriarca?

-Essa foi a decisão de Akito-san.

A mulher olha um pouco desconfiada para o professor, achava muito estranho o fato de a Akito ter escolhido precisamente o pai adotivo do possuído que ela mais odiava.

toc toc

-Entre.

Yoko abre a porta mais não entra.

-O quarto já está pronto.

-A senhora pode acompanhar a Ren-sama?

-Certamente que sim.

A mulher responde sem olhar na direção deles e começa a caminhar sendo seguida de perto pela Ren.

#Agora a Yoko-san irá sentir a perturbação que ela queria que o Kyo sentisse ao enviar aquela empregada lá para o Dojo#

O professor fecha a porta e volta rapidamente a procurar os livros mais recentes sobre a árvore genealógica dos Sohmas.

#Começarei com a geração de agora e depois irei vendo as outras mais antigas.#

Yoko caminhava sem falar nada, quando chega no quarto, ela abre a porta e a Ren entra.

-De volta ao meu antigo quarto.

-Esse nunca deveria ter sido o seu quarto.

-A Tsukiko-sama ficou muito feliz quando eu passei a ficar em seu antigo quarto.

-A falecida esposa do Akio-sama era uma alma muito generosa, por isso nunca viu a víbora que tinha ao seu lado.

-Cuidado Yoko, eu posso voltar a ser a esposa do patriarca, afinal o Kazuma-sama é um homem solteiro.

Yoko fecha as mãos com a pouca força que ainda tinha em seus braços.

-Você é uma mulher baixa o suficiente para fazer isso. Sempre tive certeza de que se casou com o Akira-sama por esse motivo e não por amor.

-Ahahahah, e a senhora morreria feliz se isso acontecesse, não é mesmo? Mas nunca lhe darei essa alegria. Eu sempre amei e só amarei o Akira.

#Maldita!#

A governanta se virá, mas não consegue andar muito, pois Ren a segura pelo braço.

-O que sabe da carta de suicídio da Eiko-chan?

A governanta olha para a mão da Ren em seu braço e a mulher imediatamente se lembra da outra vez que tinha visto aquele olhar em alguém. Ele era o olhar que a Akito direcionou ao Kyo, na única vez em que ele lhe tocou.

Flash-back

-Por favor, não tire o meu bracelete.

O menino chorava enquanto segurava a pequena mão que tentava arrancar o seu bracelete.

-Aki-chan, o deixa ir embora.

Shigure estava parado a poucos passos das duas crianças, mas não ousava se aproximar e impedir a Akito de arrancar o bracelete do possuído pelo gato.

-MAMÃE.... ME AJUDA MAMÃE...

#Ela nunca deveria ter sido a sua mãe seu monstro. A Eiko-chan não deveria ter sido a sua mãe.#

Akito olha cheia de ódio, magoa e nojo para aquela mão que estava sob a sua. E ao empurrar a criança para trás, ela acaba tirando o seu bracelete. E poucos segundos depois a verdadeira forma do possuído se revela a sua frente.

- Que nojo! Que coisa nojenta. Agora sei porque sempre senti muito nojo de você.

O cheio de coisa podre toma conta de toda a sala, e a Ren que estava acompanhando tudo atrás da porta começa a sentir fortes ânsias e sai correndo para fora da mansão.

-Cof cof cof..

-Ren-sama - A mulher se abaixa para ajudá-la a se levantar – cadê o Kyo-kun?

-Me desculpe Eiko-chan, mas quando cheguei já era tarde demais. O patriarca tirou o bracelete do seu filho.

-E onde ele está agora?

-Eu não sei. Sai de lá porque não agüentei o fedo do seu filho.

-Era por isso que o cheiro desagradável começou antes do Akito-san retirar o bracelete. Então, o cheiro de algo apodrecendo era o seu, Ren?

-Yoko-sama, onde está o meu filhinho?

-Ele saiu correndo. Tome, isso é daquele monstro.


A governanta joga nos pés da mulher o bracelete e logo lhe virá às costas.

-A senhora é a tia-avô desse menino. Por que não impediu a Akito-chan?

Yoko se vira rapidamente e esbofeteia a face da mãe que chorava desesperada.

-Já falei para não chamar o patriarca dessa maneira. E não me lembre que aquele monstro é da minha família.

-ELE NÃO É UM MONSTRO! O MEU FILHINHO NÃO É UM MONTRO! O ÚNICO MONSTRO QUE EXISTE NESSE CLÃ É A SENHORA!

A mulher sai correndo em direção do portão que levava para fora da sede, onde ficava a sua casa.

#Desgraçada. Irei falar com o Higuchi-kun, essa idiota ainda irá revelar que o patriarca é uma mulher. A gente já devia ter se livrado dela, assim que o possuído do rato nasceu.#


by DonaKyon

4 comentários:

DonaKyon disse...

みなさん、 ぁけぉめ☆m(_ _)mことょろ\(^0^)/

Feliz ano da Kisa.
Muito obrigada por terem me acompanhado nesse ano do Haru.
E desejo que fiquemos juntos até chegaramos no ano do Haru novamente.

bjs e FELIZ 2010.

Sah disse...

:O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O :O


meeeeeeu!! FORTÍSSIMAS EMOÇÕES!
my god :O

Sah disse...

Hj tem poste, ne? :D

Knight Beast disse...

parece que o responsavel da desgraça toda no clã Sohma é a Yoko hehehehehe