17/11/2009

163


-A senhora pode me solicitar um chaveiro?

-Certamente que sim. Providenciarei agora mesmo. Ah, Kazuma-san, eu tomei a liberdade para enviar uma jovem empregada para o Dojo. Akito-sama não queria que ela trabalhasse aqui dentro da sede, mas a jovem deseja ficar por perto de sua mãe. O senhor tem alguma objeção?

-Nenhuma. Muito obrigado.

A mulher sai da biblioteca sentindo ainda mais raiva do que antes.

#Aquela idiota da Akito precisa voltar. Acredito que ele só sairá dessa forma. Ainda não posso revelar que quem deveria ficar como patriarca é o possuído do rato. O meu sobrinho tem razão, se a Eiko-san tivesse parido o rato, tudo estaria resolvido. Akito-san perderia o direito como o patriarca por não ser homem, e por ter o meu sangue, já que seria o filho do meu sobrinho, a linhagem direita dos patriarcas continuaria, mesmo o rato, não sendo o filho do meu filho.#

O salão que estava reservado para a reunião já estava com tudo quase preparado. As duas longas fileiras de almofadas já estavam dispostas em seus devidos lugares. Na hora da reunião todos ficariam sentados um de frente para o outro em seus lugares já previamente determinados, na frente das duas fileiras ficavam a almofada de Akito e ao seu lado direito outra de menor tamanho, que era sempre ocupada pela velha governanta. Yoko olha para verificar se faltava alguma coisa.

-Tirem o local reservado ao patriarca.

-Mas o Kazuma-sama não é o patriarca?

-Não. Esse local pertence ao Akito-sama.

As duas empregadas retiram a pesada almofada onde o patriarca se sentava naquelas ocasiões.

#Eu me recuso a participar dessa palhaçada.#

A governanta ao sair do salão encontra com os três possuídos.

-É claro que vocês seriam os primeiros a chegarem. Aposto que estão adorando o fato do Kamisama estar longe da sede.

-Estamos tão preocupados com a saúde de Akito-san quanto o senhora.

Shigure responde a governanta colocando realmente um tom de preocupação em sua voz.

-Hatori-san, eu exijo saber onde é que Akito-sama está.

-Já falei para a senhora. Foi o próprio patriarca que me proibiu de dizer onde ele está.
#Se isso for verdade, eles nunca irão falar. Esses monstros são incapazes de contrariarem ao kamisama deles.#

A governanta passa por eles sem dizer mais nenhuma palavra.

-Nossa, ela está uma fera mesmo. – Shigure olha com certa desconfiança para a velha mulher.

Os possuídos vão até a biblioteca e encontram o Kazuma no meio de vários papeis antigos.

-O Kazuma-san encontrou algo?

-Ainda não. Mas já descobri que precisaremos de um tradutor de chinês antigo.

-O que é natural, afinal a lenda dos doze signos surgiu na China.

Shigure pega alguns dos papeis para ver, mesmo sem entender muito do que estava escrito a sua curiosidade falava mais alto.

-Shigure, como está Akito-san?

-Está bem.

-Eu gostaria que levasse algumas coisas para o Megumi-kun. Peça ao Kyo para entregar a Saki.

-Pode me entregar que levarei sim.

-O professor Kazuma acredita que a nossa maldição possa ser desfeita?

-Sinceramente acho muito difícil, mas acredito que devemos tentar.

-Vocês não estão achando a velha Yoko ainda mais estranha do que o normal?

-Mas isso não é normal já que ela está preocupada com Akito-san?

-Ayame, o Shigure tem razão. Ela não está apenas preocupada, me parece que ela está um pouco amedrontada também, e tenho quase certeza que esse medo está relacionado ao fato do Kazuma-san estar aqui na mansão.

-Também acredito nisso Haa-san. Como falei ontem, essa velha deve saber de muitos outros segredos dos Sohmas.

-Mas a Yoko-san não sabia da carta da Eiko-san, disse-me que o Higuchi-san lhe afirmou que a esposa não deixou nenhuma carta.

-Será que essa carta existiu mesmo? Afinal Akito-san poderia ter inventado isso para o Yuki, com o objetivo de lhe torturar.

-Algo me diz que não, Aaya. Essa carta existiu sim.

-Mas como ela pode ter existido sem que o pai do Kyo ou a Yoko-san soubessem dela?

by DonaKyon

Um comentário:

Knight Beast disse...

bem tinha uma teoria.

a empregada que foi mandada para o dojo de Kazuma pode ser muito bem a verdadeira mãe de Kyo, onde teve sua memoria totalmente apagada.

Bem uma teoria bem louca, mas enfim preciso ler a fic toda para descobrir a verdadeira verdade hehehehehehehe