30/01/2010

190


Hatori aguardava na sala de espera em frente ao local onde Akito estava realizando os exames. O médico estava muito ansioso, e o fato de não poder fumar, uma vez que estava dentro de um hospital, o deixava ainda mais tenso.

-Porque o dragão foi o último dos animais a sair do lado do kamisama.

Aquela frase não saia de sua mente. Hatori deseja mais do que nunca permanecer ao lado de Akito, mas agora, não o queria apenas porque ele era um dos possuídos e ela era o kamisama, ele queria porque ela era a mulher que ele estava amando.
O médico apóia as mãos atrás de sua cabeça e inclina o corpo para frente, estava se sentindo muito sufocado e inseguro.

#Como a Akito irá reagir quando se lembrar de tudo? O que lhe fiz não tem perdão ..... E o que será de mim? Como vou conseguir viver se ela não me aceitar mais como o seu namorado?#

Hatori sente um leve toque em seus cabelos e depois o perfume suave de Akito ao lhe abraçar, e por alguns segundos o médico teve a certeza de que iria chorar. Ele a abraça com toda a sua força e desespero.

#Eu não conseguirei viver se não a tiver em meus braços. #

Akito inclina um pouco o corpo e lhe sussurra ao ouvido um pouco envergonhada.

-Hatori, todo muito está olhando.

O médico se recorda de onde estavam e a solta e depois se levanta, mas nem olha para os lados. Seu olhar era apenas da Akito, e ela percebe que o namorado estava à ponto de chorar. Ela delicadamente passa a mão em seu rosto e lhe sorri.

-O médico quer conversar com você.

-Você vem comigo?

-Prefiro ficar aqui.

O dragão percebe que a garota estava com um olhar um pouco assustado.

-Ele já lhe falou alguma coisa?

-Não.... Mas algo me diz que eu não serei feliz se me lembrar do meu passado.

-Não se preocupe, eu estarei ao seu lado.... #mesmo que você venha a me odiar, eu sempre estarei ao seu lado#.

O médico a deixa esperando no mesmo local onde antes ele estava sentado. Akito estava sentindo uma forte inquietação dentro de si desde aquela manhã. Era como se algo estivesse lhe gritando para que ela fugisse.

#Eu não deveria estar assim. Deveria estar feliz depois de tudo o que aconteceu ontem à noite. Mas sinto algo a me consumir por dentro. Como se uma terrível tempestade estivesse se aproximando.#

-Aa-chan.

Akito nem precisava olhar para descobrir quem é que estava a chamando. Ela olha em direção da voz, com um sorriso nos lábios. Ouvir aquele “Aa-chan” a fez esquecer toda a angustia que estava sentindo.

#Eu tenho o Hatori que eu amo, tenho amigas queridas e tenho vários primos maravilhosos, todos estão ao meu lado. Nada poderá dar errado.#

-O que vocês dois estão fazendo por aqui?

-Viemos buscar alguns remédios para a minha avó.

-E você? O que está fazendo sozinha aqui?

-Não estou sozinha. O Hatori está ali dentro conversando com o médico.

-O Kyo me contou que se lembrou do seu pai, Aa-chan.

-Sim. Graças a uma conversa que eu estava tendo com o Kyo, acabei me lembrando um pouco do meu pai. Mas foi só isso.

-Aos poucos irá se lembrar de mais coisas.

-Gostaria de me lembrar apenas das coisas que me fizeram feliz, o resto não me importo de esquecer.

-O médico te falou quando irá se lembrar de tudo?

-Não, Kyo. Ele está falando com o Hatori. Ah, Hana-chan, vamos até o banheiro? Kyo espere a gente aqui.

O garoto nem tem tempo para lhe responder, e as duas garotas já estavam indo para o banheiro.

#Hunf. Essa mania de mandar ela não perde mesmo. #

O gato se senta na cadeira onde a Akito estava, mas logo se levanta quando vê que o primo estava saindo de dentro da sala.

by DonaKyon

2 comentários:

Gii. disse...

Ownn. :3 Tão lindo o Hatori preocupado. *--*
E a Akky anda tão meiga, por que será? >D
*----*

Knight Beast disse...

as coisas vão ficar mais dificeis para akito...

bem o trama começa a sugir hehehehee