06/09/2009

132


-O QUE ISSO TEM HAVER AGORA?? ME RESPONDE! ELE APAGOU???

-O Haa-san falou que algo terrível aconteceu com Akito.

-Que? Com Akito? Tem certeza que não escutou mal, Guretti?

Shigure segura nos ombros do possuído pelo gato e lhe pergunta com a voz bem temerosa.

-Kyo, você sabe algo sobre a história da Hanajima ter matado um garoto no seu colégio anterior?

-Não. Nunca escutei essa....

#Mesmo quando eu quase matei aquele garoto... Mesmo assim ele ficou ao meu lado. Nunca me disse que eu era culpada, e até começou a se vestir de preto, só para que os outros não me olhassem tão estranho na rua...#

Kyo se recorda do pensamento que tinha escutado da garota no dia anterior e para de falar. Ele olha assustado para todos ao seu redor, e o escritor entende que aquela história poderia ser verdadeira.

-Vamos voltar rápido. O Haa-san falou para todos vocês irem e a Tohru-kun também.

-Eu também irei com vocês.

-O senhor acha prudente? Ainda não sabemos o que aconteceu.

-Vocês possuídos são incapazes de contrariarem ao Akito. Mas eu não. É melhor eu ir para conversar com o patriarca sobre essa situação.

-Guretti, o professor tem razão. Vão agora mesmo para a sua casa. Eu vou buscar a Tohru-chan e os outros e já iremos para lá.

Ayame segura firmemente às mãos do Shigure desejando passar um pouco da sua força interior para o possuído. Sabia que o cão estava sofrendo muito naquele momento, por que de todos os possuídos, ele era o único que sentia algo diferente pela Akito. Para ele, a garota era a sua pequena e triste irmãzinha.

-Vamos com o meu carro.

Os três possuídos e Kazuma vão para o carro, e Ayame sai correndo para a casa dos pais do Momiji.

Nunca o caminho para a casa do escritor tinha sido tão longo para os três possuídos. Os sentimentos que estavam em cada um deles eram muito distintos, mas todos estavam aflitos e apavorados.

Quando Kazuma para o carro diante da casa do escritor, o Kyo é o primeiro a descer. Eles encontram o carro do médico vazio e depois ficam olhando ao seu redor para ver se encontravam alguém.

-HAA-SAN...

O escritor vê que o primo estava sentado na varanda da casa e todos correm para lá.

-Haa-san, cadê Akito?

-HATORI POR QUE TINHA QUE APAGAR AS MEMÓRIAS DA HANAJIMA?

O médico olha para todos e apaga o cigarro que estava fumando. Naquele curto espaço de tempo, ele tinha sido capaz de fumar um maço inteiro. Todos percebem o quanto que o homem estava abalado e que ele tinha chorado por algum motivo.

Shigure olha nos olhos do primo, e de imediato, ele se recorda da outra vez que o tinha visto com aquele mesmo olhar de dor e sofrimento.

#É aquele mesmo olhar que ele tinha no dia em que a Kana-san se esqueceu de tudo.#

O escritor se ajoelha no chão tremendo ainda mais e começa a chorar.

-O que aconteceu com Akito?

-Akito-san.... não se lembra de nada..... O patriarca se esqueceu de nós....

Shigure ao escutar aquilo, apóia a cabeça no chão e começa a chorar ainda mais. Kyo e Hatsuharu não conseguiam falar nada. Como era possível o Kamisama se esquecer dos possuídos? Um forte sentimento de abandono surge nos três possuídos. Kazuma era o único que estava em condições de perguntar qualquer coisa ao Hatori.

-Hatori, como foi que aconteceu?

-Ainda não sei ao certo. Mas de alguma maneira, no momento em que eu estava para apagar as memórias da Hanajima.... Ela conseguiu apagar as memórias de Akito..... Quem se esqueceu de tudo sobre os possuídos foi Akito e não a Hanajima....

-E onde está o patriarca agora?

-Akito-san foi com a Hanajima até o mercado aqui perto.

Ao escutar aquilo, o possuído pelo gato sai correndo, deixando os outros ainda sem entenderem nada do que estava acontecendo.

by DonaKyon

2 comentários:

Cecii-sama disse...

Nhai, Akito-san D:

Knight Beast disse...

parece que saki não perde tempo e ja ta criando uma boas lembranças nela. Isso vai ficar muito interessante