25/12/2009

179


Akito ao escutar aquilo sente uma forte dor em seu coração. Era como se aquela dor também fosse a dela. Ela não consegue mais olhar para o garoto e começa a olhar para as árvores a sua frente.

-E a sua mãe? Ela não fica triste com isso?

-A minha mãe se matou a muito tempo atrás.

-Não vejo a hora da minha memória voltar para parar de dar esses foras.

-Tudo bem. Sobre isso eu já nem ligo mais. Graças a Saki, esse assunto agora está superado.

-Vocês são bem apaixonados um pelo outro. Assim como a Tohru e o Momiji.

-E você e o Hatori.

Kyo sorria com um ar de deboche para Akito. Era como se ela estivesse falando dos outros sem levar em consideração a si própria. O patriarca se deita no telhado e olha as estrelas.

-Ahahah.... Tá certo, e eu e o Hatori. ... É muito bom esse sentimento, né? O meu pai tinha razão, eu nasci para ser amada.....

Akito rapidamente volta a ficar sentada e coloca as duas mãos nos ombros do garoto.

-KYOOO!!! Eu me lembrei do meu pai! Eu me lembrei dele... AHHH!!!

Ela o abraça enquanto ficava dando pequenos pulos no mesmo lugar.

-Eu finalmente me lembrei do rosto do meu pai. Me lembrei do dia em que ele me falou isso.

-Vo-você se lembrou?

-Sim.. Sim... SIMMMM.... Eu me lembrei. Eu era bem pequena quando ele me falou: É você Akito! A criança especial. A criança escolhida. A criança que nasceu para ser amada. Todos estávamos esperando por você. No seu futuro não haverá solidão ou medo.

A garota solta o Kyo e fica lhe olhando cheia de felicidade, enquanto que o gato tentava disfarçar o medo que estava sentindo.

-E o que mais lembrou Akito?

-Me lembrei do rosto do meu pai. Ele era tão jovem e bonito. Era isso mesmo, não é Kyo?

-Eu não conheci o antigo patriarca.

-Preciso perguntar para o Shigure então. Vamos lá Kyo!

A garota se levanta e agora é a sua vez de estender a mão para ajudar o garoto. Kyo olha em sua mão e depois lhe olha nos olhos, e Akito percebe que havia um pouco de lágrimas em seus olhos. Ela segura em sua mão o levantando e depois lhe abraça.

-Obrigada por se emocionar com isso.

#Na verdade, estou triste porque essa pode ter sido a última vez que segurei em sua mão.#

O patriarca o solta e segura em seu pulso esquerdo, quase bem próximo do bracelete.

-É melhor segurar na minha mão direita.

-Por quê? Você já quebrou o pulso?

-Não! É porque não posso tirar esse bracelete.

-Quê?

-É uma promessa que fiz a minha mãe.

-Ah tá!.

Akito começa a descer os degraus com o coração pulando de felicidade, e o garoto ia bem atrás dela. Assim que coloca os pés no chão, a garota sai correndo para dentro da casa.

-Eih, vai se esborrachar no chão de novo.

Kyo corre atrás do patriarca, mas dessa vez a garota no cai e entra com sapato e tudo pela casa adentro.

-EIHH!! TIRA OS SAPATOSSS!!

Akito para no meio da escada, arrancando os sapatos e jogando para o meio da sala e quase acertando a cabeça do gato.

-EIHH!!! JÁ QUER ME MATAR, É?

Akito nem tenta entender o que o garoto tinha falado com aquilo, ela acaba de subir as escadas e abre a porta do quarto do Shigure com tudo pulando em cima dele, que por milagre já estava dormindo àquela hora.

-SHI-GU-RE... A-COR-DAAAA....

-Aky? O que foi?

O possuído a olha todo assustado.

-Eu me.....

A garota para de falar, lhe dá um sorriso e depois se levanta da cama lhe mostrando a língua.

-bleeeh.... Vou contar primeiro para o meu na-mo-ra-do e depois eu te conto.

Ela volta a correr, passando pelo gato que estava parado na porta e desce as escadas para ir até a biblioteca onde ficava o telefone da casa.

-O que deu nela?

Shigure já estava fora da cama e ajeitava o seu quimono.

-Akito se lembrou do pai.

-Ela se lembrou do Akira-sama?

-Sim. Pelo visto a memória dela deve estar voltando.

By DonaKyon

2 comentários:

Sah disse...

MEEEDDOOO!

Mais a Akky-chan é do bem agora né?

Knight Beast disse...

hahahhahahaha

Akito é de desastrada