26/09/2009

140


Megumi não ficou muito tempo dentro da cozinha.

-Saki-chan, as garotas estão te chamando.

A colegial vai até lá, e o garoto se aproxima do grupo de adultos. Todos estavam o olhando, e ele não falava nada, mas era evidente que algo o estava incomodando muito.

-E aí pivete?

-A maldição da Saki-chan é melhor do que as minhas. Me pergunto como foi que ela conseguiu ficar tão boa assim. E olha que essa foi a sua primeira vez.

-Então não conseguiu desfazer a maldição?

Megumi olha para o Hatori.

-Ainda não.... Mas achei a Aa-chan muito bonita!

#Sim... Coragem é um dos nomes da família Hanajima. Será que a nossa maldição também não foi lançada por uma simples criancinha como essa?#

O médico vai se sentar no sofá, agora só lhe restava à medicina para reverter àquela situação.

-Pesquisarei mais sobre isso também. Deve ter uma maneira de desfazer sim. Não existe nenhuma maldição no mundo que não possa ser desfeita, ou controlada!

Todos os possuídos olham para o garoto, mas nenhum chegou acreditar que a sua própria maldição poderia ser desfeita.

-Eu também acredito nisso! E irei ajudá-lo. Tentarei encontrar o máximo de informações possíveis sobre a maldição do Jûnishi lá na mansão, acredito que como sendo o patriarca, terei acesso a muitas coisas.

-Que? O Mestre vai ficar como o patriarca?

-Sim, mas será apenas por um tempo.

O som das risadas das garotas na cozinha chama a atenção de todos.

-É difícil acreditar que ela esteja rindo dessa maneira também.

Megumi olha para o Shigure e dá um pequeno sorriso com o canto dos lábios.

#Acredito que o meu gesto egoísta será favorável para eles também.#

O garoto, ao ver o quanto que todos estavam curiosos sobre o que as garotas estavam conversando, resolve se aproveitar de sua posição como criança e vai até a cozinha, deixando todos os outros com inveja dele.

-Puxa... eu também queria ir lá.... Queria ficar com a Tohru-chan.

-Como é bom ser criança nessa hora. A gente também fazia muito isso, né Aaya?

-Vocês dois faziam isso e coisas muito piores também. Mas foi bom que o Hanajima-kun foi para a cozinha. Preciso esclarecer uma coisa. O Haru-kun, não foi para a sede para conversar com Akito. Ele foi para se consultar comigo.

-Eu passei na casa do Hatori e a empregada falou que ele tava lá na mansão. Na verdade eu fui até a mansão atrás do Hatori e não do Akito.

-Mas você tinha me falado antes que ia até a sede para contar ao patriarca sobre a Hanajima e o Kyo porque estava com ciúmes deles.

-Yuki, você me fez ver que eu estava errado. Eu percebi que se contasse a verdade para Akito não estaria apenas prejudicando as garotas e o Kyo. Estaria prejudicando principalmente a pessoa que mais amo. Aquela por quem eu tinha feito de tudo para salvar, para tirá-la da sede, e assim, ficar longe das torturas de Akito. Se a Tohru-kun se esquecesse de tudo, era você a pessoa que mais iria sofrer. Eu sempre disse que eu gosto do Kyo, mas é você quem eu amo, e eu não queria te magoar mais com isso. Não queria que você sofresse por causa da minha obsessão pelo Kyo. Por causa da minha doença.

-O que o Haru-kun tem é chamado em inglês de Dissociate Type. É a teoria que explica os casos de dupla personalidade. Normalmente, se alguém não é capaz de ultrapassar uma barreira psicológica durante o período da sua infância, outra personalidade pode nascer dentro dela, para proteger e confortar esta criança. Não importa a personalidade, ela existe, porque a pessoa deseja isso. Eu descobri isso alguns anos atrás, mas ele sempre tinha se recusado a começar um tratamento até hoje. O que aconteceu, é que a Akito acabou ouvindo o final da nossa conversa, justamente a parte que o Haru-kun estava dizendo que queria ser capaz de desejar felicidade para o Kyo e a sua namorada.

Todos olham para o Haru como se lhe pedissem desculpas.

by DonaKyon

2 comentários:

Cecii-sama disse...

Aiii, Haru =/

Knight Beast disse...

bem isso até anemisa o lado do Haru. Bem agora ele só vai focar o Yuki, mas é a Rin?